O que fazer enquanto espero um novo amor?

Estar solteira pode ser um grande desafio para muitas pessoas! Pensando na tristeza e na autossabotagem que pode ocorrer na espera por um novo amor, preparamos este artigo!

21 OUT 2021 · Leitura: min.

PUBLICIDADE

O que fazer enquanto espero um novo amor?

É incontestável que relacionamentos e a realização na vida amorosa é algo muito importante para grande maioria das pessoas. Mas se tratando de algo que não podemos controlar enquanto aguardamos um novo amor, o que podemos fazer para lidar melhor com este momento de espera?

Elaboramos 5 reflexões para te ajudarem neste momento!

1) Elabore o relacionamento anterior!

Todo término de relacionamento leva ao processo de elaboração de luto. Muitas vezes por não buscarmos apoio profissional adequado para lidar com este momento e com as etapas do luto sofremos com resíduos dos sentimentos e das mágoas que ficaram do relacionamento passado. Esses resíduos emocionais além de contribuírem para um humor mais deprimido e comprometer as esperanças de perspectivas futuras, prejudicam no quesito de estarmos disponíveis emocionalmente para um novo relacionamento. Por isso, elaborar seu relacionamento passado é o ponto de partida para busca de um novo amor!

2) Entenda o que você busca em alguém!

Embora nossas experiências e vivências anteriores proporcionem amadurecimento, nem sempre materializamos esse aprendizado que pode contribuir na compreensão do que estamos buscando em alguém! Tente materializar o que você busca em um novo parceiro colocando no papel tudo que você gostaria que essa pessoa possuísse e tudo aquilo que não toleraria. A proposta não é idealizarmos alguém perfeito, mas sim esclarecer as ideias do que esperamos de alguém e de um relacionamento, tornando mais consciente e assertiva nossas escolhas ao se permitir conhecer alguém novo.

3) Se analise e verifique se você é compatível com o que está buscando!

Esta é uma reflexão chave quando estamos na busca de um novo amor! Muitas vezes, como proposto no exercício anterior, idealizamos inúmeras qualidades em nosso futuro parceiro, mas nem sempre possuímos tais qualidades. Pense que para um relacionamento dar certo, é necessário existir compatibilidade e você deve ser compatível com aquilo que almeja ou idealiza. Por exemplo: você busca alguém leve. Se questione: eu me considero uma pessoa leve? Divertida? Bem-humorada? O processo de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal influencia diretamente no encontro de parceiros compatíveis que favorecerão uma relação mais saudável e duradoura.

4) Não se desespere!

Muitas pessoas se assustam com o status de "solteira" e o associam a solidão e infelicidade. Não se desespere! Lembre-se sempre que relacionamentos podem nos complementar mas não completar! Se você se sente assustada ou deprimida em estar sozinha, repense seu círculo social, comece novas atividades, conheça pessoas novas, retome hobbies. Antes de sermos felizes com alguém precisamos ser felizes com quem somos e apreciar nossa própria companhia. Busque momentos prazerosos consigo mesma ou com amigos! Não deixe de viver por não estar namorando. Além disso, quando temos muito anseio por ter alguém ao nosso lado, temos nossa crítica prejudicada na escolha do parceiro, porque se torna mais importante ter alguém do que estar bem acompanhada. Pense nisso!

5) Cuide de si!

Para esta reflexão gostaria de usar um trecho de um poema de Mário Quintana: "O segredo é não correr atrás das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até você.

No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!". Pratique o autocuidado em todos os sentidos: interior, exterior, saúde física, saúde mental, tenha planos, invista na sua carreira... A autoestima é a grande chave para sermos felizes acompanhadas ou não! Invista em si mesma!

Conte com apoio profissional!

Para todas as reflexões mencionadas a psicoterapia, por ser um processo de autoconhecimento e fortalecimento emocional, poderá lhe auxiliar nesta espera e no desenvolvimento para ser alguém mais realizada. Não deixe de procurar ajuda!

Referências Bibliográficas

A psicanálise pode ser diferente; PARANÁ SANCHES, G.

Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais; DSM-5

PUBLICIDADE

Escrito por

Maitê Hammoud

Psicóloga
Número do CRP: 06/112988

Psicóloga clínica com curso de aperfeiçoamento em psicanálise, é especialista no atendimento de adolescentes, adultos e terceira idade. Seguindo a abordagem psicanalítica e da terapia breve, atua com foco em transtornos emocionais e comportamentais, relacionamentos interpessoais e questões familiares.

Ver perfil
Deixe seu comentário

PUBLICIDADE

últimos artigos sobre autoestima