Reflexão: a transformação da figura paterna

Como o papel do pai na educação dos filhos vem mudando ao longo das décadas? Saiba o que dizem os últimos estudos sobre o tema e participe dessa discussão com outros profissionais da área.

21 OUT 2014 · Leitura: min.
Reflexão: a transformação da figura paterna

Como o papel do pai na educação dos filhos vem mudando ao longo das décadas? E como isso se reflete em nossos vidas? Saiba o que dizem os últimos estudos sobre o tema e participe dessa discussão com outros profissionais da área.

Até poucas gerações atrás, a figura de pai que predominava era o de chefe da família e provedor financeiro, sendo que os cuidados da casa e dos filhos ficava a cargo da mulher. Isso determinava como se constituía a estrutura social da época, seja dentro da família ou na emancipação profissional e pessoal do filho.

Na verdade, é possível até dizer que os próprios estudos no campo da psicologia "menosprezavam" a importância da figura paterna. Considerava-se a mãe como figura principal e o pai como uma entre outras influências no desenvolvimento da criança.

Um reviravolta nas últimas décadas

Só depois da década de 70, a psicologia passou a tratar a paternidade com outros olhos e desde então a família patriarcal vem sendo contestada. A figura paterna passa a adquirir novas características e valores de maneira inédita na história da civilização.

Isso não foi por acaso. Dentre uma série de motivos, a entrada da mulher no mercado de trabalho e o aumento no número de divórcios fizeram com que as mães precisassem de ajuda para cuidar dos filhos. E partir daí, a sociedade começou a questionar o papel dos pais.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Pew Research Center, o número de pais que passam a ficar em casa para cuidar das crianças cresceu significantemente nas últimas duas décadas. O mesmo estudo, no entanto, ressalta que estamos em um processo de transição. Por isso, ainda prevalece a ideia do pai com um papel coadjuvante.

Qual a importância dos pais no desenvolvimento dos filhos?

Paul Raeburn em seu livro “Do Fathers Matter?" defende que os pais podem desempenhar diversos papéis na família, como ser um modelo de moralidade e representar proteção para criança, além de ajudar com cuidados diários e dar apoio emocional à mãe.

Como era de se esperar, inúmeros estudos evidenciam que uma educação mais ativa e carinhosa por parte dos pais está associada a melhores habilidades verbais, funcionamento intelectual e desempenho acadêmico entre os adolescentes.

flickrkellysikkema.jpg

Ao contrário do que se pensava há algumas décadas, hoje considera-se que a presença do pai é tão fundamental quanto a da mãe. Também defende-se que, quando os dois dividem os papéis de autoridade e afeto, a criança tem um melhor desenvolvimento sócio emocional e cresce com maior segurança, autoestima e independência.

Como se reflete na sociedade e no seu consultório

As consequências desta nova “consciência" que vem se criando a respeito da importância da figura paterna se traduz em novos hábitos e comportamentos na família e na sociedade.

No artigo “A importância da figura paterna para o desenvolvimento infantil", publicado pela doutora em psicologia Edyleine Benczik, observa-se que, neste momento de transição, os pais não mudam radicalmente ou trocam de papéis com as mães, mas sim adicionam outros novos, além do papel de autoridade. O pai de hoje divide as tarefas domésticas, leve o filho à escola, brinca junto e fica em casa quando adoecem.

Na mesma pesquisa de Edyleine Benczik, afirma-se que a tendência é vermos pais cada vez mais próximos de seus filhos, seja do ponto de vista social, emocional e cognitivo. Por outro lado, ainda encontramos muitas famílias nas quais os pais não desejam ou não acreditam serem capazes de ocupar novo papéis. Em alguns casos, a própria mãe também apresenta resistência em ceder e dividir responsabilidades.

Já dá para imaginar como isso afeta o seu trabalho. Fica na mão de educadores, pedagogos e psicólogos a complexa tarefa de orientar e conscientizar as famílias sobre essa nova estrutura familiar.

E você? Já teve alguma experiência profissional em torno deste tema? Compartilhe suas opiniões nos comentários.

Fotos por ordem de aparição: Lies Thru a Lens e Kelly Sikkema (Flickr)

psicólogos
Linkedin
Escrito por

MundoPsicologos.com

Deixe seu comentário
1 Comentários
  • Marcio

    Bom dia, gostei muito do pequeno artigo e a forma como realmente fala sobre o papel dos pais nos dias atuais. Vale salientar também, o papel paterno, não como a figura de um homem, mas sim também no quesito de funcionalidade e eficácia. Isso porque nos dias atuais, há diferentes modelos de família, então em uma situação de um casal homossexual, ou famílias que funcionam sustentadas somente por uma mãe ou por um pai, o que é o papel do pai nesse contexto? Se analisarmos primitivamente, o papel do homem sempre foi dar segurança à mulher, gerar filhos saudáveis e por essa mesma razão, que mulheres selecionavam seus parceiros de acordo com a lei do "mais forte". Hoje em dia, a mulher está cada vez mais conseguindo seu espaço no mercado de trabalho assim como foi bem descrito no texto, os homens por outro lado, por muitas vezes tomam o antigo papel da mulher em ficar em casa, cuidando de seus filhos. Mas o que quero dizer com isso tudo, é que o papel de pai, é relativo nos dias atuais, e o que conta, não é a posição de ter um "pai", e sim uma figura, seja homem ou mulher, que possa fornecer os subsídios necessários para que aja desenvolvimento saudável da criança.

últimos artigos sobre terapia familiar