MundoPsicologos.com
MundoPsicologos.com
No Google Play Na App Store

Série "Você" mostra como funciona a mente de um stalker

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

A estreia da série de TV “Você”, exibida pela Netflix no Brasil, trouxe à tona um tema delicado: o que são os stalkers e como eles agem.

19 Fev 2019 · Leitura: min.
Série "Você" mostra como funciona a mente de um stalker

A estreia da série de TV “Você”, exibida pela Netflix no Brasil, trouxe à tona um tema delicado: o que são os stalkers e como eles agem. A produção norte-americana conta a história de Joe, um gerente de livraria, que fica totalmente encantado ao conhecer Beck, aspirante a escritora. Ele acredita ter finalmente encontrado a mulher dos seus sonhos.

Na trama, um suspense psicológico bem conduzido e cheio de conexões complexas, não demora muito para o amor e o encantamento se transformarem em obsessão. Totalmente fora de si, Joe passa a fazer de tudo para controlar Beck e, sem perceber, ela vai ficando cada vez mais presa nessa perigosa armadilha.

Essa vigilância excessiva, que chega a forçar contatos indesejados, tem nome: stalking. A pessoa recorre a diferentes recursos para estar em contato com o seu alvo de interesse, utilizando meios físicos e virtuais. O stalker segue, observa a rotina da outra pessoa para conhecer seus hábitos, envia cartas, liga e manda mensagens, oferece presentes, etc.

Também são comuns as aparições no trabalho e nos espaços que a outra pessoa costuma frequentar (restaurantes, bares, cinemas,lojas, entre outros). Os métodos usados por um stalker podem variar muito de caso a caso, mas sempre se trata de uma perseguição persistente e obsessiva, que tende a se agravar.

Por isso, muitos casos culminam em ações extremas, e as novas tecnologias acabam ajudando esse tipo de acosso, que se manifesta por invasão de perfis sociais, hackeo de contas de e-mail, computadores e celulares, ameaças virtuais e físicas, até mesmo outros atos violentos. Quando isso acontece, a fronteira do interesse e obsessão é totalmente transpassada, caindo em comportamentos que podem ser enquadrados como criminais.

voce2.jpg

A pessoa que é vítima de um stalker acaba experimentando intenso sofrimento emocional. Vive em um círculo vicioso de ansiedade, insegurança e medo, com a sensação de estar sendo perseguida o tempo todo. Obviamente, isso é um grande desestabilizador e, em grande parte das vezes, a pessoa se vê obrigada a mudar rotinas e hábitos para tentar se livrar do stalker.

Como reconhecer a um stalker?

Ao contrário do que muitos acreditam, os stalkers não são necessariamente do sexo masculino. Essa obsessão descontrolada também se manifesta em mulheres, e pode ser observada em relações de qualquer identidade de gênero.

De acordo com psicólogos especializados em comportamento, o stalking pode acontecer inclusive nos casos em que não houve qualquer relação sentimental prévia entre o acossador e a vítima. Pode ser um vizinho, colega de trabalho ou total desconhecido.

Normalmente, os comportamentos do stalker costumam ser despertados e alimentados por sentimentos de raiva, ciúme, culpa ou hostilidade. Dependendo da predominância, o stalker poderá ser enquadrado em uma categoria ou outra:

  1. desejoso de romance: persegue a vítima porque deseja ter uma relação sentimental com ela, por considerar ter encontrado sua alma gêmea.
  2. pretendente incapaz: costuma ser uma pessoa com poucas habilidades sociais e comunicativas, praticamente sem experiência em relações. Por isso, pode chegar a se obcecar por alguém com quem se identifica.
  3. rejeitado: é movido especialmente pelo desejo de vingança ou pelo impulso de retomar uma relação que chegou ao fim.
  4. ressentido: o objetivo principal do stalker nesse caso é assustar e contrariar a vítima, por sentir raiva e ressentimento por ela.
  5. depredador: persegue a vítima por desejo e interesse sexual e espera encontrar o momento idôneo para atacá-la. 

Fotos: Divulgação

psicólogos
Escrito por

MundoPsicologos.com

Deixe seu comentário