Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Casal em crise

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Com a quarentena provocada pelo coronavírus os casais passaram a conviver 24h por dia. Fez aparecer o lado bom e ruim da relação. Aqui você vai encontrar dicas de como melhorar o casamento.

29 MAR 2020 · Leitura: min.
Casal em crise

Dez dias de confinamento num contexto de fragilidade, em virtude de um vírus ameaçador, faz as pessoas perceberem sua condição de mortalidade e aflorar os aspectos bons e ruins do casamento. Se o casamento já demonstrava desgaste, desentendimento e certa insatisfação, a convivência em quarentena faz amplificar esses problemas. Por outro lado, essa confinação também poderá servir para resolver os problemas. É a hora de perguntar com sinceridade: como está o relacionamento do casal? Estão se dando bem?

Se a resposta for sim: pense por que está bom e diga para o outro. Sempre é gostoso escutar o quanto é amado. Isto fortalece os laços afetivos e melhora o casamento. Porém se a resposta for não: é o momento de agir a respeito.

Procure fazer os seguintes exercícios para você compreender e melhorar a relação: a primeira coisa a fazer é identificar o que está ruim e se esses problemas já ocorriam antes da quarentena. Quanto mais você descrever o problema, mais fácil será saber onde intervir para melhorar. Não vale resposta do tipo: "o outro é chato". Se é esse o sentimento pense: o que faz o outro ser chato? É o que fala, como fala, seus modos, manias? Identifique em detalhes. Caso você tenha dificuldade de fazer essa descrição e não sabe por onde começar, segue uma lista de assuntos para você refletir:

  • é o conteúdo do que fala?
  • é a forma como se expressa?
  • falta individualidade na relação?
  • excesso de tarefas?
  • baixa qualidade do sexo?
  • uso de drogas/álcool?
  • violência
  • traição
  • ciúmes

É comum depois dessa reflexão a pessoa ficar com vontade de acusar o outro pelas suas frustações. Mas calma! Antes de achar culpados pense o seguinte:

1) Reflita qual a sua parcela de responsabilidade nesse problema, e o que você pode fazer para melhorar. Num relacionamento de casal, o envolvimento é dos dois e, consequentemente, a responsabilidade também. Ou é porque você está fazendo ou porque está deixando o outro fazer. É um exercício difícil de realizar, pois a tendência é colocar a culpa no outro. Mas reflita com o máximo de clareza.

2) Todos nós temos necessidades. Nesse momento é importante focar nas necessidades afetivas. Antes de acusar o outro por estar fazendo alguma coisa que você não gosta, procure entender por ele está fazendo isso. As pessoas fazem para buscar suprir uma necessidade, ou por revolta por não estar sendo suprido no que desejava. Esse é um exercício essencial para entender com quem você está casado. Tente se colocar no lugar do outro e reflita: em quais necessidades o outro não está sendo atendido para que esteja agindo dessa forma que você não gosta?

Com todo esse conhecimento que sua reflexão trouxe, e tendo um pouco mais de clareza, chegou o momento de conversar com o outro. Porém, muito cuidado na forma de falar. Nessa conversa é importante não acusar, mas compreender o outro. Vou passar algumas dicas para facilitar.

1) É fundamental que o início dessa conversa seja compreender os sentimentos do outro. Compreender não significa aceitar, mas entender com sinceridade como o outro está se sentindo.

2) Escute primeiro porque o outro não está satisfeito com o casamento.

3) Nunca! De jeito nenhum culpe o outro. Por mais difícil que seja para você escutar, respire fundo, conte até 20, escute porque o outro não está satisfeito de estar casado com você e o que ele quer. Entenda quais necessidades afetivas não estão sendo atendidas para que o outro tenha as queixas que está expondo.

4) Depois faça a mesma coisa: exponha seus sentimentos, sem agredir, apenas mostrando suas necessidades afetivas que não estão sendo atendidas.

Cabe aqui um alerta importante: Por mais obvio que seja para você, pode não ser para o outro. Por isso a importância de expor que sente, o que espera, os desejos não realizados. E não apenas nessa conversa, mas no dia-a-dia do casal.

Uma vez que ambos expuseram suas necessidades não atendidas, volte seu pensamento ao passado. E fale ao outro:

  • Eu me casei com você porque...
  • Quando me casei com você tinha a expectativa que nosso casamento seria...

Será que o outro sabia disso? Ou sempre foi uma expectativa apenas sua e você ficou esperando que o outro suprisse as tuas necessidades afetivas porque na sua opinião era óbvio?

Cuidado: o resultado dessa conversa vai expor as necessidades de ambos. Lembre-se o objetivo dessa conversa é melhorar a relação. Segue mais um exercício. Estamos quase no final!

  • Os dois, individualmente, devem fazer uma lista do que podem fazer para melhorar a relação e realizar os desejos de ambos, ao mesmo tempo que suprem suas necessidades afetivas.
  • Achem um local reservado só para vocês dois. Sentem um de frente para o outro. Leiam suas listas e se comprometam a realizá-la. Em seguida toquem suas mãos e, sem falar, apenas com o toque, transmitam ao outro o que estão sentindo.
Escrito por

Flávio Melo Ribeiro

Ver perfil
Deixe seu comentário

últimos artigos sobre terapia de casal