Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Entenda como identificar e tratar o TOC

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

O TOC costuma ser detectado em ações do cotidiano que podem parecer simples e rotineiras. As quais, no entanto, podem interferir negativamente em relações pessoais e profissionais.

2 JAN 2017 · Leitura: min.
Entenda como identificar e tratar o TOC

O Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) é um transtorno mental definido por obsessões e compulsões recorrentes, as quais são suficientemente graves por causar sofrimento notável e inúmeros prejuízos à qualidade de vida da pessoa. Entenda mais neste artigo da psicóloga Maitê Hammoud.

O TOC manifesta-se desde sintomas considerados mais simples (verificações, limpeza) até mais complexos (culpa excessiva, inapropriada, necessidade de simetria), os quais possuem como denominadores comuns:

  • Falta de flexibilidade;
  • Repetições estereotipadas;
  • Exagero da responsabilidade e/ou fragilidade;
  • Tentativa de resistir às compulsões;
  • Impossibilidade de chegar ao fim;

O que são obsessões e compulsões?

A obsessão é caracterizada por pensamentos, impulsos ou imagens persistentes, intrusivos e inapropriados que causam acentuada ansiedade. Já a compulsão é marcada por comportamentos repetitivos ou atos mentais conscientes, padronizados e recorrentes que consistem em tentativa de reduzir a ansiedade associada à obsessão.

As causas e origens do TOC

A causa do TOC ainda é foco de estudos e investigações, mas entende-se que é fruto da combinação de fatores genéticos e ambientais. Trata-se do 4º diagnóstico psiquiátrico mais comum no mundo e a idade média de início dos sintomas é aos 19 anos. Dentre os inúmeros sintomas, variando o grau de intensidade, vale ressaltar como principais:

  • Pensamentos, impulsos ou imagens recorrentes que são experimentados como intrusivos e inadequados, causando ansiedade;
  • A pessoa tenta ignorar, suprimir ou neutralizar um pensamento por meio de outros pensamentos ou ações;
  • Comportamentos repetitivos (lavar as mãos, organizar, verificar) ou atos mentais (orar, contar, repetir palavras em silêncio);
  • Comportamentos ou atos mentais que visam prevenir, reduzir ou evitar algum sofrimento ou situação temida;
  • As obsessões ou compulsões consomem pelo menos 1 hora da rotina diária ou interferem significativamente no cotidiano, no funcionamento ocupacional, nas atividades ou relacionamentos sociais habituais;
  • A crítica é preservada e a pessoa reconhece as obsessões e compulsões como excessivas e irracionais;

Conheça os tipos de TOC

Além de se manifestar em diferentes graus, o Transtorno Obsessivo Compulsivo pode ser verificado de distintas maneiras, como:

  • Verificação: verificação e preocupação excessiva com atos como checar gás, as torneiras, as fechaduras, os alarmes, as rotas, as portas, entre outros;
  • Contaminação: necessidade constante de limpar e lavar com medo de que algo esteja contaminado e que possa causar doenças e até mesmo a morte. Normalmente os pensamentos e comportamentos estão vinculados à limpeza de banheiros públicos, de hospitais, ao tocar maçanetas ou telefones públicos, ao tocar pessoas, ao evitar objetos ou manchas. Ainda ao temor em se alimentar em locais públicos, por exemplo;
  • Acumulação: incapacidade de descartar bens inúteis ou desgastados;
  • Necessidade de simetria: preocupação exagerada com ordem, organização e simetria;
  • Pensamentos intrusivos e dúvidas patológicas: pensamentos persistentes e intrusivos que podem estar associados a dúvidas obsessivas sobre adequação nos relacionamentos e sobre a fidelidade do seu parceiro. Também temores agressivos ou sexuais (com medo de ser violento, de causar dano a terceiros ou ser pedófilo). Ainda pensamentos religiosos, gerando intensa culpa por acreditar sempre estar cometendo um pecado, assim como a necessidade excessiva de orações ou de idolatrar/possuir rituais com objetos religiosos, como terços ou estatuetas;

shutterstock-721518721.jpg

Tratamento e reflexões para a identificação do transtorno

Se você se identificou com qualquer um dos aspectos do Transtorno Obsessivo Compulsivo, algumas perguntas podem lhe auxiliar na reflexão e na busca por ajuda e tratamento:

  • Você tem pensamentos desagradáveis dos quais não consegue se livrar?
  • Você tem medo de impulsivamente agredir alguém?
  • Você tem que lavar as mãos, contar ou checar coisas repetidamente?
  • Você se preocupa muito se tem sido imoral ou realizado rituais religiosos de forma correta?
  • Há a necessidade de as coisas estarem simetricamente arrumadas?
  • Você acha que essas preocupações e comportamentos interferem no relacionamento com sua família, no trabalho ou em atividades sociais?

Se sua resposta foi "sim" para uma das questões anteriores, não deixe de procurar ajuda de um profissional para avaliação.

Para o tratamento do TOC, normalmente é indicada a orientação psiquiátrica com suporte de medicamento para diminuição de sintomas e ansiedade. Também o acompanhamento psicológico para que, através da psicoterapia, seja investigada a natureza dos sintomas, possibilitando o controle das obsessões e compulsões, além de contribuir diretamente para saúde e qualidade de vida da pessoa.

Fotos: por MundoPsicologos.com

Escrito por

Maitê Hammoud

Ver perfil
Deixe seu comentário

últimos artigos sobre toc