Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Meu marido lê contos sexuais incestos. Temos uma filha. O que fazer?

Feita por >Kelly em 8 Abr 2016 Terapia de casal

Sou casada a há anos e, antes de subir ao altar fizemos algumas loucurinhas de casal, como frequentar esporadicamente casas de swing. Nosso relacionamento era bem apimentado e eu gostava disso. Após casar, meu marido virou crente (já era, mas estava afastado da igreja) e frequenta a igreja três vezes por semana junto dos filhos do primeiro casamento. Não quis mais dar as escapadinhas que fazíamos de vez em quando, mas temos uma vida sexual sadia. Transamos diariamente, mas apenas de noite, pois temos uma filha de três anos. Recentemente ele passou a ver pornografia na internet. Não me preocupei, pois acho normal. Até permito ele entrar nas salas de bate papo de sexo enquanto faço a janta. Depois ele vem me contar animado o que conversou e tem estado bem criativo na hora do sexo. Não tenho ciúmes ou qualquer insegurança quanto a isso, mas, eis que por curiosidade fui ver o histórico dos sites e me assustei bastante. Ele lê contos envolvendo pais e filhas, mães e filhos, padrastos, madrastas, irmãos e até animais. Não entrei nos sites, vi apenas o cabeçalho no histórico. Não contei para ele o que descobri, mas, conversando com ele, falei que existe um limite entre o sexo saudável e o bizarro ou criminoso, e citei o incesto. Ando muito preocupada, pois temos uma filha. Acho inaceitável o incesto e até me enoja saber que meu marido anda lendo contos desse nível. Me causou uma dúvida muito grande de quem ele realmente é e se ele estiver vendo pedofilia, além de ficar extremamente desapontada com ele, tenho a convicção de denunciá-lo à polícia. Acordo de madrugada para ver se está tudo bem com a nossa filha. Tenho vivido em alerta e isso tem uma semana. Ele continua firme nessa igreja crente (acho uma hipocrisia frequentar uma igreja tão radical e ao mesmo tempo ver coisas tão baixas na internet) e é visto como um homem exemplar. Só bebe em casa comigo e na rua sempre pede refri enquanto bebo chopp. Vai da casa para o trabalho (trabalhamos na mesma empresa) e não me dá motivos para outras desconfianças. Como devo agir? Estou perdida, não tenho coragem de me abrir nem mesmo com minha psicóloga. Tenho medo de estar fazendo um drama maior do que o necessário, mas, na minha mente, já me vejo indo na delegacia, prendendo ele, destruindo ele na igreja, na família, na cidade inteira. Não sei o que fazer.

Resposta enviada

Em breve, comprovaremos a sua resposta para publicá-la posteriormente

Algo falhou

Por favor, tente outra vez mais tarde.

A melhor resposta

Olá Kellinss

penso que o melhor a ser feito é você conseguir falar com sua psicóloga sobre o assunto. Ficar apenas com seus pensamentos não vai fazer bem. Se você confia na sua psicóloga fale sem medo, pois o objetivo de um psicólogo não dever ser julgar pensamentos ou atitudes de seus pacientes. ..então fale sobre o assunto em sua terapia antes de tomar qualquer decisão

Psicóloga Daniele Marla Psicólogo em Florianópolis

5 respostas

6213 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Kelly, uma relação com confiança é muito importante. Você ter a liberdade de falar com ele sobre o que sabe sobre os comportamentos dele, seu pensamento sobre isso e deixar que ele fale também sobre algum conflito que ele possa ter vao ajudar. Em todo caso, você já faz terapia, e a psicóloga é a melhor pessoa para poder te orientar, em o que falar, como falar, de uma forma que não crie uma resistência nele e as vezes você possa ajudá-lo a procurar atendimento profissional.
Converse com sua psicóloga, não tenha vergonha ou receio. Ela está ali para te ouvir, ajudar a encontrar possibilidades e não para te julgar.
Cuide-se e ajude seu marido a buscar orientação. Muitas vezes as pessoas querem ajuda mas não sabem o que fazer e por onde começar.

Adriana Correia Alves Psicóloga Psicólogo em São Paulo

22 respostas

9 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

B dia. Vc ja conversou c ele sobre isso? Qq coisa estou aq p ajudar.

