Querofobia: o medo de ser feliz

A querofobia ainda é pouco conhecida, mas vem afetando um número cada vez maior de pessoas. Já ouviu falar? Neste artigo explicamos os principais sintomas e como tratá-la. Confira!

1 OUT 2018 · Leitura: min.

PUBLICIDADE

Querofobia: o medo de ser feliz

Seria possível haver no mundo alguém com medo de ser feliz? Pessoas em que a ideia de sentir prazer, alegria e contentamento provoque ansiedade e desencadeie respostas físicas de aversão? Acredite, trata-se de uma fobia real que, apesar de pouco descrita na psicologia, vem afetando cada vez mais pessoas.

Quem tem querofobia normalmente sente medo de ser feliz porque experimentou, no passado, alguma situação traumática que veio logo depois de um momento de felicidade. De acordo com os especialistas, pode ter origens em punições durante a infância, em conflitos com alguma pessoa querida ou numa má experiência associada a um fato particular.

A pessoa acaba acreditando que existe uma relação de causa-consequência entre essas experiências, e evita a qualquer custo aquelas atividades ou situações que sabe que provocarão felicidade.

Os sintomas da querofobia

As pessoas que têm medo de ser feliz dificilmente expressam esse sentimento. Em muitos casos, sequer têm consciência de que estão sofrendo de querofobia. Segundo psicólogos, os principais sintomas desse tipo de fobia seriam:

  • ansiedade e necessidade de "escapar" de determinados lugares ou situações
  • dores de cabeça e estômago
  • não querer participar de atividades "divertidas"
  • acreditar que se sentir feliz significa que algo ruim acontecerá
  • pensar que a felicidade é algo que desperta o pior de você
  • acreditar que demonstrar felicidade é algo negativo, não só para a pessoa como para seus entes queridos
  • considerar que tentar ser feliz é uma perda de tempo

shutterstock-763844254.jpg

Está claro que esse tipo de comportamento, além de trazer prejuízos para a rotina da própria pessoa, impacta seu entorno social e familiar. As relações ficam mais complicadas e há conflitos recorrentes.

É importante não confundir o medo de ser feliz com tristeza persistente. A pessoa com querofobia não está triste o tempo todo, não vive socialmente isolada ou marcada pela falta do que fazer. O que não suporta é a ideia de ser feliz.

Como tratar a querofobia?

Como a querofobia está ligada a situações do passado que continuam tendo impacto no presente, o primeiro passo é descobrir as causas e ser capaz de trabalhá-las. Nesse sentido, a psicoterapia é o recurso mais indicado.

A pessoa terá a oportunidade de profundizar o conhecimento que tem sobre si mesma, sobre suas ações e comportamentos, tanto os conscientes como os inconscientes. Através desse processo de autoconhencimento, será possível ir reconstruindo aos poucos essa associação errônea entre felicidade e tragédia iminente.

O processo psicoterápico permite ressiginificar comportamentos e alterar padrões por formas mais saudáveis. Como neste caso existem traumas para serem tratados, é importante procurar profissionais aptos também em terapias específicas para o tratamento destes. 

Muitos psicólogos recomendam a terapia cognitiva-comportamental para enfrentar esse tipo de fobia, pois permite desconstruir as associações negativas e ressignificar comportamentos. O mais importante, entretanto, é que a pessoa procure um tipo de abordagem com a qual tenha afinidade, porque há um trauma para tratar e, nem sempre, trata-se de um processo rápido.

shutterstock-115871620.jpg

Mas quem tem querofobia também pode ir avançando no processo de reflexão com esses passos:

  • tente identificar quando o problema começou
  • identifique também quais são os prazeres que você está evitando
  • converse sobre isso com alguém de confiança
  • repita para você mesmo, todos os dias: "Eu me permito ser feliz"
  • encontre formas de minimizar os sintomas de ansiedade
  • reconheça que as pessoas que desfrutam da vida são mais produtivas e realizadas
  • observe se você se sente culpado pelo inesperado

Fotos: MundoPsicologos.com

PUBLICIDADE

psicólogos
Linkedin
Escrito por

MundoPsicologos.com

Deixe seu comentário

PUBLICIDADE

3 Comentários
  • Ana cristina

    Muito importante,esse esclarecimento.Eu descobrir que tenho querofobia, esse trauma vem da minha infância.Quando eu sentia a felicidade da minha familia que estava mim sentindo feliz ,logo vinha uma tristeza algo ruim acontecia na familia.Então todas as veses que mim sentia feliz eu tinha medo

  • Débora Eleutério

    Bom dia! Me sinto assim em muitas vezes, esse artigo pra mi. Foi muito bom, me identifiquei e obrigada pelas dicas de como superar❤

  • Maria de Lourdes Ferreira Medeiros de Matos

    Prezados boa tarde!! Este assunto é novo e instigante. "querofobia" é tema de um artigo que estou escrevendo, caso tenham bibliografias sobre este assunto e queiram compartilhar comigo , desde já agradeço.

últimos artigos sobre fobia