Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Fobias e intervenções

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Vamos falar um pouco sobre as fobias e como a psicoterapia pode contribuir para a melhora da qualidade de vida de quem está nesta condição.

22 MAI 2019 · Última alteração: 5 JUN 2019 · Leitura: min.
Fobias e intervenções

A fobia é um medo persistente e irracional a um determinado estímulo que representa pouco ou nenhum perigo a pessoa, mas mesmo assim consegue provocar bastante ansiedade. Ela costuma ter uma longa duração, tendo reações físicas e psicológicas e assim comprometendo a qualidade de vida do indivíduo.

A pessoa fóbica gasta muita energia para evitar uma situação que a coloque à frente do que lhe causa este medo, gerando mais apreensão do que pode vir.

O organismo se afasta de dores reais. O neurótico se afasta de dores imaginárias e de emoções desagradáveis. Também evita assumir riscos razoáveis.

(John O Stevens - Isto É Gestalt)

É bom fazer uma ressalva que sentir ansiedade até certo nível é aceitável e é até natural. Assim como o medo que está conectado diretamente com nosso instinto de "Luta e Fuga" e por isso é muito útil para a nossa sobrevivência como espécie. Porém, a fobia não segue uma lógica racional, pois o que está ameaçando não apresenta um perigo real a pessoa.

Há diversas modalidades de fobias, desde o medo de interações sociais (fobia social), de lugares abertos (agorafobia) até o medo de animais, objetos e afins (fobia específicas).

Sintomas de Fobia

  • Angustia
  • Ansiedade intensa
  • Desajustes intestinais
  • Dificuldade para respirar
  • Dor no peito
  • Incapacidade de levar sua vida normal, devido um medo ilógico
  • Não ter capacidade para controlar o medo
  • Necessidade de fuga;
  • Palidez
  • Paralisação dos músculos das pernas
  • Sensação de pânico, terror ou temor a uma situação ilógica.
  • Sudorese
  • Taquicardia
  • Tremores nas mãos e/ou nos pés

A claustrofobia é uma projeção, no ambiente, da experiência de um mundo que é vivenciado como estreitado e opressivo.

(Fritz Perls - Ego, fome e agressão)

Exemplos de fobia específicas

  • Acrofobia: medo de altura;
  • Amaxofobia: medo de dirigir e dos desafios do trânsito;
  • Aracnofobia: medo de aranhas;
  • Bromidrofobia: medo de odores do corpo;
  • Catsaridafobia: medo de baratas;
  • Cinofobia: medo de cachorros;
  • Claustrofobia: medo de lugares fechados;
  • Deipnofobia: medo de jantar em grupo;
  • Eisoptrofobia: medo de espelhos e de se olhar no espelho;
  • Filemafobia: medo de beijar;
  • Glossofobia: medo de falar em público;
  • Hematofobia: medo de sangue;
  • Isolofobia: medo mórbido da solidão,
  • Lanchanofobia: medo de vegetais;
  • Monofobia: medo de ficar sozinho;
  • Nomofobia: medo de estar sem celular ou aparelhos eletrônicos no geral;
  • Odontofobia: medo de dentista;
  • Pogonofobia: medo por barbas;
  • Quilofobia: medo de roedores;
  • Rupofobia: medo de sujeira;
  • Siderofobia: Medo de estrelas ou do céu estrelado;
  • Tanatofobia: medo da morte;
  • Uiofobia: medo dos próprios filhos
  • Zoofobia: medo de animais.

Como tratar uma fobia

Uma maneira eficaz para se tratar uma fobia é modificando a relação emocional entre o indivíduo e o objeto fóbico. A psicoterapia pode promover esse trabalho ao propor um reprocessamento emocional das situações relacionadas a fobia, um treinamento para lidarem com suas ansiedades emergentes, contribuindo para que a pessoa enfrente o objeto fóbico de modo exponencial, podendo ser indicado até intervenções externas ao consultório (experienciação).

É preciso buscar uma tomada de consciência, das sensações e percepções diante deste medo irracional para poder se apropriar dele. Em alguns casos também será indicado a intervenção medicamentosa para equilibrar situações neurológicas.

Escrito por

Tiago Malta

Psicólogo Número do CRP: CRP 05/038560

Conta com mais de 10 anos de formação e com especialização em gestalt-terapia. Além da experiência na prática clínica, também tem bastante bagagem na psicologia organizacional. Realiza atendimento psicológico individual para crianças, adolescentes e adultos, terapia em grupo e serviços de homecare.

Ver perfil
Deixe seu comentário
1 Comentários
  • Marilza Barros

    Eu sofro muito com certas fobias.

últimos artigos sobre fobia