Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Como deixar meu marido feliz no sexo sem abrir mão dos meus limites?

Feita por >Silvana · 2 jul 2015 Psicologia da educação

Olá, sou casada há 18 anos e tenho dois filhos adolescentes. Tenho um bom relacionamento com meu marido, há entre nós amor, só que ultimamente estamos brigando e discutindo porque ele tem me cobrado muito no sexo. Ele sempre reclama que quer sexo mais selvagem e sem limites. Sempre quer mais e mais. Só que eu estou satisfeita com o sexo que estamos fazendo (6 vezes por mês mais ou menos) e não quero mudar nada. Mas ando frustrada porque este é o meu limite, quando fazemos amor há total entrega da minha parte, mas ele parece que não se satisfaz, parece um poço sem fundo... Dou tudo de mim, como sempre fiz, mas pra ele não parece mais ser o suficiente, então me sinto muito frustrada. Muitas vezes me sinto forçada e desrespeitada, pois tenho meus limites. Ele não está respeitando estes limites, mas eu quero satisfazê-lo só que sem abrir mão da minha dignidade. Algumas vezes cedi e me senti muito suja, como se estivesse sendo abusada, sei lá, não foi legal, por isso não quero mais abrir mão desse limite. Não sou conservadora, acredito que a gente pode fazer de tudo, desde que os dois estejam gostando. Nesses 18 anos, acredito que já tenha rolado de tudo, afinal, 18 anos não são 18 dias! Que mais que ele quer? Eu não entendo! Ele acha que eu perdi o tesão por ele, mas não é verdade! Já tentei conversar com ele muitas vezes, ele acha que eu esfriei, mas eu acho que não, acho que amadureci e ele não, ele escuta, não entende. Já não me satisfaz mais aquele sexo imaturo do início do casamento, onde tudo era novidade, paixão e fogo. Já não tenho o mesmo corpo, o mesmo vigor físico, pôxa, não sou mais garotinha! Ele está forçando a barra... Eu tenho meus limites e não abro mão deles. Mas como vou fazê-lo feliz se é isso que ele quer, quebrar meus limites, passar por cima dos meus princípios? Há um impasse, não vou ceder, mas também quero fazê-lo feliz eu o amo e sei que ele me ama muito. Sinto tesão por ele, mas não igual a 15, 16 anos atrás, só que não diminuiu, só amadureceu, quero qualidade e não quantidade. Que faço, me ajudem por favor! Muito obrigada a quem puder me dar um bom conselho, que Deus os abençoe, este site é muito bom!

Resposta enviada

Em breve, comprovaremos a sua resposta para publicá-la posteriormente

Algo falhou

Por favor, tente outra vez mais tarde.

A melhor resposta 2 JUL 2015

Olá Silvana, o respeito é fundamental como também um bom diálogo onde os dois possam ter voz.. Você mencionou que já conversou com seu marido sobre seus limites.. Você consegue lembrar em que momento foi realizado esta conversa? O momento escolhido para este diálogo é muito importante, seria produtivo se ambos estariam disponíveis para situação, escolher um local, um horário, um momento especial para o casal falar sobre sexo e entrar num acordo para que os dois sejam felizes no sexo.. Isso é importante para buscar identificar e reconhecer cada um nesta relação que pertence aos dois, tanto você como ele pode ser mediador do outro nas diferenças, respeitando sempre os limites de cada um.. Uma terapia de casal poderia ser uma boa opção caso não consiga resolver esta situação.. Um forte abraço, Katia Souto

Psicóloga Katia Janete Egerland Souto Psicólogo em Florianópolis

39 respostas

3101 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

12 AGO 2016

Todos têm potencial inexplorado!

Atendimento e acompanhamento psicológico.
Destinado a todo aquele que:
* necessita de diagnóstico quanto ao nível de alterações no comportamento, na personalidade e na cognição, bem como o nível de gravidade de determinadas lesões cerebrais e transtornos de aprendizagem; 

* deseja identificar potencialidade e dificuldades cognitivas;

* busque expressar seus conflitos e dificuldades, ultrapassar os obstáculos que o impedem de integrar-se e adaptar-se adequadamente ao meio social;

* busque otimizar desempenhos em concursos, provas e processos seletivos.

