MundoPsicologos.com
No Google Play Na App Store

É melhor se casar com um amante apaixonado ou com o melhor amigo?

Na hora de garantir um relacionamento duradouro, o que pesa mais? Sexo ou companheirismo? É melhor casar com um amante ou um amigo? Se você tem dúvidas sobre a resposta, não perca o artigo!

27 Jun 2018 Casais - Leitura: min.

psicólogos

Cada relacionamento é um mundo, repleto de satisfações, mas também permeado por dificuldades. Como garantir o êxito na relação de casal? Para que um relacionamento seja duradouro, o que é melhor: ter como companheiro um amante apaixonado ou um melhor amigo?

Se você ficou na dúvida, é hora de conhecer a resposta. Segundo estudo publicado recentemente no Journal of Hapiness Studies, as pessoas que se casam com seu melhor amigo têm uma maior satisfação se comparadas às que se casam com um amante apaixonado. Por que isso acontece?

De acordo com os investigadores Shawn Grover e John F. Helliwell, da Universidade de Economia de Vancouver, a amizade entre o casal aumenta a sensação de bem-estar na convivência, chegando a ser duas vezes maior que nos casais "amantes". E há uma explicação fisiológica para isso.

Nesse tipo de casal, os níveis de cortisol são mais baixos, o que se traduz em mais estabilidade e menos stress, já que o hormônio, quando em altas quantidades, desencadeia uma série de respostas físicas ligadas a situações de emergências, como aumento da pressão arterial e dos níveis de açúcar no sangue.

shutterstock-423478507.jpg

Sem data de validade

Para chegar às conclusões, Grover e Helliwell analisaram os dados de uma enquete feita a mais de 30 mil pessoas no Reino Unido, entre os anos de 1991 e 2007. Também utilizaram os dados do censo populacional realizado entre os anos de 2011 e 2013, que reuniu informação de aproximadamente 330 mil pessoas.

Surpreendentemente, quase 50% dos participantes afirmou ter se casado com a pessoa que, na época, consideravam seu melhor amigo.

"Sentir estabilidade no relacionamento é fonte de tranquilidade e segurança, o que aumenta a satisfação. Além disso, casar com uma pessoa na qual depositamos a mesma confiança que a um amigo, confere um extra de serenidade."

Ainda conforme o estudo, outra conclusão importante é que o bem-estar experimentado pelos casais "melhores amigos" costuma ser duradouro. Os participantes seguiam juntos passados diversos anos, e se confirmavam como mais satisfeitos que os solteiros ou separados.

Apesar disso, é importante entender que não há uma fórmula única, e que viver em casal não precisa ser o caminho para todos. O mais importante é encontrar a forma de conviver que mais satisfação te propicia, casados ou separados e mantendo encontros eventuais.

Cuidado com a má interpretação

Não se trata de levar os resultados do estudo ao extremo e tratar de se apaixonar pelo melhor amigo, como se essa fosse a única forma de alcançar satisfação na vida emocional. De acordo com psicólogos especializados em relacionamentos, o caminho mais indicado seria buscar construir uma sólida amizade com a pessoa escolhida como companheiro.

Se seu companheiro já era seu amigo anteriormente, perfeito! Você já deu um passo importante. Mas se não é assim, não precisa desanimar ou desistir. Você pode promover situações e experiências que possibilitem transformar essa relação em algo mais, algo que além da atração física e emocional, que se consolide numa sincera amizade, sem deixar de desfrutar de todos os momentos desse processo.

Ser um casal "melhores amigos" não significa dar menos importância à intimidade e ao sexo; a implicação emocional e o desejo quase sempre caminham de mão dadas, o que ajuda a fortalecer o vínculo e a reservar momentos de pura paixão. E se você sente que seu relacionamento não vai tão bem quanto gostaria, talvez seja o momento de buscar ajuda de um terapeuta de casal.

Fotos: MundoPsicologos

0 Curtir

Deixe seu comentário

INFORMAÇÃO BÁSICA SOBRE PROTEÇÃO DE DADOS
Responsável: Verticales Intercom, S.L.
Finalidades:
a) Envio de solicitação ao cliente anunciante.
b) Atividades de publicidade e prospecção comercial, por diferentes meios e canais de comunicação, de produtos e serviços próprios.
c) Atividades de publicidade e prospecção comercial, por diferentes meios e canais de comunicação, de produtos e serviços de terceiros de diferentes setores de atividade, podendo implicar repasse dos dados pessoais a esses terceiros.
d) Segmentação e elaboração de perfis para fins publicitários e para prospecção comercial.
e) Gestão dos serviços e aplicativos oferecidos pelo Site ao Usuário.
Legitimação: Consentimento do interessado.
Destinatários: Está previsto o repasse dos dados aos clientes anunciantes para atender suas solicitações de informação sobre os serviços anunciados.
Direitos: Tem o direito a acessar, retificar e eliminar os dados ou se opor ao tratamento dos mesmos ou a alguma das finalidades, bem como outros direitos, como se explica na informação adicional.
Informação adicional: É possível consultar a informação adicional e detalhada sobre Proteção de Dados em br.mundopsicologos.com/proteccion_datos

Comentários (1)

Você não pode deixar de ler...