Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Bater para educar… será?

Neste texto iremos abordar um tema polêmico, mas importante, vamos falar sobre a questão do bater para educar, que está mais para bater por uma questão cultural que precisa ser mudada. O mês

20 ABR 2018 · Leitura: min.
Bater para educar… será?

Neste texto iremos abordar um tema polêmico, mas importante, vamos falar sobre a questão do bater para educar, que está mais para bater por uma questão cultural que precisa ser mudada. O mês de abril é marcado pelo dia mundial da conscientização do Autismo que foi no dia 02 de abril, além disso o mês de abril é o mês da prevenção aos maus tratos da criança.

No Seminário sobre o autismo que postei na semana passada, Rio TEAMA – O Autismo tem tratamento, tivemos várias palestras excelentes, com a Dra. Katia Moritz, Dr. Carlos Gadia, Dra Erin Lozzot, o Grupo Gradual e outras participações. Mas uma coisa que me chamou muito a atenção foi que a Dra. Moritz abordou um tema muito importante que é a agressão física como forma de educar. Vou contar um segredo para vocês: Então, não funciona!

Ela nos contou que nos EUA quando chega no consultório a informação de que uma criança foi agredida pelos pais, os psicoterapeutas são obrigados a reportar o fato para as autoridades. A criança quando é agredida aprende que ela apanha quando faz algo de errado. E o que mais ela aprende? Nada! Ela não aprende a maneira certa de fazer ou agir. A criança é um ser em desenvolvimento e é dever dos pais ajudá-la nisso orientando, guiando, educando. O que acontece é que muitas das vezes esses pais não têm paciência para lidar com os comportamentos típicos da criança e batem. Por exemplo, a criança faz uma coisa que o pai não gosta, o pai fala uma vez e a criança não para. O pai fala outra e vez e a criança continua. E a próxima vez é quando geralmente os pais perdem a paciência e batem na criança. Mas aí eu te pergunto: Parar porquê? Em que momento você explicou para a criança o porquê de ela não poder fazer aquilo? Em que momento a criança aprendeu? Ela ouviu que você não quer que ela faça, mas porquê? Sente com seu filho e explique para ele. Nossa cultura tende a subestimar a inteligência das crianças, pois se acredita que elas não são capazes de entender o que ensinamos, mas se assim fosse, não haveria motivos para os pais gastarem uma fortuna com mensalidades na escola e materiais escolares, ninguém iria para escola aprender, era só apanhar todos os dias.

O segredo é ter paciência. Tente se lembrar de quando você era criança e não sabia das coisas e, de com o teria sido diferente se seus pais tivessem te ensinado ao invés de punir.Texto: Adam Pereira

Escrito por

Adam Pereira Leite

Ver perfil
Deixe seu comentário

últimos artigos sobre terapia familiar