Como lutar contra o cansaço mental

Uma pessoa tem, ao menos, 50.000 pensamentos por dia. Alguns são práticos, outros analíticos, e há aqueles que são totalmente desnecessários. Uma mente cansada dificilmente mantém o foco.

19 FEV 2020 · Leitura: min.
Como lutar contra o cansaço mental

O cansaço nem sempre é físico. Há inúmeras vezes em que somos prejudicados pelos efeitos da fadiga mental. Se você parar para pensar, quantas vezes não foi supreendida/o por momentos em que simplesmente foi incapaz de pensar em novas ideias, de criar? Isso porque, quando a mente está demasiado cansada, ela se dispersa, e tem muita dificuldade para ir além das tarefas mais rotineiras, dando continuidade apenas às coisas mais elementares, mais automáticas.

Diversos estudos já demonstraram: uma pessoa é capaz de gerar cerca de 50.000 pensamentos em um dia. Nesse total, estão inluídos os pensamentos repetitivos e mecânimos (devo fechar a porta com chave, tenho que escovar os dentes, devo usar a faca com cuidado para não me cortar, tenho que ligar para a minha mãe...), os negativos, os positivos, os criativos, mas também os "desnecessários".

Quando ruminamos acontecimentos ou situações, especialmente àquelas que se referem a nosso passado, estamos esgotando nosso cérebro com processos e informações que não geram nada mais que incerteza e angústia.

Estes pensamentos, que na psicologia podem receber o nome de "pensamentos debilitantes", não conduzem a qualquer avanço no autoconhecimento, pelo contrário, são bloqueadores. E, de acordo com os especialistas, estão intimamente ligados ao cansaço mental. 

Seria este o seu caso? Faça o teste para descobrir a resposta:

 

Como saber se meu cansaço é mental?

O cansaço mental não se refere unicamente a um estado de muita atividade cerebral: planejar um projeto, estudar, memorizar dados, criar argumentos, etc. Também está atrelado à forma como tomamos decisões. Todas aquelas vezes em que entramos num confronto interno porque as coisas não aconteceram conforme o esperado, porque não agimos da forma devida ou porque queremos muito ser diferentes, mas não sabemos como fazer disso a realidade, estamos contribuindo para um estado mental e emocional que dificulta a nossa adaptação à realidade.

É importante compreender que quase nunca o que se planeja se cumpre à risca, e é importante ser capaz de aceitar os imprevistos e as dificuldades, de encarar o novo panorama de uma forma mais positiva, para que a frustração não conduza a um estado intenso de estafa e cansaço mental.

Ao deixar o cansaço mental se instalar na rotina, ele pode provocar:

  • Falta de controle das emoções negativas: você pode acabar chorando de forma "exagerada" como resposta a uma situação que, em outro momento, não provocaria um sentimento tão intenso; você pode gritar de forma injustificada porque sente raiva ou frustração, coisa que antes não passava. Aliás, de acordo com o neurocientífico Mathew Walker, que é especialista em transtornos do sono, um cérebro cansado é 60% mais propenso a reagir de forma descontrolada frente a situações negativas.
  • Insônima e esgotamento físico: dormir mal provoca efeitos negativos em todo o corpo, inclusive no seu rendimento cognitivo. No caso de uma pessoa com cansaço mental, é mais difícil pegar no sono, é mais provável que se desperte algumas vezes durante a noite de sono e é quase certo que este sono não será reparador. 
  • Falta de concentração: cada vez é mais difícil manter o foco e o interesse por muito tempo. Você inclusive começa a se esquecer de coisas que são muito habituais, como o lugar onde deixou as chaves do carro, onde comprou uma camiseta, o passo a passo da sua receita favorita, o telefone da sua melhor amiga/o, etc.
  • Falta de energia: cada vez será mais difícil colocar o corpo em movimento, por uma questão de lentidão e inércia. Você se sentirá desajeitada/o, com baixa capacidade de reação, o que diminuirá o seu desejo de querer tentar coisas novas, fazer aquilo que você gosta, etc.

Como lidar com o cansaço mental?

Você pode cuidar da sua rotina para evitar que o cansaço mental seja recorrente e dominante. Está claro que qualquer pessoa está sujeita a momentos de acúmulo de stress e frustração, que precisam ser sentidos e processados. No entanto, a forma como você estrutura o seu dia e seus hábitos, podem servir de verdadeiros escudos para o seu bem-estar emocional.

  • Mantenha uma dieta saudável e equilibrada
  • Faça exercício físico de forma habitual, já que ajuda a ativar endorfinas, o que tem um efeito muito positivo no relaxamento (físico e mental)
  • Respeite seus momentos de desconexão do trabalho, dos estudos... O ócio tem um valor positivo real no seu equilíbrio emocional
  • Não guarde as suas preocupações só para você. Falar sobre isso com pessoas de confiança, familiares ou amigos, ajuda a diminuir a ansiedade e, quem sabe, a ver o problema sob uma nova perspectiva
  • Exercite o seu lado criativo com atividades que estimulem pensamentos livres e positivos
  • Crie o hábito de escrever sobre aquilo que te obsessiona. Poder ler seus comentários e refletir sobre eles amplia a consciência sobre seus próprios processos. Bem como se perguntar coisas como: Como posso melhorar? Depende de mim mudar o que estou sentindo ou depende de fatores externos? Por que continua me incomodando algo que já é passado? 

Talvez o ponto mais importante seja justamente compreender que não se trata de negar qualquer pensamento ou experiência, presente ou passada, mas de encontrar um caminho que nos permita revisar o problema e atuar naquilo que depende de nós, sendo conscientes de que, muitas vezes, por mais que se deseja, é impossível interferir nas variáveis.

psicólogos
Linkedin
Escrito por

MundoPsicologos.com

Deixe seu comentário
1 Comentários
  • Tamara Pereira

    Eu sofro de ansiedade, tenho síndrome do Pânico e depressão. Tem quase 3anos isso já, faço tratamento e tudo, mas com essa "quarentena" da qual estamos passando , me sinto angustiada, não durmo bem , tô nervosa e meio que sentindo sozinha. Tá muito difícil para mim. Aqui fala muita coisa boa , mas sem pode4 sair e ter com quem conversar , é quase impossível relaxar.

últimos artigos sobre desenvolvimento pessoal