As sessões podem ser em grupo ou individuais. 

Atenciosamente,
Aline M. S. De Coster

Espaço Aline De Coster Psicólogo em Rio de Janeiro

575 respostas

22825 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

30 NOV 2015

silvana, procure um psicologo com urgencia. o importante é vc se fortalecer para entender que o problema sexual nao é seu, mas do casal......procure um psicologo ou entao um sexologo.em sao paulo tem no h.c. ok? nao sei de onde vc é.....estou em sao jose do rio preto,s.p. um abraço fraterno.

Sandra Elena Carosio Psicólogo em São José do Rio Preto

480 respostas

21587 pontuações positivas

Fazer terapia online

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

20 JUL 2015

Olá, Silvana.
Imagino que esse descompasso nesse momento no casamento de vocês deve estar causando muito desconforto e insatisfação a ambos. Como você já tentou conversar com ele algumas vezes, pode ser ideal agora procurar uma terapia de casal, que ajude vocês a identificar as causas dessa mudança, e o melhor caminho para vocês entenderem um ao outro, para através da compressão buscar soluções para os dois. Busque observar nesse período como vocês estão se relacionando em outras esferas do casamento de vocês, que não só a sexual. Como está a comunicação do casal? São feitas muitas críticas? Muitas cobranças? Existem outros limites sendo invadidos? Talvez esse possa ser um bom caminho para entender o que está acontecendo e como melhorar.
Espero ter ajudado, boa sorte nessa busca! Abraço.

Micaela Libório Psicólogo em Salvador

5 respostas

430 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

8 JUL 2015

Olá Silvana!!!

Pelo seu relato, e as suas considerações reportadas, uma psicoterapia de casal poderá contribuir de maneira significativa neste caso, desde que o casal aceite esta possibilidade de comum acordo, sugiro um(a) psicólogo(a) especializado(a) nesta área, tendo em vista uma terceira pessoa, um profissional da área da saúde que possa ser aceito pelos cônjuges, que atue como mediador e esclarecedor das diferenças que ocorrem no desenvolvimento humano entre os homens e mulheres, nesta faixa etária, as funções hormonais e dos neurotransmissores que atuam e influenciam no comportamento da líbido, com o transcorrer do tempo (enfim, a influência da química corporal) e como manter a qualidade de vida saudável do casal, propondo alternativas compensatórias e satisfatórias, preservando o espaço de cada um e a harmonia do casal. Pense nisso!

Carlos César Petruy Psicólogo em Curitiba

283 respostas

9789 pontuações positivas

Fazer terapia online

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

7 JUL 2015

Olá Silvana, primeiramente a sua atitude em buscar uma resolução para a situação é muito importante. Realmente ninguém deve exceder seus limites, sexo tem que ser consensual e com os dois na mesma sintonia para ser prazeroso! Dificilmente você irá satisfazê-lo se apenas ceder sem que seja sua vontade.
Como conversar com ele não tem surtido efeito sugiro a você que procure uma terapia de casal, assim vocês dois poderão ter um diálogo de melhor qualidade e avaliar a posição de cada um. Será possível questionar seus próprios limites assim como conhecer o dele, dessa forma vocês estarão mais perto de ter uma vida sexual harmoniosa e prazerosa para ambos.
Espero ter ajudado, boa sorte...

Juliana Corrade Psicólogo em Contagem

3 respostas

430 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

7 JUL 2015

Oi Silvana. Pelo seu breve relato parece-me que voces estão indo por caminhos diversos em relação ao prazer de uma relação sexual entre um casal que se ama.
Abrir mão do seu bem estar só para contenta-lo vai afasta-los.
Eu te aconselho a procurar um terapeuta de casal que poderá ajuda-los nessa dificuldade.
Um forte abraço

