Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

7 passos para superar a dependência emocional

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

A dependência emocional oculta uma necessidade de controle e segurança, manifestada por alguém que não confia em si mesmo. Entenda por que é nociva e quais são os recursos para superá-la.

22 AGO 2018 · Última alteração: 21 OUT 2019 · Leitura: min.
7 passos para superar a dependência emocional

Quando o seu bem-estar, sua felicidade ou seu equilíbrio emocional depende de outras pessoas ou do que elas façam, é muito possível que você manifeste claros sinais de dependência emocional. Trata-se de uma condição problemática, que te impede de enfrentar as situações do dia a dia como deveria, seja por falta de autoconfiança ou por medo de ficar sozinha/o.

E você? Já se perguntou qual o seu nível de dependência emocional? Faça o teste para averiguar a resposta:

De acordo com os especialistas, a dependência emocional é alimentada pela baixa autoestima e pela insegurança. Como resposta direta, a pessoa busca externamente no outro, seja no relacionamento de casal, na família ou amigos,  a segurança que não tem em si mesma. Fica "viciada" no que essas relações são capazes de proporcionar e chegam a considerar que é impossível viver sem elas. Imagina o sofrimento emocional que isso representa?

Por isso, para conseguir romper com os elos da dependência emocional e superá-la é fundamental começar a entender de onde vem esse apego, que não tem limite. Isso significa reconhecer medos e limitações, mas também aproveitar o processo de reflexão para entender quais são as suas próprias potencialidades, porque todos as temos.

É possível que se descubram feridas emocionais e situações de instabilidade, mas isso permitirá, aos poucos, ir trilhando um caminho mais autossuficiente. O processo é lento e, na maioria dos casos, merece ser acompanhamento por um psicólogo especializado em desenvolvimento pessoal. Entretanto, você pode começar a mudança ser com pequenos ajustes nos seus comportamentos e posturas:

shutterstock-692559550.jpg

  1. Comece reconhecendo que está dependente: nunca seremos capazes de superar algo que tratamos de negar. O primeiro passo sempre é saber que você se sente dependente emocional e por que existe esse apego desmesurado. Trate de entender o que cada uma dessas relações oferece a você, de positivo e negativo.
  2. Não tenha medo da incerteza: a dependência emocional vem de uma necessidade de controle, porque isso seria sinônimo de segurança. Porém, quando ela se instala, a relação se converte em tóxica. Ter consciência de que o futuro não se controla, de que a única esfera real de influência que temos é sobre nós mesmos (não me sobre os outros), ajuda a encarar o que está por vir com mente mais aberta e com menos medo, já que o incerto não tem porque ser, necessariamente, negativo.
  3. Centre-se mais em você: não se trata de ser uma pessoa egoísta, mas de ter consciência de que o que realmente importa é a sua opinião, o que você pensa sobre você, não a opinião dos demais. E é importante que você trabalhe todos os pontos que ajudam a reforçar a sua identidade pessoal.
  4. Seja capaz de dizer não: faz parte do equilíbrio emocional saber dizer não. Você precisa entender que respeitar o outro não significa abrir mão daquilo que é fundamental para recuperar e manter a sua autonomia emocional. Seja assertiva/o e respeite sua individualidade.
  5. Não viva do passado: o passado ensina e, nesse sentido, é sempre uma referência. Mas isso não quer dizer que você deva estar presa/o a essas experiências, especialmente as negativas. Isso é colocar uma carga no presente totalmente desnecessária. O grande aprendizado consiste em justamente ser capaz de trasladar as lições do passado e aplicá-las ao presente, para fazer melhor, ser melhor e se sentir melhor.
  6. Questione as suas regras: está claro que todas as experiências vividas ajudam a conformar as "regras" e crenças quando se trata de relacionamento, por exemplo. O problema é que essas regras nem sempre são objetivas ou refletem a realidade. Daí a importância de revisá-las constantemente, em função de quem você é no "agora" e de quais são as suas necessidades.
  7. Assuma a responsabilidade das suas emoções: os sentimentos pertencem à pessoa, e é contraproducente querer colocar a culpa dessas manifestações em causas externas; seria assumir uma postura vitimista. Você precisa entender que tem o controle e, exatamente por isso, é responsável por como manifesta suas emoções.

Para superar a dependência emocional é fundamental que você aprenda a estar bem sozinha/o. Saiba que isso é possível! Não deixe de pedir ajuda profissional se precisar de suporte para alcançá-lo.

