Agressividade na Primeira Infância

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Muitos pais me procuram desesperados por não saberem mais o que fazer. E na grande maioria relatam: "meu filho pensa que é dono do Mundo"!

27 Jan 2015 · Leitura: min.
Agressividade na Primeira Infância

Os profissionais da área de saúde mental infantil têm percebido um aumento na quantidade de crianças abaixo de cinco anos que chegam em seus consultórios. Alguns encaminhados pela escola e outros trazidos pelos pais, com queixas de comportamentos inadequados, falta de disciplina e algumas vezes agressividade.

Quando os pais não conseguem lidar com as questões de seus filhos, gera uma angústia ou um sentimento de incapacidade, e tudo isso reflete no gerenciamento da rotina diária da casa e das crianças.

E aí surgem então as perguntas:

  • Criança agressiva e prepotente é normal?
  • Aonde será que nós (pais) erramos?
  • Qual é o problema do meu filho?

Vamos aqui a uma reflexão dos padrões esperados no comportamento infantil. De acordo com o Centro de Excelência para o Desenvolvimento na Primeira infância (2010):

"O período pré-natal e da primeira infância precisa ser cuidado com qualidade, pois isso ajuda no desenvolvimento do cérebro para controlar comportamentos agressivos."

A agressividade é um impulso normal no ser humano. À medida que vai sendo administrada pelos pais, passa a construir vínculos afetivos e a desenvolver seu relacionamento interpessoal.

O papel dos pais é tão importante, que eles nem se dão conta como a sensação de ser protegido, ter cuidados e limites, vai criando bases na personalidade de seus filhos.

Hoje em dia, a sociedade apresenta um padrão estrutural diferentes do padrão dos nossos avôs e, atualmente, não são muitas crianças que podem contar com a base sólida e tão importante chamada família. Algumas crianças são criadas sem referências básicas que possam ser seguidas.

Quando procurar ajuda de um psicólogo?

  • Queixas escolares;
  • Quando seu filho apresentar um temperamento difícil e impulsivo;
  • Excesso de energia mal canalizada;
  • Necessidade de experimentar limites;
  • Falta de tolerância a frustrações;
  • Deficiências físicas e ou mentais que geram desconfortos sociais.

Caminhos para a prevenção dos comportamentos infantis inadequados:

  • Qualidade de vida durante a Gravidez;
  • Respostas adequadas às agressões da criança;
  • Tipo de abordagem disciplinar;
  • Observar os ganhos que a criança pretende obter quando se comporta agressivamente;
  • Interações com outras crianças supervisionadas;
  • Ajudar a criança a encontrar outras formas de obter o que deseja sem recorrer à agressão;

E o mais importante:

Garanta que o comportamento negativo infantil não seja recompensado com presentes ou qualquer tipo de ganho que incentive a reincidência do mesmo!

No mais, o acompanhamento de um profissional da área de saúde, aumentará as chances do sucesso de todo processo educacional. Além das técnicas educacionais traz uma orientação aos pais e adequação das práticas na disciplina, tendendo para um caminho equilibrado na saúde mental da criança.

Foto: por sokabs (Flickr)

psicólogos
Escrito por

Psicóloga Monica Androli

Deixe seu comentário