Léa

Lea Maria Vicari Psicólogo em São Paulo

51 respostas

4225 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

6 JUL 2015

Há momentos na vida de um casal que não se pode seguir pelo mesmo caminho... a mim parece que este é um momento da sua vida... O marido quer Y e você quer X...e não há o que fazer! Não me parece que seja algo que você já não tenha mostrado e conversado com ele. Ele já sabe que você não quer X mas quer passar por cima da sua vontade para satisfazer a dele. E agora? O que você vai querer? Assumir fazer para o bem dele ou não fazer e correr o risco de perdê-lo. A resposta você é que deve gestar em você mesma. Porque é uma escolha sua. Mas, você não está preparada para perdê-lo, se eu compreendi bem. Você não quer. E daí sua dificuldade em decidir. E também sua vontade de levá-lo a um psicoterapeuta para fazê-lo mudar, para que você não precise decidir. Mas a escolha é sua, somente sua. Ultrapassar os conflitos no casamento não é fácil... muitas vezes pior do que ultrapassar nossos próprios conflitos internos, que já são difíceis. Mas o importante para você é deixar gestar uma resposta em você mesma que te leve a sabedoria do amor. Como ser mais amorosa com seu marido. O que você pode fazer para trazer amor para o seu casamento. O que fazer para que o amor seja maior do que este problema... O que fazer no seu casamento para que este pequeno problema que parece grande neste momento se transforme em você mesma. O que fazer para o medo sair do seu casamento. O que fazer para que sua relação melhore a tal ponto que isto seja pequeno e não amedronte tanto a você. A saída é sempre o amor. Mas, o que é o amor e como aumentá-lo? Muitas vezes achamos que o amor seja fazer carinhos, ser boazinha, ser nutridora, fazer o que a outra pessoa quer, aceitar tudo...mas nem sempre o amor é assim. Às vezes temos que ser a pedra no sapato do parceiro para que ele compreenda coisas que não ainda não consegue...às vezes temos que ser quem diz não...às vezes ser aquele que frustra os planos. Se o caminho do outro vai para a ribanceira como ajudá-lo a cair lá? Não! Devemos ser amoroso e impedi-lo!
E para saber discernir quando é a hora de amar sendo bonzinho da hora de amar sendo contra a vontade do parceiro? Como saber o que fazer?
Não sei... sua sabedoria interna vai ter que dizer... sua sabedoria interna vai ter que escolher, vai ter que descobrir o que é melhor para você e para ele. Somente você pode gestar esta escolha. Amorosamente
Atenciosamente,
Dr. Mário Garrote

Psicólogo Mário Garrote Psicólogo em Brasília

3 respostas

502 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

6 JUL 2015

Boa tarde Silvana. Os dados que você forneceu em seu relato, não possibilita um entendimento do que realmente está ocorrendo entre vocês. A melhor coisa a se fazer, é buscar uma psicoterapia de casal para ajudar vocês dois a compreenderem o que está acontecendo. Pelo que me pareceu, vocês estão neste momento, falando linguagens diferentes em relação ao sexo. Converse com ele e se vocês se amam, busquem ajuda para que não comecem a se distanciar. Caso ele não aceite por enquanto, busque você a psicoterapia, aí poderá se abrir com mais clareza e perceber o que está ocorrendo, como também, aprender a lidar com ele. Boa sorte. Rosi.