Psicóloga Monica Mesquita Psicólogo em Rio de Janeiro

43 respostas

13 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Boa noite kelly, uma relação de confiança mutua é sempre melhor e mais saudavel. Entao penso que vc deveria conversar com ele sobre suas preocupações.
O seu estranhamento quanto ao que ele vê ou não vê pode ser esclarecido dessa forma. Pede p ele para vc acompanhar as entradas nos sites, que vc tem interesse de ver tambem. Que tambem tem curiosidade... pode dar certo. Abs

Psicóloga Monica Mesquita Psicólogo em Rio de Janeiro

43 respostas

13 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Kelly, esta pergunta voce fez em 2016... muita coisa deve ter rolado até 2019... Mas realmente não deve ter tabus entre o casal a respeito do sexo. Porém, pornografia é uma doença, é uma corrupção do sexo. É o sexo mais vil, mais baixo e viciante porque corrompe o sentimento. Ele faz isto e depois compensa indo para a igreja... isto é para aliviar o sentimento de culpa dele. O melhor que tens a fazer é conversar com ele, falar do que é a pornografia e solicitar para que faça tratamento, para ontem...

Geime Rozanski Psicólogo em Brasília

209 respostas

93 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá! Assistir contos não é crime, querida! Ele está dando vazão a um universo psíquico gigante que existe nele. Você tem motivos para desconfiar? O comportamento da sua filha mudou? Você já o flagrou em alguma situação? Denunciar a policia sem motivo? Constrangê-lo desse modo? Taxar alguém de pedófilo por assistir pornografia é muito perigoso! Acho que devem conversar seriamente, e até buscar ajuda profissional. Fantasia continua sendo fantasia, até que se prove o contrário. Cuide-se!

Katyy Psicologia Psicólogo em Nova Iguaçu

4 respostas

13 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Oi Kelly,
Então nesse caso é complicado né, eu sei que sua mente deve estar com diversos pensamentos a respeito do caso, o correto agora seria procurar um Psicologo para por em debate todas as suas angustias e medos, algumas perguntas também tem que ser respondidos como: "Sera que realmente seu marido gosta de incesto ou foi só uma curiosidade da parte dele", "Como você ficou sabendo do ocorrido?". São de fato muitas perguntas colocadas no debate, por isso peço que procura urgentemente um terapeuta para esclarecer todas as suas duvidas

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá Kelly, independente das intenções do seu marido, se isso está te tirando o sono e te deixado tão nervosa e insegura quanto à sua filha, a melhor solução é se abrir com a sua psicóloga. Ela saberá como conduzir o tema até a solução do seu dilema. Abraço. Psicóloga Roberta Bouchardet.

Roberta Bouchardet Psicóloga Psicólogo em Foz do Iguaçu

216 respostas

335 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Kelly,procura ter mais confiança em seu marido e parceiro de todas as horas e ocasiões. Se continuar imaginando esse pensamentos , você vai prejudicar seu relacionamento familiar e sua família sera descontrolada, ai você vai ai sim ter motivo para se abalar. Amiga procura uma ajuda psicológica para conversar, se soltar mas alguém que confie para poder te ajudar. Psicologa Maria Jose de P. Silotti

Psicologia Silotti Psicólogo em Belo Horizonte

30 respostas

7122 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Bom dia,
O caso relatado é extremamente complicado requer atenção e cuidado de sua parte! O que lhe diria inicialmente é se vc confia na/no profissional que a acompanha continue com ele/ ela pois será de grande ajuda a sua parceria nesta questão. Em seguida...diria que vc deve trabalhar com ela/ele coisas sobre a sexualidade, pois a busca do prazer ao estar vínculada a violação de princípios éticos e de convivência, dá sinais do quanto há uma tendência a uma liberdade deturpada. Sua relação parece precisar de subterfúgios que indicam que ela não anda tão bem... então vc precisará resolver inclusive enfrentando a questão de frente, em algum momento.
Ultrapassar os limites, incluindo as consequências provocadas a terceiros...deve ser uma postura a ser trabalhada.
Considere as possibilidades na questão com sua psicóloga e haja!
Thalita C Ribeiro

Thalita Coutinho Ribeiro Psicólogo em Belém

68 respostas

4704 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá Kelly,

percebo que vocês sempre tiveram um relacionamento muito aberto, no sentido de conversarem sobre o que gostam e o que não gostam. O que te barra te falar sobre isso? Tens medo que ela diga que sim, talvez? Muitas vezes o fetiche está no imaginário e não no real. Quem sabe explore este conteúdo com sua psicóloga e, se não se vê conversando sozinha com ele em casa a respeito, sugira a sua terapeuta ajudar nesta conversa, convidando-o para uma sessão de casal, quem sabe.

