Amor romântico

Era uma vez.... não sei se você já observou, mas todo conto romântico inicia da mesma forma e detalhe tem um príncipe e uma princesa, geralmente brancos e dentro do padrão eurocêntrico, rara

25 JUN 2022 · Leitura: min.

PUBLICIDADE

Amor romântico

Era uma vez.... não sei se você já observou, mas todo conto romântico inicia da mesma forma e detalhe tem um príncipe e uma princesa, geralmente brancos e dentro do padrão eurocêntrico, raramente um casal inter-racial. Na vida real, quando duas pessoas se encontram apesar do encantamento, os sinos não tocam, não tem sons de violino ao fundo, você não esta no alto de uma torre e ele não está montado em um cavalo branco. È tudo bem real, não tem esse glamour todo produzido pelo cinema, literatura e músicas. Observa-se as imperfeições: aquele dentinho torto, aquele cabelinho branco que teima em aparecer. Nada mais comum, afinal somos humanos e não saímos de um conto da Disney.

Nesse texto quero enfatizar que o outro, aquele seu principe ou princesa (paixão súbita), gatinho(a), que faz seu coração batucar igual escola de samba no carnaval, infelizmente não vai lhe completar. É triste eu sei, acredite nas minhas palavras eu realmente sei. O sofrimento amoroso, as frustrações são democráticas atingem a todos abaixo do céu, assinalo que os homens também sofrem por amor e como sofrem esses rapazes, mas devido uma estrutura social machista não é tão aceitável permitir que as lágrimas rolem. Vamos rasgar o véu e o verbo?!

Desde a infância é fomentado esse ideal romântico, esse imaginário fabuloso de que alguém vai nos completar. Isso me lembra Fabio Júnior : Carne unha, alma gêmea, bate coração, a metade da laranja e por ai vai. O psicanalista, Daniel Omar Perez afirma: O outro não vai me completar nunca, por que esse outro é faltoso e desejante, ele pode até caminhar junto, lado a lado mas jamais suprir todas as expectativas, por que isso é pesado demais para qualquer ser humano na terra. É exatamente essa falta que eu tenho, você tem e a galera geral tem também, que a psicanálise chama de falta estruturante, em uma tentativa de satisfazer essa falta nos endereçamos a vida social, trabalho, amor, atividade física, lazer, dentre outras coisas que você pode nomear enquanto acompanha esse texto.

Será que não está na hora de se permitir descansar da angústia e da ansiedade gerada pelos ideias do amor romântico? Em 2019, de acordo com o IBGE 60% dos brasileiros e brasileiras estavam solteiros, suponho que imersos nessa pandemia que não acaba, esse número deve ter aumentado. Viu!!! Não é só você, tem todo um movimento que está desconstruindo o amor romântico. Seu eu sou contra o amor? Não, jamais só tenho uma visão crítica e reflexiva sobre o tema. O que você acha de enxergar o amor e o afeto como algo mais amplo, para além do par romântico? Será que amor de amigos, família são menores que o amor romântico? Eu sei que você está ai do outro lado dizendo: Há mais são amores diferentes. Concordo com você meu bem, são amores diferentes e provavelmente você quer um amor caliente que faça seu coração bater mais forte, pulsando só de emoção, que te faz acordar no meio da noite, que deixa você ansioso (a), com os olhos grudados na tela do celular a espera de uma resposta. Como diria Paralamas do Sucesso: Não pediu que eu ficasse, mas sabe que na volta ainda vou estar aqui.

Mas esse é a questão, o amor romântico está pautado na impossibilidade, em um amor idealizado, que aponta o outro como perfeito (algo que não existe). Será que não é por isso que você fica aprisionado nessa relação sem definição? Será que esse tipo de amor não mina sua saúde mental? Então acorda pra vida bebê!!!! Isso aqui é Brasil e o século é XXI. O que você acha de um amor possível? De primeiro cuidar da sua casa interna / coração, antes de convidar alguém para entrar? Vai que nesse momento você se descobre como alguém bastante interessante e digno de amor?

Não estou dizendo para você se fechar, longe disso eu estou dizendo é para você se abrir para a vida, apreciar cada momento sem estar se martirizando com as pressões sociais que apontam que você precisa estar com alguém. A vida é agora, não se prenda a padrões, seja gentil consigo hoje!!!! E se aparecer uma pessoa, que não fecha com os sonhos/ ideais? Mas é claro que ele/ela não vai fechar a vida não é uma novela. E não estou dizendo que se jogue nos braços do primeiro(a) que quiser. Mas apenas sai do alto da torre, fura a bolha de expectativas e se permite conhecer, conversar, deixar as coisas fluírem no seu tempo. Aproveitando a experiência no presente e se relacionando de igual para igual, sem precisar ficar trabalhando e se desgastando pra ganhar um like. Será que realmente você precisa ser escolhido(a). Eu acredito que podemos nos escolher e não nos encolher!!!!

Escolha o que é melhor pra você!!! Somos seres faltosos, quando nos acolhemos, nos cuidamos e acarinhamos passamos a ser menos exigentes com o outro e a enxergar as coisas como de fato são. Vale ressaltar a importância da rede de apoio: família, amigos e demais grupos. Bora, acalmar esse coração cansado(a)?!Colocar as pernas para o alto, se espreguiçar e apreciar as dores e sabores de ser quem se é. Apesar das adversidades a vida é bem gostosa. Será que você não está vendo a vida passar, a espera de alguém que não vai chegar? (príncipe e princesa). O que você não pode é perder saúde em busca de ideais inalcançáveis. Um grande abraço!!! E até a próxima. Se cuida daí que eu me cuido daqui!!!Freud, S. (1996).

Sobre o Narcisismo. In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud Vol.XIV. (pp. 81-108). Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1914).

PUBLICIDADE

Escrito por

Silvia Helena de Amorim Martins

Ver perfil
Deixe seu comentário

PUBLICIDADE

Comentários 1
  • karol

    Nossa, muito bom esse artigo!! o humor na escrita é o melhor. Já até salvei a página pra ler novamente e indicar!!!!!

últimos artigos sobre autoestima