Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Confrontando o ciúme

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Não tem jeito, o ciúme é um fato da vida e, desde que éramos pequenos e assistiamos alguma outra criança abrir um presente de aniversário, tivemos de enfrentá-lo de alguma forma.

16 JUN 2016 · Leitura: min.
Confrontando o ciúme

Neste artigo tratamos dos principais tipos de ciúme e como isso pode atrapalhar a relação. Também sugerimos caminhos saudáveis para enfrentar a situação.

Ciúme em relações monogâmicas

Na sociedade monogâmica, o ciúme é frequentemente associado como prova de um amor verdadeiro. Se você não amar o seu parceiro(a), então você não sentirá ciúme. O ciúme tem sido entendido como normal, especialmente o do sexo masculino contra outro homem, quando relacionado com a possibilidade de ter relações sexuais com a "sua" mulher. Em alguns casos visto como uma razão legítima para a prática do homicídio.

Ciúme nos relacionamentos poliamorosos

Neste tipo de relacionamento, muitas pessoas expressam surpresa quando experimentam ciúme intenso. Não é incomum escutar expressões como: "eu estou tão chocado(a) por estar com ciúme!", ao que respondo: "Estou chocado que você está chocado!". O ciúme é perfeitamente natural e uma reação normal ao fato de que seu amado ter intimidade com outra pessoa.

Talvez a melhor sugestão sobre a inveja a qualquer um que tenha um relacionamento aberto é: saber que ele vai aparecer, aceitá-lo e aprender a controlá-lo sem que pra isso seja necessário cometer um assassinato ou tornar tudo um caos.

Porém é importante que as pessoas tomem o cuidado para não se identificarem demais com o ciúme. Ciúme não é uma identidade e você pode senti-lo, porém isso não faz de você uma pessoa ciumenta. Se você diz: "Eu sou uma pessoa ciumenta", você pode achar que é difícil pensar em aprender a controlar este sentimento.

É como se você tivesse que abrir mão de algo que faz você ser quem você é. Por outro lado, se você diz: "Eu sou uma pessoa que, por vezes, sente ciúmes, e às vezes se sente feliz, e às vezes se sente triste, animado, com medo, com raiva ou confuso". Esse tipo de declaração reforça a si mesmo que o ciúme não é quem você é.

Respostas resilientes ao ciúme

Em alguns relacionamentos, o ciúme pode tornar o parceiro(a) controlador e exigente. Uma estratégia que lhe permite expressar o medo, mas empurra e sufoca o outro. Embora a estratégia de agarrar e controlar seja muito comum entre aqueles que sentem ciúme, não é uma forma particularmente eficaz para enfrentar as questões e fazer o relacionamento prosperar. Outros usam diferentes respostas que têm maior potencial para o sucesso. Tudo depende de como o ciúme é experimentando e de que ferramentas as pessoas podem construir para aprender a conviver melhor com um sentimento que é inevitável. Veja algumas dicas:

  • Falar sobre o ciúme

Fale sobre seus sentimentos e limites. Às vezes expressar-se pode começar a aliviar a dor, e dá ao seu parceiro(a) uma chance de algum incentivo, por meio da expressão do seu amor e do compromisso com você.

  • Cartões de ansiedade

Quando você tiver pensamentos negativos sobre si mesmo (como ser ruim de cama, ou que não é tao bom quando seu parceiro(a) espera), sentir-se inseguro ou todos os tipos de coisas negativas, considere exteriorizar os pensamentos escrevendo-os em cartões para que você possa vê-los "fora de sua cabeça". Assim, quando rabiscados em uma folha, parecerão menos poderosos e mais ridículos. Em seguida você pode escrever contrapontos ou estratégias defensivas na parte de trás dos cartões e entregá-los ao seu parceiro(a).

Ele(ela), por sua vez, poderá escrever seus próprios pensamentos na mesma parte (como pensamentos como ele(ela) o ama, o que gostam em você, e por que querem estar com você). Toda vez que você começar a ter esses sentimentos desconfortáveis, você pode resgatar esses cartões e ter alguma munição para usar contra a dolorosa auto-fala. Eventualmente você pode não precisar sequer olhar para os cartões, uma vez que vai saber as respostas e pode usá-los para se defender do ciúme e da insegurança.

  • Invista em você mesmo

O ciúme é provocado pelo que acontece com outra pessoa, e fixa sua atenção ao que acontece no mundo externo. Uma das principais formas de combater isso é desviar o foco para si mesmo. Quando você está sentindo ciúmes, você pode reorganizar o investimento que é direcionado para outra pessoa para si mesmo. Assim, você pode fazer algo divertido como ter um hobby, aprender algo novo, passar mais tempo com amigos, fazer exercícios, tirar uma soneca, escrever um livro, meditar ou rezar.

  • Enfrentar seu medo/raiva/tristeza

Em certo grau, o ciúme está quase sempre relacionado a sentimentos de medo, raiva ou tristeza, que são a verdadeira raiz do ciúme. Ou seja, o ciúme é sintoma de uma emoção mais fundamental. Descobrindo e enfrentando esses sentimentos pode ser o melhor antídoto para o ciúme, além de ajudá-lo a lidar com as verdadeiras questões subjacentes.

  • Procure apoio

O ciúme pode ser extremamente doloroso e difícil de enfrentar, especialmente sozinho. Se você é atormentado por esse sentimento, talvez seja necessário obter apoio externo. Algo que pode ajudar é falar com seu parceiro(a) sobre seus sentimentos. Simplesmente expresse-os. Seu parceiro(a) pode também ser capaz de oferecer alguma tranquilidade, de modo que ajude a acalmar o medo, a raiva ou a tristeza e reforçar coisas boas sobre o seu relacionamento. Finalmente, buscar ajuda de algum profissional que lide cotidianamente com esse tipo de problema.

Escrito por

Psicólogo Emilson Silva

Ver perfil
Deixe seu comentário

últimos artigos sobre ciúmes