Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Como ajudar seu filho a desenvolver a autoestima

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Uma criança que cresce com a autoestima fortalecida tem grandes chances de ser um adulto preparado para lidar com situações adversas, tanto emocionalmente, como profissionalmente.

4 OUT 2016 · Leitura: min.
Como ajudar seu filho a desenvolver a autoestima

Ver o filho confiante, decidido e realizando as tarefas do dia a dia sem muitos problemas é o que os pais esperam. No entanto, esse comportamento está em grande medida associado à autoestima da criança. Quanto mais alta, maiores são as chances que ela tem de lidar com situações difíceis ou desafiadoras do cotidiano de maneira mais tranquila.

Segundo especialistas, a formação da criança é um processo muito importante e que deve ser tratado com bastante cuidado pelos pais. Desse modo, uma criança que tem sua autoestima estimulada desde cedo tem grandes possibilidades de se tornar um adulto com preparo e também a desenvolver as habilidades necessárias para saber como agir diante de frustrações.

A criança que cresce com a autoestima baixa corre o risco de se tornar um adulto frágil e com dificuldades emocionais e profissionais. Sendo assim, cuidar da autoestima do seu filho é fundamental. Para lhe ajudar a saber como ajudar seu filho a desenvolver a autoestima, separamos sete dicas importantes.

1) Converse com a criança

Pergunte como foi seu dia, o que fez de interessante e, principalmente, se algo deu errado. Procure entender o que ocorreu e como isso impactou sua autoestima. Às vezes, um simples acontecimento escolar pode desencadear problemas sérios, se não resolvido.

Além disso, tente manter uma conversa constante com professores para saber como é o comportamente da criança na escola. Pode ser um caminho para descobrir o que pode afetar sua autoestima.

shutterstock-251736823.jpg

2) Valorize os pequenos êxitos

Nem sempre seu filho chegará em primeiro lugar na disputa esportiva ou tirará a nota mais alta da prova. Entretanto, é importante que sejam valorizados os pequenos êxitos e a superação. Isso também o ajudará a lidar com as derrotas desde pequeno e a aprender que não se ganha sempre.

3) Confie na capacidade da criança

Confiar na capacidade da criança e saber como transmitir isso é fundamental para que ela desenvolva a autoconfiança. Isso lhe ensinará a ser perseverante, a acreditar em si mesma. Também impedirá que desista diante da primeira frustração.

Por isso, respeite as crenças e emoções do seu filho. Se você acredita que não são corretas, explique isso por meio do diálogo, e não de maneira impositiva.

4) Não critique e nem elogie em excesso

Seu filho fez algo errado e você não gostou? Então comente isso a ele, mas evite fazê-lo em momentos de nervosismo. Palavras mal ditas podem gerar traumas que afetam de maneira significativa a autoestima da criança. Evite, também, o excesso de críticas, a constância. Isso fará com a criança pense que realmente é incapaz ou que faz tudo errado.

Além disso, evite elogiá-lo a todo o momento. Essa atitude pode fazer com que a criança crie um imaginário de perfeição e não saiba como lidar com uma situação adversa.

shutterstock-315039935.jpg

5) Evite comparações

Assim como os adultos, as crianças possuem habilidades e dificuldades distintas. A comparação pode ser um caminho bastante prejudicial ao desenvolvimento da autoestima. Às vezes, os pais costumam comparar o fracasso de um filho aos êxitos de outro. É preciso lembrar que ambos são diferentes em suas virtudes de capacidades.

6) Critique o erro, não a criança

O quarto está uma bagunça? Então diga isso à criança. Porém, ao invés de você chamá-la de bagunceira ou relaxada, explique que aquilo é errado e procure entender se há alguma dificuldade. Ou seja, não dirija a crítica ao filho, mas, sim, ao comportamento errado que ele teve.

7) Não discuta na frente da criança

É normal que os pais enfrentem dias ruins e voltem para casa cansados e estressados. Entretanto, é importante não discutir os problemas do casal na frente da criança. Isso pode passar uma ideia alterada de mundo e gerar medos infundados.

_____________________________

Se você perceber que, mesmo com os incentivos, a criança continua com a autoestima afetada e apresentando um comportamento triste, procure a ajuda de um psicólogo. Lembre-se que cuidar da autoestima desde a infância é fundamental para que seu filho consiga enfrentar as dificuldades da adolescência sem grandes percalços.

Fotos: MundoPsicologos.com

psicólogos
Linkedin
Escrito por

MundoPsicologos.com

Deixe seu comentário

últimos artigos sobre autoestima