Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Como pensar de maneira mais assertiva

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Como reagimos às situações difíceis pode ser determinante para nossa qualidade de vida. Assim, aprender a pensar de uma forma mais assertiva colabora para nosso bem-estar físico e emocional.

2 ABR 2019 · Leitura: min.
Como pensar de maneira mais assertiva

Você já parou para refletir sobre como lida com as situações difícies do seu dia a dia e como isso pode afetar o seu bem-estar físico e emocional? Se você é tomado por pensamentos negativos, provavelmente, terá menos confiança em seu potencial e menor capacidade de solucionar seus problemas. O contrário também ocorre. Ao ter uma postura mais positiva diante das adversidades, fica mais fácil vencê-las. Segundo Donald Meichenbaum, precisamos seguir três fases para conquistar uma maneira mais assertiva de pensar:

  • Na primeira fase, você deve estabelecer um diálogo interno utilizando uma escuta bem atenta e observando seus comportamentos, esforçando-se para se tornar ciente dos rótulos negativos que coloca em si mesma/o. Uma forma fazer isso é pensar em adjetivos negativos e anotar aqueles que você usa para se definir, como por exemplo: "sou burro".

assertivo.jpg

  • Na segunda fase, você tem como objetivo criar um pensamento oposto ao que você marcou, por exemplo trocar o "sou burro" por "não sou burro, apenas não consegui entender, então vou buscar uma outra forma de compreender". Pense que você é como um advogado de defesa, onde necessita criar todos os argumentos possíveis e imagináveis para defender seu cliente. Ao criar pensamentos otimistas, você deve passar a repeti-los diariamente como se fossem um mantra, para que, assim, você de fato passe a acreditar neles e comece a viver a sua vida enxergando seus desafios de uma maneira mais assertiva.
  • Por fim, na terceira fase você precisa desenvolver novas habilidades. Passe a executar ações que sejam condizentes com os pensamentos otimistas que você criou. Por exemplo, ao criar o pensamento "não sou burro, apenas não consegui entender, então vou buscar uma outra forma de compreender", você também deve trocar o comportamento de desistir por um comportamento de buscar uma outra maneira de compreender. Vamos supor que você não entendeu determinada atividade que seu chefe pediu para você fazer da maneira que ele explicou. Você pode, então, procurar um colega de trabalho e pedir que ele te ajude a entender melhor o que é necessário ser feito para cumprir a tarefa. Pode ser que esse seu colega explique de uma maneira diferente e isso que faça com que você compreenda como a atividade deve ser feita.

Seguindo essas três fases você conseguirá avaliar e reagir de maneira mais eficaz aos eventos do dia-a-dia. Mas se mesmo assim estiver difícil de lidar com tudo isso, não hesite em buscar ajuda de um psicólogo.

Pratique e seja feliz. Até a próxima!

Por Priscila Ramalho, psicóloga inscrita no Conselho Regional de Psicologia de São Paulo 

Fotos: MundoPsicologos.com 

Escrito por

Priscila Ramalho Psicologia

Ver perfil
Deixe seu comentário