Vamos falar sobre as emoções?

As emoções são a forma que a natureza encontrou de ter uma resposta rápida, eficaz e orientada para nossa sobrevivência.

21 JAN 2019 · Leitura: min.
Vamos falar sobre as emoções?

As emoções são a forma que a natureza encontrou de ter uma resposta rápida, eficaz e orientada para nossa sobrevivência. As emoções são uma maneira saudável de ler o ambiente que nos rodeia, elas nos preparam para ação, motivam o comportamento e são essenciais para formarmos relacionamentos. Inteligência emocional é a capacidade de perceber, avaliar, expressar e regular a emoção, que pode levar a um comportamento social mais ativo, a uma maior sensação de bem-estar e felicidade e controle da agressividade. Nesse texto vou falar um pouco sobre cada uma das 5 emoções básicas.

A alegria é a emoção mais procurada pelo ser humano. Ela ajuda a ultrapassar dificuldades. É bom estar feliz, mas não é normal estar feliz o tempo inteiro. Acreditar em "felizes para sempre" pode trazer frustrações, pois é uma expectativa irreal. É comum retratar apenas momentos alegres nas redes sociais, mas é importante ter consciência de que não é porque as outras emoções não aparecem no virtual que elas não existem no real.

Ao longo de nosso desenvolvimento aprendemos a demonstrar apenas sentimentos positivos e reprimir negativos. Quando uma criança chora, em geral, os pais logo querem fazê-la parar, mas esta é uma oportunidade de ensinar a criança um pouco mais sobre si e sobre o que está sentindo. Saber mais sobre seus sentimentos e emoções ajuda na formação da capacidade de resiliência e a lidar melhor com as frustrações.

shutterstock-746074252.jpg

A raiva é uma emoção completamente normal e saudável, sendo até necessária para nossa sobrevivência. A raiva nos movimenta, nos faz agir, ela surge quando nos sentimos fracos, frustrados, tendo que reconhecer nosso limite. Ela inspira os sentimentos e os comportamentos agressivos que permitem ao ser humano se defender quando é atacado.

Mas quando a raiva é um problema? Quando ela é incontrolável ou te deixa com sentimento de culpa. Quando a raiva te faz sofrer ou faz sofrer quem está ao seu redor. Nessas situações é aconselhado falar sobre ela.

A tristeza é um sentimento momentâneo, que acaba passando em pouco tempo. Ficar triste em algum momento é normal. Algumas situações da vida causam tristeza, como a perda de um ente querido ou o fim de um relacionamento. A tristeza desperta a empatia no outro, ajudando o indivíduo a criar conexões em face à perda. Se a tristeza se prolonga por um longo tempo e vem junto com desinteresse e falta de vontade de fazer as coisas, é bom buscar ajuda. Depressão não é bobagem e dificilmente se cura sozinha.

O medo é a emoção é responsável por nos deixar alerta, a situações que pareçam representar perigo, e prontos para fugir, caso julgarmos necessário. O medo se torna um problema quando é irracional, voltado a algo que não representa perigo real. Nestes casos podemos estar falando de uma fobia. Essa é um tipo de ansiedade caracterizada por medo ou repulsa a algum objeto ou situação. Fobia pode ser tratada com ajuda de psicoterapia e em alguns casos com o uso de medicação.

O nojo é uma emoção primitiva que nos motiva a evitar ou se distanciar de um objeto. Esta, provavelmente, foi selecionada em nosso passado evolutivo para evitar que consumíssemos substâncias que pudessem nos fazer mal. Saber qual alimento você não deveria comer fez toda a diferença considerando que uma intoxicação poderia ser fatal.

É importante conhecermos nossas emoções e entender pra que cada uma delas serve. Ter inteligência emocional representa mais saúde e até melhor desempenho no trabalho, estudos e relacionamentos. Conheça-se!

Escrito por

Gabriela Brasil

Psicóloga Número do CRP: CRP 07/023932

Psicóloga clínica, incentivadora do cuidado com a saúde mental. Conta com especialização em psicoterapia de orientação psicanalítica e trabalha com psicoterapia breve e de longo prazo. Faz atendimento de adolescentes e adultos, além de ser terapeuta de casais com foco em vínculos.

Ver perfil
Deixe seu comentário

últimos artigos sobre desenvolvimento pessoal