Espero te-la ajudado.

Elisa Lengler
Terapeuta de Familia

Elisa Canellãs Lengler Psicólogo em Florianópolis

453 respostas

14129 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Kelly,
Você não está fazendo drama: pelo contrário, percebeu um sinal de alerta e está sendo prudente em dar atenção para este sinal. Converse com o seu marido, já que vocês possuem um diálogo aberto, pois esta situação está sendo fonte de angústia e sofrimento. Abra esta situação para a sua psicóloga, é importante desnudar-se emocionalmente, abrir as suas angústias, temores, pois senão o processo fica superficial. Não se preocupe com a vergonha, o medo, os julgamentos, pois o psicólogo é um profissional que trabalha dentro da neutralidade e não deve adotar posturas julgadoras. A partir disso, você pode ter uma outra percepção sobre isso que está sentindo, pensando e poderá elaborar tudo isso de outra forma, buscando outras alternativas de como agir perante isso. Atente se ocorreu/ ou se está ocorrendo alguma mudança de comportamento na filha de vocês.
Um abraço.

Psicóloga Giselle Melo Psicólogo em Manaus

52 respostas

7599 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá Kelly,
alguma novidade sobre sua problemática?
As respostas dos meus colegas estão mais que completas...
Procurou ajuda?
Espero que esteja tudo bem...
Qualquer dúvida, questionamento ou necessidade de conversar, estou à disposição.

Marci Kraft

Marci Kraft Psicólogo em Joinville

190 respostas

12988 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Boa noite,
Entendo o quanto isso tudo deve ser confuso e contraditório pra você.
Mas também acredito que quanto mais trazemos às claras e abrimos o diálogo, tudo aquilo que fica subentendido ou talvez mal compreendido se esclarece e descomplica.
Não desconsidere sua preocupação. Ela é algo de fato que você deve dar atenção. Converse com sua psicóloga como você pode abordar este assunto com seu marido da melhor forma, esclareça tudo com ele antes de tomar qualquer providância mais severa.
Espero ter ajudado.

Psicóloga Ana Carolina Rizzi Psicólogo em Curitiba

17 respostas

3858 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Bom dia, Kelly!
Entendo sua preocupação e todas essas duvidas, imagino o quanto está sendo complicado para você lidar com isso, estou a sua disposição para uma conversa por telefone.
Ana Suely

Ana Suely Paz Psicólogo em Jaboatão dos Guararapes

12 respostas

4555 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Boa tarde.
Vejo a necessidade de você conversar de forma franca e honesta com seu marido. Acredito que as pessoas sempre nos dão sinais.
Quanto a você não levar isso para sua psicóloga, vejo a necessidade de você avaliar se está escondendo a verdade dela ou de você mesma.

Psicóloga Valdineia S. Armando Psicólogo em Barueri

25 respostas

6533 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Boa tarde,Kelly
Me parece que você e seu marido estão vivendo mundos diferentes e uma impossibilidade muito grande de comunicação e diálogo, a despeito de terem um relacionamento com bastante liberdade.A minha sugestão é dialogar mais, conversar com sua psicóloga e sobretudo com ele, o envolvido, sem se utilizar de tantas defesas com as quais se cerca como denunciá-lo, ir à delegacia e tornando a sua vida e a de sua família um campo de guerra.
Abs.
Ana Lúcia Vieira Rezende

