Como saber se você é uma pessoa esponja

Pessoas esponjas são altamente sensíveis ao que acontece em seu entorno. Por isso, acabam absorvendo tanto as emoções positivas quanto as negativas dos outros.

9 OUT 2020 · Leitura: min.

PUBLICIDADE

Como saber se você é uma pessoa esponja

Ter empatia e ser alguém que se sensibiliza com o que passa à nossa volta é muito positivo. No entanto, algumas pessoas são altamente sensíveis aos problemas dos outros e acabam absorvendo a dor, as preocupações, a tristeza, o desânimo, o medo e outros sentimentos que não são seus. São as pessoas esponjas, gente que toma para si toda a tensão externa, chegando muitas vezes a si prejudicar pelo excesso de solidariedade.

Segundo a psiquiatra Judith Orloff, pessoas esponjas, para o bem ou para o mal, assumem os sentimentos alheios. Se são sentimentos bons, vão ser energizadas por eles e florecer. Mas se são emoções negativas, não saberão filtrá-las, o que pode desencadear cansaço e outros problemas mais sérios como depressão, pânico e vícios. 

Além disso, essa alta sensibilidade pode prejudicar a vida amorosa das pessoas esponjas. Muitas absorvem tudo do parceiro porque são incapazes de negociar suas necessidades na convivência a dois. Judith Orloff, psiquiatra

No seu livro Liberdade Emocional, a psiquiatra ensina através das perguntas abaixo a reconhecer se você é uma pessoa esponja

  • Se um amigo está angustiado ou triste, começo a me sentir assim também?
  • As conversas, os cheiros e os barulhos em excesso me deixam nervosa?
  • Como bastante para compensar o estresse emocional?
  • As pessoas que convivem comigo dizem que sou muito sensível?
  • Sinto agonia quando estou em locais onde há muita gente?
  • Sou um bom ouvinte?
  • Tenho medo de me relacionar afetivamente?
  • Gosto de passar tempo sozinha?

Se você respondeu sim a mais de 3 perguntas, é muito provável que seja uma pessoa esponja. Além disso, pessoas assim:

  • São intuitivas: têm o poder de captar o que passa em seu entorno sem que ninguëm diga nada
  • Sabem expressar seus sentimentos: se comunicam bem e não tem dificultades em dizer o que sentem. É alguém que chora e ri com muita facilidade.
  • São muito empáticas: sempre se colocam no lugar do outro, chegando, inclusive a apropriar de suas emoções.
  • Se sentem responsáveis pelos problemas alheios: quando alguém do seu convívio passa por algum problema, agem como se fosse seu. Sofrem junto. Acham que têm obrigação a ajudar os outros a encontrar o bem-estar
  • Priorizam as outras pessoas: sentem uma enorme gratidão em ver os outros felizes. Com isso, muitas vezes deixam de lutar por seus próprios interesses.
  • Podem atrair pessoas tóxicas: se não tomam cuidado, podem se relacionar com gente tóxica, que só visa se aproveitar emocionalmente desta generosidade sem oferecer nada positivo em troca.

Como deixar de absorver as emoções alheias?

Se você percebe que sempre está disponível para os outros e que nunca encontra tempo para cuidar das suas emoções e interesses, talvez seja o momento de aprender a deixar de ser uma pessoa esponja. O primeiro passo é passar mais tempo com gente positiva. Pessoas que levantam o seu astral, que gostam de você e que colaboram para o seu crescimento.

Ao mesmo tempo, procure se afastar das pessoas tóxicas, que sempre demandam muita atenção, que só reclamam e que não oferecem nada positivo em troca. Você pode sentir empatia pelos outros, mas deve sempre ter em mente que cada um é responsável pela sua vida e pelo o que faz com ela.

Você também pode criar o hábito de meditar. A meditação é uma ferramenta poderosa porque ajuda a desconectar do mundo exterior para criar uma enorme conexão com o interior. É uma excelente fonte de relaxamento, que proporciona bem-estar físico e emocional.

Outro ponto importante é aprender a estabelecer limites. Sem sentir culpa, passe a dizer não quando achar que deve. Isso não significa deixar de ajudar alguém, mas passar a dar prioridade aos seus desejos. Se, por exemplo, tem um amigo que costuma passar horas desabafando com você, estabeleça um limite de tempo para essa conversa e depois diga de uma forma amável que precisa ir ou que tem um compromisso.

Se conseguir filtrar melhor o que afeta você, com quem e como gasta seu tempo e energia, aos poucos deixará de ser uma esponja emocional.

 

PUBLICIDADE

psicólogos
Linkedin
Escrito por

MundoPsicologos.com

Bibliografia

Judith Orloff, Liberdade Emocional: Liberte-se da Emoção Negativa e Transforme sua Vida, Rocco, 2011

Simone Cunha, Pessoas esponja: veja como ajudar os outros sem absorver "lixo emocional" https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2019/09/06/pessoas-esponja-veja-como-ajudar-as-pessoas-sem-absorver-lixo-emocional.htm

Deixe seu comentário

PUBLICIDADE

Comentários 1
  • Sabrina Reis

    Eu estou vivendo em modo esponja! Não tinha muito essa noção, até acordar hoje me sentindo totalmente cansada de ter que carregar o mundo nas costas. Realmente, preciso deixar essa carga e viver mais para mim. Obrigada.

últimos artigos sobre autoestima