Autoestima e dependência emocional

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Para evitar sentimentos negativos a pessoa pode passar a vida sem exigir que os outros respeitem suas necessidades. Essa é uma das características da dependencia emocional.

12 Jun 2019 · Leitura: min.
Autoestima e dependência emocional

A dependência emocional se caracteriza pelo sofrimento da pessoa que depende da opinião dos outros para tomar a maioria das suas decisões. Na família, no círculo de amigos ou até mesmo no trabalho ela é bombardeada por conselhos e opiniões dos outros e aos quais ela segue em detrimento dos seus próprios sentimentos.

O padrão de comportamento dependente surge na infância, numa determinada fase em que a criança precisou realmente de cuidados extras ou os seus cuidadores foram muito controladores. De qualquer forma ela desenvolveu medos e sentimentos de incapacidade de se autocuidar exagerados e surgiu nela a necessidade de pedir sempre a confirmação do outro.

Para ser aceita, cuidada e amada, a criança passou a depender do outro para a maioria de suas decisões e se tornou dependente. Naquela fase esse comportamento lhe foi útil pois evitou que fosse criticada e repreendida e portanto evitou o seu sofrimento e lhe deu o prazer de ser aceita. Não raro, como adolescente ou adulta, essa pessoa continua com o mesmo padrão de comportamento dependente e, quando precisa decidir sozinha, surgem sentimentos de abandono e medo.

Situações de conflitos internos podem surgir quando a pessoa passa a perceber seus próprios desejos e sentimentos, mas fica insegura na hora de tomar uma decisão ou de agir e expressar-se de forma contrária ao que as outras pessoas pensam.

Ela teme ser criticada e abandonada. Ela pensa que precisa ser boazinha para ser aceita. Então, ela pode até seguir padrões de moda, beleza, alimentação, entre outros que são ditados pela sociedade e aos quais ela dá muita importância.

Para evitar esses sentimentos negativos a pessoa pode passar a vida sem exigir que os outros respeitem suas necessidades, sem exercer suas capacidades e sem admitir os seus desejos.

Tratando a dependência emocional

O tratamento preventivo torna-se necessário para que a pessoa se desenvolva com sucesso em todas as áreas da sua vida. A psicoterapia é um processo que trata através da fala do paciente e da observação de seus pensamentos e padrões de comportamentos. Durante o tratamento acontece o desenvolvimento da autoestima, do autocontrole emocional e a pessoa sente-se mais segura e corajosa.

Além da psicoterapia, algumas coisas podem ser feitas na prática que poderão ajudar no aumento da autoestima, como:

  • parar de se criticar
  • deixar de ser pessimista
  • ver o lado bom das coisas
  • substituir os pensamentos ruins por imagens boas e com um bom futuro

A busca de apoio psicológico, o engajamento com afinco no processo de ajuda e o cuidar de si mesmo pode ser comparado com o cuidar de um jardim. No jardim você escolhe as boas sementes, planta em boa terra e rega todos os dias com dedicação para que elas desabrochem com todas as nuances de cores maravilhosas que lhes são próprias.

E você que está lendo este artigo que tipo de flor você quer ser no jardim da sua vida? Já parou para observar como você cuida de si mesmo?

Se você cultivar bons pensamentos sobre si mesmo vai se surpreender com o jardim que verá no futuro.

Tenha paciência para adquirir prática neste cultivar e busque tempo para cuidar de você. Libertar-se de velhos padrões de comportamento e construir um novo comportamento mais libertador requer tempo e dedicação.

Pense positivo sobre você. Mesmo que não tenha recebido amor na infância você pode se desenvolver. Fale bem de você. Trate-se com bondade, faça coisas que você gosta, passeios, relaxamento, visitas, leituras.

A psicoterapia é um processo que pode levar o indivíduo lentamente através das palavras e pensamentos a estimular amorosamente o seu cérebro a desenvolver padrões de comportamentos mais positivos.

Se você leu esse artigo e se identificou com alguma coisa que foi dita e deseja buscar ajuda para ser ouvido na psicoterapia, estou à disposição. Lembre-se: amar-se é pedir apoio.

Escrito por

Psicóloga Maria Nair

Deixe seu comentário
Comentários 1
  • Juliana Ansel Costa

    Gostaria muito de fazer um tratamento com uma psicóloga. Mas infelizmente me encontro desempregada. Sem condições financeiras de arcar com esse compromisso. Mas assim q puder retomarei ao meu tratamento. Sei o quanto isso estava me ajudando a ser alguém melhor pra mim mesma.