Você sabe o que é o autismo e como lidar com ele?

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Quem sofre de autismo tem problemas para se comunicar, vive uma rotina de isolamento por não conseguir manter um convívio social. Entenda o que é este transtorno.

29 Out 2015 · Leitura: min.
Você sabe o que é o autismo e como lidar com ele?

Crianças que são avessas ao contato físico e que têm dificuldades de comunicação podem estar sofrendo um transtorno de desenvolvimento. Apesar de estes sintomas poderem estar relacionados a distintos quadros, na maioria das vezes, são indício de autismo.

Mas você sabe o que é este transtorno, que afeta o desenvolvimento da criança? Veja a seguir as principais características, como lidar com os sintomas e quando buscar ajuda.

Entendendo o autismo

Este problema normalmente é diagnosticado ainda nos primeiros anos de vida da criança. Coincide com a fase da creche ou pré-escolar, em que é preciso conviver com outros meninos e meninas, brincar e fazer amiguinhos.

A criança autista, porém, não dá conta desse convívio e a sua resposta é o isolamento. Começa uma transformação no comportamento da criança, com diminuição da comunicação em todos os aspectos.

A intensidade dos sintomas pode variar de caso a caso e é preciso entender que a presença isolada de um deles não pode ser classificada como autismo. É preciso um diagnóstico por parte do especialista, que normalmente demanda testes e análises complementares.

"Quem executa o diagnóstico de autismo é o médico, embora, muitas vezes, seja o psicólogo o profissional que encaminha a criança a ele, com relatório que justifique suas suspeitas. Ou seja, depois de efetuar alguns testes ou apenas observações, o psicólogo faz o encaminhamento", explica a psicóloga Sandra Colaiori.

flickrphoneynickle.jpg

Alguns sinais do autismo

A criança que tem o transtorno do autismo diminui o uso de comportamentos não-verbais para se comunicar. Evita olhar nos olhos, esboça poucas expressões faciais e praticamente não usa gestos.

O desenvolvimento da linguagem oral se retrasa e, nos casos mais graves, deixa de existir. Há ainda uma certa indiferença emocional e a criança não tem a necessidade de compartilhar suas experiências.

É normal que a criança autista desenvolva um comportamento com gestos repetitivos, como agitar constantemente as mãos, por exemplo. Podem ser mais agressivos e ter resistência para o aprendizado.

O tratamento do autismo requer uma equipe multidisciplinar, com psicólogo, terapeutas e fonoaudiólogos.

"O ideal é aplicar incentivos com ludoterapia e/ou arteterapia para avaliar as respostas e o tempo das respostas a estes estímulos. É lógico que a participação dos pais e/ou cuidadores também é muito importante nesse diagnóstico. Procure um profissional com experiência, principalmente em clínicas neuropediátricas", conclui a psicóloga Monica Androli.

Fotos (ordem de aparição): por Blogging Autism e Phoney Nickle (Flickr)

psicólogos
Escrito por

MundoPsicologos.com

Deixe seu comentário