MundoPsicologos.com
No Google Play Na App Store

Como sair de um relacionamento abusivo

Para sair de um relacionamento abusivo, não basta se reconhecer no sofrimento. A saída começa quando a pessoa vê que é possível estar em outro tipo de relação, mais saudável e equilibrada.

12 Fev 2019 Atualidades sobre psicologia - Leitura: min.

Florianópolis Santa Catarina

Vários são os motivos para entrar ou manter um relacionamento abusivo, desde a insegurança até a autodesqualificação, achar que a outra pessoa lhe traz segurança, baixa autoestima, sentir-se amada/o, considerar que mais ninguém lhe fará feliz, o prazer na sexualidade, entre tantas outras razões. Porém, o que faz a pessoa não conseguir sair de um relacionamento considerado abusivo e que lhe faz mal?

Não basta se reconhecer no sofrimento e saber que está vivendo um relacionamento abusivo, pois isto não é suficiente para a pessoa escapar do julgamento do outro. A saída começa quando a pessoa visualiza outra forma de relacionamento, o qual lhe faz muito mais sentido, um cenário que deseja para si. Quando isto ocorre, possibilita a pessoa avaliar seu relacionamento com outros parâmetros. E, dessa forma, ela consegue perceber o que está vivendo de negativo, com a possibilidade de lutar para alcançar o que imaginou.

relacionamentoabusivo2.jpg

Não tenha medo da solidão

Para facilitar a visualização desse novo cenário é possível prestar atenção em outros relacionamentos, viajar para conhecer novas culturas, ler e se instruir a respeito do que é um relacionamento saudável, estudar sobre bem-estar e qualidade de vida. E com essas informações montar o cenário de vida que deseja para si. Uma dica importante é antes de imaginar esse novo cenário, eliminar as barreiras que encontra na vida real. Por exemplo, a pessoa que tem medo da solidão, e por isso pensa que mesmo não estando em boa companhia é melhor do que viver a solidão, deve nesse caso pensar o seguinte “se não tivesse medo da solidão, o que eu faria”. Então passar a imaginar como deveria ser sua relação. Tentar não imaginar rostos, se deixar livre para compor imaginariamente a relação que deseja ter.

Esses cenários positivos, que trazem a sensação de realização, são ideias para fazer frente ao relacionamento abusivo que está vivendo, e servirem de motivação para escapar de quem lhe subjuga. Porém nem sempre é fácil fazer sozinho. Caso tenha dificuldade de identificar o que realmente quer para si, de tomar uma atitude ou mesmo buscar orientação em como lidar com a outra pessoa no momento do término, procure ajuda de um psicólogo.

Artigo escrito pelo psicólogo Flávio Melo Ribeiro, inscrito no Conselho Regional de Psicologia de Santa Catarina. CRP 12/00449 

Fotos: MundoPsicologos.com

1 Curtir

Deixe seu comentário

INFORMAÇÃO BÁSICA SOBRE PROTEÇÃO DE DADOS
Responsável: Verticales Intercom, S.L.
Finalidades:
a) Envio de solicitação ao cliente anunciante.
b) Atividades de publicidade e prospecção comercial, por diferentes meios e canais de comunicação, de produtos e serviços próprios.
c) Atividades de publicidade e prospecção comercial, por diferentes meios e canais de comunicação, de produtos e serviços de terceiros de diferentes setores de atividade, podendo implicar repasse dos dados pessoais a esses terceiros.
d) Segmentação e elaboração de perfis para fins publicitários e para prospecção comercial.
e) Gestão dos serviços e aplicativos oferecidos pelo Site ao Usuário.
Legitimação: Consentimento do interessado.
Destinatários: Está previsto o repasse dos dados aos clientes anunciantes para atender suas solicitações de informação sobre os serviços anunciados.
Direitos: Tem o direito a acessar, retificar e eliminar os dados ou se opor ao tratamento dos mesmos ou a alguma das finalidades, bem como outros direitos, como se explica na informação adicional.
Informação adicional: É possível consultar a informação adicional e detalhada sobre Proteção de Dados em br.mundopsicologos.com/proteccion_datos

Você não pode deixar de ler...