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

6 JUL 2015

Olá Silvana!
Muito já foi dito nos posts anteriores sobre a importância da continuação do diálogo e mesmo sobre a possibilidade de uma realização de Terapia de Casal, caso ele queira. Mas, gostaria de complementar que em quase 80% dos casos semelhantes ao seu, que tenho recebido no consultório, a queixa referente à diferença de interesses na área sexual após muitos anos no casamento é exatamente a mesma que você está vivenciando e se dá, principalmente, quando o homem já passou dos 35 anos e, aparentemente, enfrenta a chamada "idade do lobo" e gosta de "mostrar" que ainda continua tão viril quanto o era aos 19. E como isto não ocorre com o universo feminino, em sua maioria, o desejo deles passa a funcionar em descompasso com suas mulheres. Ai instala-se o problema. E a mulher começa a achar que ela é que está com dificuldades por não acompanhar as "peripércias" do marido, mas não é bem assim, Silvana. Os anos de relacionamento trazem consigo o equilíbrio no que, antes, era só paixão e hormônios enlouquecidos. E esse equilíbrio é o resultado das prioridades e responsabilidades do dia a dia que não têem em seu cardápio o sexo desenfreado várias vezes ao dia! Tudo passa a ser mais simples e com a predominância do sentimento em detrimento dos hormônios. Assim, os casais podem sentir-se mais atraídos, por exemplo, por uma maravilhosa viagem à dois ou ir ao cinema apenas para divertirem-se do que por uma maratona, apenas para suprir os desejos de um dos pares. Tudo na vida requer harmonia e quando ela não existe, o ideal é procurar ajuda para descobrir a causa desse desequilíbrio. E pela resumida narrativa não posso afirmar que você esteja com algum problema na área sexual. Apenas posso entender que é seu marido que está com desejos diferentes e cobranças excessivas, levando-a até a fazer sexo de uma forma que não queria, violando os seus limites, os quais, deveriam ser respeitados. Portanto, a minha sugestão também é a Terapia de Casal, mas se ele não quiser, pois, provavelmente, vai achar que o problema é com você, então não vejo motivos para você fazê-la individualmente, pois apenas irá confirmar o que já sabe. Ele é que precisa descobrir o que está ocasionando esta modificação, que pode ser hormonal ou apenas psicológica.
Desejo-lhe boa sorte!

Cristina Santos Psicólogo em Recife

40 respostas

3763 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

6 JUL 2015

Olá Silvana!
Acredito que essa situação não deva estar sendo fácil para você.
O diálogo sempre é um fator muito importante e deve sempre ser contínuo e franco.
Chama a atenção é que você relata já ter efetuado algumas tentativas de diálogo sem êxito, portanto há ainda ruídos de comunicação uma vez que ambos não estão conseguindo dizer para o outro quais os limites de cada um.
Perceba que ao mesmo tempo que você diz ter limites ele também tem os limites deles e nesse sentido os limites de cada parecem estar em descompasso.
Negociação no casamento será sempre necessário da mesma forma que ceder. Ocorre que cada um tem um limite para isso. Em contra partida perceber qual é o nosso limite pode parecer algo muito delimitado, mas talvez fosse interessante você se permitir tentar vagarosamente ir além do seu limite experimentando o ato de extrapolar limites para então tirar um significado disso, uma vez que você usa as expressões princípios e valores que é algo delimitante. Um atleta só consegue chegar ao seu ápice quando vagarosamente vai testando seus limites.
Não seria interessante dar uma plasticidade nesses valores e crenças para ver como você reage?
Um visita á um sexólogo e a um terapeuta especializado em terapia sexual pode também ser enriquecedor.
Penso que também seria interessante o seu marido ter uma compreensão melhor do ponto que ele quer chegar e que se sinta saciado quanto ao sexo. Talvez esse ponto não seja uma medida exagerada nem para ele nem para outras pessoas, mas apenas para você, mas também não descartemos a possibilidade dele estar realmente com um apetite voraz por sexo o que somente em um processo psicoterapêutico será possível ele compreender o que o leva a esse movimento e o bônus e ônus que ele terá nesse movimento.
Uma vez que cada um consiga uma compreensão dos seus limites e que esses limites estejam descompassados sem que não haja mais a possibilidade de negociação, cabe aí a busca de uma nova compreensão que é o significado que essa relação tem para vocês, os ganhos que tiveram, mas os caminhos e projetos que cada um tem para si pois em toda relação cada cônjuge começa no início com um compasso muito parecido, mas ao decorrer da relação cada um vai sendo apresentado a novos mundos, muitos dos cônjuges se permitem a experimentar novas interações e ter novas vivências e a partir daí novos projetos pessoais vão se formando e um cônjuge pode não acompanhar esse movimento por justamente ter tomado um outro caminho nessa interação com o mundo.

