Distúrbios psicológicos em relacionamentos, o ciúme patológico

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Não é incomum nos dias de hoje nos depararmos com casos de ciúmes exagerados, crimes passionais e violência contra a mulher. Mas o que pode despertar comportamentos tão nocivos?

25 Out 2013 · Leitura: min.
Distúrbios psicológicos em relacionamentos, o ciúme patológico

Não é incomum nos dias de hoje nos depararmos com casos de ciúmes exagerados, crimes passionais, violência contra a mulher, casos que chocam como o assassinato de Eloá, do empresário Marcos Matsunaga - diretor executivo da empresa Yoki, e muitos outros casos que não chegam ao homicídio, mas causam um sofrimento enorme as vítimas porque envolvem violência psicológica e física.

Mas o que pode ocorrer num relacionamento, seja namoro ou casamento, para despertar comportamentos tão nocivos?

Ciúme Patológico

O que é ciúme para você? Qual a diferença entre ciúme sadio e patológico? Essa pode ser uma pergunta aparentemente simples de definir, mas é um assunto complexo que necessita de uma avaliação precisa. O ciúme é uma reação causada pelo medo - real ou fantasioso - de perder algo ou alguém ou que põe em risco a relação com a pessoa amada. Essa é uma definição bem simples, que contempla principalmente as relações afetivas. No ciúme sadio existe uma preocupação com o outro, um medo de perder que é controlado. Podem haver brigas, mas elas não fogem ao controle, não extrapolam em situações absurdas.

Já o ciúme patológico é bem mais gritante. Existem alguns casos na literatura psiquiátrica que ilustram bem esse tipo de ciúme, como o caso de uma mulher que marcava o pênis do marido assinando-o no início do dia com uma caneta e verificava a marca desse sinal no final do dia (Wright, 1994), e o caso de outro paciente, com ciúme obsessivo, que chegava a examinar as fezes da namorada, procurando possíveis restos de bilhetes engolidos (Torres, 1999).

No ciúme patológico existe o desejo de controle total sobre a vida da outra pessoa; cada passo é seguido, ligações para saber onde a pessoa está, com quem está o que está fazendo são um exemplo disso. Outro tipo de comportamento que ocorre é a invasão de privacidade, a pessoa com ciúme patológico exige sua senha de e-mail, verifica constantemente suas ligações e mensagens no celular, vasculha a bolsa da companheira (no caso de homens), e chegam até mesmo a criar problemas no ambiente de trabalho da pessoa, pois se recusam a aceitar que ela mantenha qualquer tipo de interação social com os outros.

A situação piora muito para o companheiro(a) de uma pessoa com ciúme patológico quando ela começa a ter idéias ilógicas e sentimentos desproporcionais nas situações que se apresentam, tais como ataques de fúria, agressão física, depredação do ambiente e ocorre o risco de homicídio, muitas vezes acompanhado do suicídio da pessoa ciumenta.

O ciumento tenta se justificar sempre, muitas vezes usando argumentos vazios, diz que ama a pessoa, se diz arrependido quando percebe que exagerou, mas acaba por repetir o mesmo padrão de comportamento sempre. Isto se agrava quando o ciumento começa a ter delírios (idéias ou crenças baseadas em fundamentos ilógicos ou sem base na realidade), quando imagina que qualquer ato do seu companheiro(a) culminará em traição, quando sua percepção começa a distorcer os fatos e a realidade em torno de suas inseguranças.

O ciumento então desenvolve um sentimento de raiva e vingança contra seu companheiro uma vez que tem a certeza absoluta que está sendo traído a todo momento. A mulher tenta sair dessa situação porque percebe que algo está errado, muito embora não saiba que seu companheiro sofre de um problema psicológico grave, mas seu companheiro não aceita o fim da relação, passa a persegui-la e aí é o terreno onde ocorrem as tragédias, os crimes passionais.

Para prevenir essas tragédias, o importante é você estar atento aos sinais descritos e pedir ao seu parceiro(a) que busca ajuda, que inclui aí um processo de psicoterapia e, dependendo do caso, pode ser importante o uso de medicação passada pelo psiquiatra.

Foto: por v1ctor Casale (Flickr)

Escrito por

Leonardo Viana de Vasconcelos Martins

Deixe seu comentário
Comentários 1
  • Gabriela

    O que fazer quando o parceiro não aceita buscar ajuda, pois acha que suas atitudes são normais? E quando nos tornamos ciumentos por causa do comportamento de ciúmes do parceiro? Às vezes sinto que o ciúme do meu companheiro me contaminou e me vejo reagindo como ele.