Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Brincar não é brincadeira!

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Diante do cenário atual, é cada vez mais raro vermos crianças brincando.... Geralmente as brincadeiras acontecem com algum eletrônico na mão. As brincadeiras são fundamentais...

27 JAN 2017 · Leitura: min.
Brincar não é brincadeira!

O título parece um pouco confuso, mas é exatamente sobre isso que vamos falar: a importância do brincar para as crianças.

Toda criança deve brincar, independente da idade, classe social, cultura...A criança quando está brincando precisa ser respeitada, pois é através da atividade lúdica que a criança se prepara para a vida. A criança brinca a todo momento, e isso é fundamental para o seu desenvolvimento. A brincadeira traz a criança vantagens sociais, cognitivas (aprendizagem/conhecimento) e sociais, o brincar é um aspecto fundamental para se chegar ao desenvolvimento integral da criança.

Os motivos pelos quais as crianças brincam são bem sérios e estão longe de ser somente "brincadeira", entre eles estão: controlar a ansiedade, comunicar-se com as pessoas, estabelecer contatos sociais, expressar agressividade (deve-se aceitar a presença da agressividade na brincadeira da criança). Brincar é a forma mais completa que a criança tem de se comunicar com o mundo.

O brincar para a criança é espontâneo, natural, tão próprio da criança que não haveria como entender sua vida sem brinquedo. O brinquedo é o suporte da brincadeira, porém é perfeitamente possível brincar somente com a imaginação; o brinquedo, portanto, é o facilitador, sem o brinquedo é muito mais difícil realizar a atividade lúdica, porque é ele que permite simular situações: brincar de bombeiro, médico, casinha, etc. Se a criança gosta de brincar, logo gosta também de brinquedos.

As crianças precisam brincar, precisam ser crianças. A infância contemporânea tem perdido muito com a falta de tempo para brincar, em meio a tantas atividades às quais são introduzidas tão precocemente. A exposição ao consumo levam pais a acreditarem que o brinquedo mais caro, com mais funções será o melhor meio para a criança brincar, isso não é verdade, nem sempre o brinquedo mais atrativo proporciona à criança a melhor brincadeira, pois brincadeira boa é aquela onde proporciona o desenvolvimento da imaginação. Quanto mais atraente é o brinquedo, mais distante estará do seu valor como instrumento do brincar, pois não exigirá da criança muita imaginação. O brinquedo tem um importante papel na brincadeira, mas a brincadeira sempre será mais importante que o brinquedo.

Escrito por

Camila Generoso

Ver perfil
Deixe seu comentário

últimos artigos sobre psicologia da educação