Por último sugiro uma terapia de casal que poderá ajudá-los a diminuírem esses ruídos de comunicação e a se permitirem ter uma melhor compreensão de como está a relação de vocês, dar um significado para tudo isso e partir para uma escolha ciente da responsabilidade de cada um e do bônus e do ônus que implicarão nesse movimento.
Seria algo enriquecedor!
Espero ter ajudado.
Saudações
Dielson Rocha

Dielson Rocha Psicólogo em São Paulo

28 respostas

2409 pontuações positivas

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

6 JUL 2015

Bom dia, Silvana,
Ter um relacionamento amadurecido como o seu exige bastante flexibilidade, amor e respeito um pelo outro. Compreendo o seu desconforto em relação à questão e sugiro procurarem uma terapia de casal para uma análise mais aprofundada, afinal ambos são responsáveis para que a relação dure mais tempo.
Att,
Vanessa de Almeida
Psicóloga clínica
Pós-graduanda em Psicologia Hospitalar
CRP 04/42019

Psicóloga Vanessa Almeida Psicólogo em Belo Horizonte

102 respostas

4224 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

4 JUL 2015

Olá Silvana!
Muito já foi dito nos posts anteriores sobre a importância da continuação do diálogo e mesmo sobre a possibilidade de uma realização de Terapia de Casal, caso ele queira. Mas, gostaria de complementar que em quase oitenta por cento dos casos semelhantes ao seu, que tenho recebido no consultório, a queixa referente à diferença de interesses na área sexual após muitos anos no casamento é exatamente a mesma que você está vivenciando e se dá, principalmente, quando o homem já passou dos trinta e cinco anos e, aparentemente, enfrenta a chamada "idade do lobo" e gosta de "mostrar" que ainda continua tão viril quanto o era aos dezenove. E como isto não ocorre com o universo feminino, em sua maioria, o desejo deles passa a funcionar em descompasso com suas mulheres. Ai instala-se o problema. E a mulher começa a achar que ela é que está com dificuldades por não acompanhar as "peripércias" do marido, mas não é bem assim, Silvana. Os anos de relacionamento trazem consigo o equilíbrio no que, antes, era só paixão e hormônios enlouquecidos. E esse equilíbrio é o resultado das prioridades e responsabilidades do dia a dia que não têem em seu cardápio o sexo desenfreado várias vezes ao dia! Tudo passa a ser mais simples e com a predominância do sentimento em detrimento dos hormônios. Assim, os casais podem sentir-se mais atraídos, por exemplo, por uma maravilhosa viagem à dois ou ir ao cinema apenas para divertirem-se do que por uma maratona, apenas para suprir os desejos de um dos pares. Tudo na vida requer harmonia e quando ela não existe, o ideal é procurar ajuda para descobrir a causa desse desequilíbrio. E pela resumida narrativa não posso afirmar que você esteja com algum problema na área sexual. Apenas posso entender que é seu marido que está com desejos diferentes e cobranças excessivas, levando-a até a fazer sexo de uma forma que não queria, violando os seus limites, os quais, deveriam ser respeitados. Portanto, a minha sugestão também é a Terapia de Casal, mas se ele não quiser, pois, provavelmente, vai achar que o problema é com você, então não vejo motivos para você fazê-la individualmente, pois apenas irá confirmar o que já sabe. Ele é que precisa descobrir o que está ocasionando essa alteração que pode ser hormonal ou mesmo psicológica.
Desejo-lhe boa sorte!

Cristina Santos Psicólogo em Recife

40 respostas

3763 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

3 JUL 2015

No seu relato é compreensível sua angústia em não entender como pode satisfazer seu marido, além de existir um possível medo de perdê-lo. Mas você não deixou claro como é seu diálogo com ele. Ele já deixou claro o que quer? Que tipo de prática sexual ele espera de você? Seria um comportamento específico, uma fantasia erótica? Entendendo o que ele espera de você fica mais fácil de poder responder a esse anseio dele e melhorar a relação de vocês. Além disso só posso indicar que façam Terapia de Casal, caso ele se recuse, você devia tentar psicoterapia.

Leonardo Viana de Vasconcelos Martins Psicólogo em Fortaleza

1038 respostas

28310 pontuações positivas

Fazer terapia online

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

3 JUL 2015

Terapia de casal para ver as necessidades do marido e analisar os limites da esposa. Cada um tem motivos próprios. Por isso não há uma resposta genérica sem investigar cada um do casal mais profundamente.