Fotos: MundoPsicologo.com

psicólogos
Linkedin
Escrito por

MundoPsicologos.com

Deixe seu comentário
27 Comentários
  • Natália Klein

    Vejo q existem homens tbem com esse problema, não apenas mulheres. Só não entendo porque esses homens e essas mulheres dependentes não se apaixonam entre si. Parece q todo dependente busca uma pessoa super independente q o machuque, é como se precisássemos estar neste caos pra funcionar. As vezes olho a meu redor e não entendo como caio em situações do gênero. É como se uma força interna grande só me atrai para pessoas q não me valorizam, não gostam de mim. Contraditório de muitos depoimentos eu me acho uma mulher interessante, culta, bonita, viajada, que lê muito. Tive uma carreira profissional brilhante, ganhei dinheiro, fui muito respeitada no meio em q trabalhava. Hj não trabalho e vivo de rendimentos... mas não canso de me questionar como uma mulher como eu pode ser tão dependente emocionante assim? Como posso ser tão eficiente e afiada no campo profissional e tão ruim no campo afetivo? Não consigo me entender, não consigo encontrar equilíbrio entre esses dois lados da minha pessoa... e sofro... sofro imensamente...

  • Sam Cris

    Eu tenho dificuldade para sair de um relacionamento, é o tal não saber dizer NÃO. Eu penso hoje saio de casa, quando chego ele fez janta, bolo, ta me esperando pro café, me manda mensagens de amor o dia todo e me quebra ao meio, como se eu tivesse que ficar para retribuir ou como se só pudesse ir embora se tivessemos uma briga. Isso também é um tipo de dependência emocional?

  • Luan Santos

    Nossa muito acertivo o teste falou tudo sobre mim!!! Essa é a minha situação atual!!!

  • Neila Mara Alberton

    Sou dependente emocional, casada a 17 anos e me anulei por inseguranças, medos e auto estima nenhuma. Me sinto numa solidão sempre. Me deixo ser usada por amigos, marido e trabalho por não saber dizer não. Confio demasiadamente mais no marido que em mim, me sinto incapaz em quase tudo. Comecei a pouco tempo as terapias com psicólogo e espero recuperar minhas forças e autonomia.

  • Liana de oliveira

    Eu sou dependente emocional, estou em um relacionamento tóxico e não consigo sair, e isso está me fazendo mal , tbm tenho medo de terminar e ficar sozinha

  • Manuel

    Eu sempre tive o sentimento de abandono, que ninguém se importa comigo e que eu não valho nada. Mas por uma incrível confluência do destino encontrei um Rapaz fantástico que me abriu as portas do Paraíso. No entanto, quando ele sacou que eu estava profundamente ligado a ele e que sinto um amor indescritível por ele, começou a me "tirar": não liga mais, não responde minhas mensagens em whatsapp, fala comigo sempre rapidamente como se estivesse ocupado com outras coisas etc. Isso me causa grande sofrimento e a certeza, uma vez mais, de que realmente vou seguir pela vida sozinho e que não tenho mesmo nada a oferecer para ninguém. É tão triste isso!

  • Jennifer

    Sempre fui super protegida pela minha mãe, acredito que por ela ter perdido os pais muito jovem ela também possuía medo de me perder. Com isso desenvolvi a dependência emocional. Tenho muita dificuldade em dizer não para as pessoas e expor o que realmente sinto, raramente discordo com alguém ou exponho minha opinião e com isso me sinto impotente o tempo todo. Nunca consigo resolver um conflito devido ter medo de não ser aceita pelas pessoas. No relacionamento e principalmente no trabalho possuo muita dificuldade para tomar decisões e nunca me sinto o suficiente, por vezes penso que não tenho potencial algum para exercer nenhuma função, o que gera muita ansiedade e tristeza, o que posso fazer?

  • Ioná

    Terminei um namoro onde eu estava dependente, estou sofrendo, mas tentando cuidar de mim. A vida é cheia de aprendizados, tem horas que me dá uma tristeza profunda, mas estou tentando me reerguer...

  • Eliana

    Eu sofro desse mau , meu nível é elevado gostaria de ajuda

  • Clariza Florêncio

    Depender de alguém ou de algo pra ser feliz e viver suas emocionais é totalmente sem cogitação.Tento lutar pra ser mais independente dessas emoções,eu vou correr e buscar ser feliz sem precisar de ninguém. Isso que é importante pra mim. E as pessoas que vivem ao seu redor não estão nem aí pra você...


Carregando...