Mulher moderna

Olá! Esse artigo é para você que se considera uma mulher moderna, mulher se fases, com muitas funções e responsabilidades, enfim, você Mulher Maravilha na vida de muitas pessoas.

8 JUL 2018 · Leitura: min.
Mulher moderna

Só uma pergunta: Como está sua saúde mental? São tantas denominações para apenas uma pessoa, filha, irmã, amiga, mãe, esposa, dona de casa, funcionária, gerente, dona do seu empreendimento, entre tantos outros, e ainda a cobrança de estar sempre muito bem arrumada e maquiada, que acaba prejudicando a sua saúde mental.

Por ser cobrada de se dar em todos os sentidos e momentos da sua vida e para todas as pessoas, muitas deixam de cuidar de si, de olharem para si e para sua saúde, sempre priorizando o outro. O que é muito preocupante e prejudicial para que consiga manter a ordem em sua vida e cotidiano, já que, se a mulher não se encontra no seu melhor estado mental, como pode dar conta de tanta coisa e conseguir ficar em paz, se manter em equilíbrio.Muito mais do que cansaço, a múltipla jornada pode desencadear outros transtornos graves e preocupantes, entre os mais comuns estão a ansiedade e a depressão.

O psiquiatra e psicanalista Gabriel Ferreira Câmara diz que "O estresse é uma palavra vaga, é importante buscar suas motivações. Já a ansiedade é uma resposta natural do ser humano ante as vivências. A emancipação feminina de fato mudou a forma de atuação da mulher na sociedade. Desempenhar muitas atividades ao mesmo tempo pode gerar ansiedade e até angústia, que provoca sensações como palpitação e aperto no peito (a pessoa angustiada sente tudo isso). Há momentos em que a ansiedade se torna grave. Então, quando ela se torna um fator que altera a qualidade de vida e interfere na rotina de forma intensa, é preciso buscar a ajuda de um especialista que vai avaliar a forma mais adequada de terapia para aliviar essa sobrecarga. O mesmo vale para a depressão, pois a vida deixa de seguir o seu curso normal. Hoje o arsenal de medicações para o tratamento dos transtornos psiquiátricos aumentou.

"Acompanhada desses transtornos a mulher está propensa a desenvolver também síndrome do pânico e pequenas fobias. "As motivações são sempre muito particulares. Qualquer pessoa está passível de sofrer um transtorno mental em alguma fase da vida, por questões internas e externas. O que ocorre é que a mulher tem mais acesso aos seus conteúdos emocionais, expressando mais livremente a sua emotividade do que o homem que, por exemplo, aprende desde cedo que 'homem não chora' porque é um sinal de 'fraqueza'. A nossa cultura ainda permanece machista e isso é internalizado desde a infância", avalia. Como os sintomas são muito subjetivos, é importante que a mulher busque ajuda de um profissional especializado para que seja adotado o tratamento adequado nesses casos. O mais importante é que a mulher reconheça que precisa de ajuda e não pode se curar sozinha. A psicoterapia é uma das formas disponíveis para o tratamento, onde muitos casos também é necessário o acompanhamento psiquiátrico, tal acompanhamento é recomendado a longo prazo, com a duração mínima de 1 ano.

Muitas mulheres se perguntam, mas o que posso fazer para não adoecer então?

Bom, não existe uma receita de bolo, a mulher precisa encontrar dentro de si o que a torna feliz. Ela deve descobrir seus anseios, o que considera importante, e buscar suas respostas. Sendo perceptível em certo momento um intenso nível de ansiedade, e que está fugindo do seu controle, ou se encontra desinteressada ou muito triste pela vida, é de suma importância a busca de um profissional e acompanhamento adequado.

Por mais que, nós mulheres, tentemos e queremos ser as super heroínas na vida das pessoas que amamo e que dependem de nós, nem sempre isso é possível se não cuidarmos de nós primeiro.Cuide-se. Fique atenta aos sintomas, sentimentos e sensações que vem tento durante os dias, e caso tenha dúvida ou ache necessário, não hesite em buscar ajuda de um profissional, ele poderá te orientar e fazê-la entender e aprender a lidar com o momento pelo qual está passando.Priorize-se!

"Em geral, nove décimos da nossa felicidade baseiam-se exclusivamente na saúde. Com ela, tudo se transforma em fonte de prazer." Arthur Schopenhauer
Escrito por

Psicóloga Camila Santos

Ver perfil
Deixe seu comentário

últimos artigos sobre autoestima