Alejandro Ramón Allochi Psicólogo em Florianópolis

1 resposta

419 pontuações positivas

Fazer terapia online

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

3 JUL 2015

Olá Silvana, bom dia.
Você descreve do seu casamento todas as qualidades necessárias para vida longa. No entanto, neste momento vocês estão atravessando uma fase complicada e parece mesmo que existe um conflito.
Talvez seja interessante esclarecer o que exatamente é um sexo selvagem e além disso, você se perguntar se o que acontece é quebra de limites ou quebra de valores.
Quebrar limites, ir além de si mesmo, experimentar coisas novas, dentro de casa, com alguém que se ama e se respeita, é muito bom. Sinaliza abertura de horizontes e possibilidades para novos prazeres para o casal. Não há nada de errado dentro de quatro paredes, desde que traga prazer para ambos.
Agora se o que você diz, quebra os seus princípios (valores), talvez realmente seja impossível de negociar. Não dá pra negociar valores com ninguém porque violentaria a si mesma.
Antes de mais nada, pergunte a você a respeito destes limites, princípios e dessa resistência. Pergunte também a respeito dos seus medos de ir além de si mesma.
Se parecer muito difícil, procurem uma terapia. Não permitam que isto atrapalhe a relação de 18 anos e a família que vocês construíram juntos.
Boa sorte.

Sandra Colaiori Psicologia Psicólogo em São Paulo

108 respostas

6780 pontuações positivas

Fazer terapia online

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

2 JUL 2015

Silvana, a abordagem direta em uma conversa com o seu marido seria a melhor opção, mesmo que de alguma forma você já tenha tentando.
É importante que ele esteja ciente das suas condições, de como se sente em relação as cobranças que ele faz e também como se sente quando cede aos desejos dele e também é importante que você o escute e compreenda com mais clareza quais são as necessidades ele tem. Para isso a terapia de casal poderá ser útil, pois com a ajuda de um profissional vocês poderão dialogar sobre as necessidades individuais e ainda propor saídas que reflitam em um relacionamento sexual mais saudável para ambos.
Como ultima opção, caso seu marido não aceite fazer terapia de casal você pode fazer a terapia individualmente e focar principalmente em como abordá-lo para colocar as suas necessidades.

Patrícia Martins Psicólogo em Belo Horizonte

312 respostas

14798 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

2 JUL 2015

Olá Silvana!
O sexo bom é aquele que lhe satisfaz.Como por exemplo, satisfazer o parceiro desde que vc tb se sinta bem.
Quando passa do seu limite é hora de dialogar com o par e tentar reformular o manejo da relação sexual.
Pense que sexo com qualidade está alencado a comunicação e satisfação do casal!
O tempo passa e há mudanças. Elas devem ser encaradas como parte do processo conjugal e como tal, compreender as novas necessidades de cada um será fundamental
O respeito faz parte do sucesso na relação!

Boa sorte!

Abs

Katia Mafra
Terapeuta de Casal

Psicóloga Katia Mafra Psicólogo em Florianópolis

30 respostas

4897 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Psicólogos especializados em Psicologia da educação

Ver mais psicólogos especializados em Psicologia da educação

Outras perguntas sobre Psicologia da educação

Explique seu caso aos nossos psicólogos

Publique a sua pergunta de forma anônima e receba orientação psicológica em 48h.

50 Você precisa escrever mais 8650 caracteres

Sua pergunta e as respectivas respostas serão publicadas no site. Este serviço é gratuito e não substitui uma sessão de terapia.

Enviaremos a sua pergunta a especialistas no tema, que se oferecerão para acompanhar o seu caso pessoalmente.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

Coloque um apelido para manter o seu anonimato

Sua pergunta está sendo revisada

Te avisaremos por e-mail quando for publicada

Esta pergunta já existe

Por favor, use o buscador para conferir as respostas

Psicólogos 10750

Psicólogos

perguntas 8650

perguntas

respostas 30100

respostas