Psicologia Granja Viana Psicólogo em Cotia

10 respostas

4978 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Oi Kelly. Boa tarde! Ao analisar o seu relato pude perceber que existe uma angústia muito grande em você devido ao que está acontecendo, todavia, é extremamente importante e necessário que você se abra à sua psicóloga e conte a ela tudo o que está acontecendo sem receios, pois ela tem material suficiente para lhe auxiliar naquilo que relatar. Esconder, ocultar, omitir qualquer coisa de sua psicóloga apenas irá prejudicar o desenvolvimento de sua terapia, portanto, não esconda absolutamente nada dela. Nada!
Sobre o comportamento de seu marido, em primeira instância, seria necessário analisar melhor o que se passa com ele, ou seja, os sites que ele visita é por curiosidade ou existe realmente um desejo latente? Seria necessário que ele também procurasse um psicólogo (a) para fazer terapia e compreender seu mecanismo de funcionamento psíquico. Por outro lado, não se pode afirmar sobre a possibilidade de pedofilia ou até mesmo o risco com sua filha, afinal, você não deixou claro em seu relato se tem percebido algo diferente no comportamento dele ou da criança, sendo assim, fica complicado estabelecer um julgamento prévio do que possa estar acontecendo de fato com ele, pois os sites que você viu podem ser referentes aos desejos que ele tem para si.
Espero ter ajudado de algum modo.
Estou à disposição.
Psicólogo Christian Gabalde.

Psicólogo Christian Gabalde Psicólogo em Ribeirão Preto

22 respostas

7517 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Bom dia kelly
Pelo seu relato, você tem uma relação bem aberta com seu marido em relação a fantasias e desejos sexuais. Inclusive com experiencias que foram proveitosas para ambos. Também entendi que as visitas dele em sites de contos eróticos são também do seu conhecimento. Mas como o conteúdo te gerou dúvidas e insegurança aconselho a você se abrir com sua terapeuta, ela tem recursos para trabalhar com você habilidades para um melhor entendimento de suas crenças e manejo para você lidar e esclarecer com seu marido o motivo deste tipo de procura.
Também é papel do terapeuta levantar hipóteses que esclarece situações e movimento reais que possam indicar algum tipo de abuso.
Converse com sua psicóloga.
Atte Letícia

Leticia M. Fonseca Psicólogo em Palhoça

43 respostas

5756 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Boa noite Kelly!
Acredito que há muita diferença do que é público e do que é privado. Ser um cara exemplar fora da casa, não é indício de ser assim tbm em casa, em todo o comportamento. Somos no público, geralmente, o que é permitido, esperado... Em casa somos mais permissivos. Com foco na sua dúvida, acredito que deva ter uma conversa franca, sobre o que seu marido procura nestes contos, preste atenção sobre o que lhe chama atenção, seja fria ao analisar, e se precisar entender leia algum conto pra lhe ajudar. Vc não precisa dizer o pq da pergunta, afinal ele lhe conta sobre as conversas de chat, vc tem esse espaço. Depois de colher as informações converse com a sua psi. pra ver o que ela percebe de tudo, pra te ajudar a formular uma ideia concreta e te orientar sobre o que fazer. O maior problema pode ser a fantasia que se cria por não saber se tem ou não um problema, respire fundo, e reúna fatos. Suposições vc já tem: Ele acha bacana o incesto. Vou lhe dar mais uma: ele nem se interessa por quem está envolvido na estória, quer saber o que fizeram... As suposiçoes podem ser muitas, dê uma de detetive e investigue, leve pra quem tem conhecimento e sabe como lhe orientar, afinal o psicólogo é o profissional da escuta sem preconceito, julgamento... com certeza te conhece e saberá te orientar!! Espero ter ajudado!!

Consultório Carina Lucion Psicólogo em Palmeira das Missões

2 respostas

4721 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Boa noite Kelly,
Acho que você tem razões para se preocupar. No entanto, penso que seria melhor uma conversa com sua psicóloga.
Não fique constrangida pois ela pode te ajudar.
Um abraço,
Ana Maria

Ana Maria de Araujo Psicólogo em Rio de Janeiro

9 respostas

5118 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Psicólogos especializados em Terapia de casal

Ver mais psicólogos especializados em Terapia de casal

Outras perguntas sobre Terapia de casal

Explique seu caso aos nossos psicólogos

Publique a sua pergunta de forma anônima e receba orientação psicológica em 48h.

50 Você precisa escrever mais 6350 caracteres

Sua pergunta e as respectivas respostas serão publicadas no site. Este serviço é gratuito e não substitui uma sessão de terapia.

Enviaremos a sua pergunta a especialistas no tema, que se oferecerão para acompanhar o seu caso pessoalmente.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

Coloque um apelido para manter o seu anonimato

Sua pergunta está sendo revisada

Te avisaremos por e-mail quando for publicada

Esta pergunta já existe

Por favor, use o buscador para conferir as respostas

Psicólogos 10150

Psicólogos

perguntas 6350

perguntas

respostas 27650

respostas