Não pode se deslocar a nenhum consultório?
Encontre um psicólogo online
Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

O que é a midorexia?

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Há pessoas que anseiam permanecer jovens, assumindo comportamentos que podem ser nocivos. A midorexia não deixa de ser uma crise de autoestima. Leia o artigo para entender suas causas.

15 OUT 2018 · Leitura: min.
O que é a midorexia?

O que há de errado em querer continuar se sentindo jovem e cheio de energia? Em teoria, nada. Mas começa a ser um problema quando as tentativas para conseguí-lo escondem, na realidade, uma crise de autoestima. Quando isso acontece,é necessário investigar se a pessoa está sofrendo de um distúrbio chamado midorexia. Já ouviu falar?

A midorexia está intimamente ligada a como se organiza a sociedade e aquilo que se considera "importante". Resume um esforço para viver uma segunda juventude, especialmente no que se refere ao aspecto físico, antes de que seja tarde demais. De acordo com os especialistas, trata-se de um distúrbio que costuma afetar mais mulheres, especialmente na faixa etária dos 40 a 50 anos de idade.. Os homens, contudo, não estão imunes.

Quem tem midorexia procura conservar sua juventude o máximo possível. Essa atitude faz com que, em muitos casos, as mudanças que ela tenta implantar vão além de sua aparência física e até mesmo roupas. Estas pessoas podem se dedicar a fazer planos associados a parceiros mais jovens, além da escolha de bares e restaurantes com um público de outra faixa etária. mas não para por aí. A intensidade desses comportamentos é o que denota o desequilíbrio, porque supera os limites de alguém que esteja preocupado apenas em cuidar da sua saúde e viver com qualidade de vida. 

Gradativamente, quem tem midorexia vai assumindo atividades e opções de lazer mais joviais, por acreditar que são fundamentais para conservar sua juventude. Boates, restaurantes da moda, viagens em grupos, mudança na rede de amigos e, inclusive, nos parceiros sentimentais. Tudo isso é usado como artifício para aparentar uma idade que já não tem.

Não demora muito para que esse esforço para ser jovem ocupe o centro da vida desta pessoa. Em muitos casos, desencadeia conflitos nas relações familiares e sociais, porque é um comportamento obsessivo, difícil de racionalizar.

shutterstock-594164726.jpg

Superando barreiras

Nem todos os efeitos da midorexia são negativos. O esforço para manter um estilo de vida mais jovem pode nos ajudar a não ficar presos a um estilo de vida que seja estável demais e, talvez, entendiante  e pode até auxiliar a superar barreiras relacionadas à idade, dando energia para provar coisas diferentes, se arriscar, enfim, desfrutar da vida como um todo.

Além disso, contribui para ampliar os horizontes sociais, facilitando a criação e manutenção de vínculos independente da idade. Isso sem contar que acaba por combater o sedentarismo, já que o interesse em realizar uma atividade esportiva regularmente aumenta nos casos de midorexia.

Porém, também há muitos riscos. Por mais que não se trate de um transtorno tipificado na Classificação Internacional de Doenças (CID), a midorexia pode ser a porta de entrada para problemas mais complexos, como transtornos alimentares ou ansiedade.

Se você se reconhece em algum dos sintomas mencionados, procure ajuda profissional, como por exemplo de um psicólogo.   Somente com o auxílio de alguém capacitado é possível trabalhar os sintomas nocivos e as causas da midorexia, assimilando assim tudo de positivo ela pode trazer para a sua vida. Com acompanhamento psicológico adequado o indivíduo poderá ainda desenvolver um processo de autoconhecimento que o levará ao controle dos impulsos provocados por este distúrbio. 

Caso você conheça alguém que esteja sofrendo com os sintomas e não saber como lidar com a midorexia, seja compreensivo e empático, evitando minimizar a importância de todas as crenças que manifesta. O recomendável é dialogar, reconhecer os possíveis benefícios de sua atitude, mas também mencionando atitudes que poderiam ser preocupantes. E não se esqueça, obviamente, de recomendar o apoio psicológico.

Fotos:MundoPsicologos.com

psicólogos
Linkedin
Escrito por

MundoPsicologos.com

Deixe seu comentário

últimos artigos sobre autoestima