Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Meu filho de 14 anos anda roubando dinheiro em casa. O que fazer?

Feita por >Gaby · 7 abr 2016 Terapia cognitivo-comportamental

Há poucos dias meu filho pegou R$ 60 que esqueci no banheiro. Quando perguntei, ele negou. No entanto, perguntei a um amigo dele da escola, que confirmou ter o visto com o dinheiro. Então descobri o q meu filho havia o feito. Depois disso, ele pegou o cartão da avó e sacou R$ 20 para pintar o cabelo. Disse que um amigo tinha pagado. Afirmei que iria tirar um extrato e, então, ele confessou. Por último, eu deixei R$ 75 no armário e, quando foi pela manhã, já não estava mais. Não sei mais o q fazer.

Resposta enviada

Em breve, comprovaremos a sua resposta para publicá-la posteriormente

Algo falhou

Por favor, tente outra vez mais tarde.

A melhor resposta

Olá Gaby, boa noite! Entendo sua angústia, porém cada criança ou adolescente é um mundo e não existem estratégias universais eficazes para todas. O que funciona em um caso pode não ser eficaz em outro. Mesmo assim, há uma série de princípios que podem ser utilizados e com a suficiente habilidade podem ajudar a estabelecer, modificar ou eliminar alguns comportamentos.
Os limites são fundamentais, a clareza na comunicação e atenção dada a seu filho também é primordial. É difícil compreender o sistema familiar com poucas informações, porém muitos adolescentes acabam tendo alguns atos indevidos apenas para estar mais próximos da atenção de seus familiares, como tem feito ultimamente.
Espero ter clareado sua angústia. Estou a disposição!

Clínica de Psicologia Márcio Ferreira Psicólogo em Ribeirão Preto

32 respostas

6127 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Boa tarde! Seu filho pode estar passando por algum tipo de transtorno psicológico, não posso afirmar, mas pode ser uma das causas do roubo... para que você possa ajudá-lo procure ajuda psicoterapêutica.

Bárbara Alves de Paiva Psicólogo em Araguari

46 respostas

780 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Bem meus colegas já responderam...ajuda verdade conversa franca...e fica ligada nos passos, amizades isso realmente não é bom sinal.

Clínica de Bem Estar Psicólogo em Guarulhos

210 respostas

13978 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Gaby, esta idade de 14 anos é uma idade de muitas mudanças na vida do adolescente; mudanças no corpo, mudanças na voz, e as mudanças no comportamento que muitas vezes são as mais difíceis.
Sugiro que você tenha uma conversa franca com ele, e que mostre a ele, o que pode acontecer se você parar de confiar no seu filho. Pois a confiança é uma das principais ferramentas em realacionamentos e você já não está mais sabendo como agir.
Você reparou mais alguma mudança significativa no seu filho? Mudanças de amizades? É importante você fazer uma análise e ver se consegue perceber algo a mais (se é que há).
Mas em todas as relações o diálogo é muito importante, ouvir, ser ouvida e se fazer ser entendida, pois você é a mãe. Ele precisa te respeitar.
Agora se você perceber muita dificuldade procure um psicólogo na sua cidade para poder te orientar melhor, te ajudar a melhorar este relação mãe e filho ok?

Alessandra D. Ricci Manganaro Psicólogo em Ribeirão Preto

40 respostas

3574 pontuações positivas

Fazer terapia online

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Oi Gaby. Boa noite. É claro que a fase de criança ou de adolescente é uma fase complicada para o desenvolvimento, todavia, várias questões podem estar por trás deste ato do seu filho. Recomendo que procure um psicólogo para melhor verificar o que pode estar acontecendo. Dentro disso, seria preciso você verificar as questões relativas aos valores e normas colocados pela família junto ao seu filho e tentar observar como ele pode ter aprendido ou não tais normas e valores.
Estou à disposição.
Att,
Psicólogo Christian Gabalde.

Psicólogo Christian Gabalde Psicólogo em Ribeirão Preto

22 respostas

7521 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

A adolescência é uma fase complicada, com presença de comportamentos de risco e muitas vezes, comportamentos incomuns. Sugiro que converse com teu filho, tente entender por qual motivo ele precisa roubar... será que não seria mais fácil se ele pedisse? Por que ele tem dificuldade para pedir e prefere furtar? De repente pensar numa mesada? Ele faz isso por não ter dinheiro ou por outra necessidade mais profunda? De início sugiro que converse com ele, ele deve estar precisando e caso o problema não seja falta de dinheiro, sugiro que procures um psicólogo para ajudá-lo nesta fase tão conflituosa.

Tamires Passos Decimo Psicólogo em Passo Fundo

114 respostas

9734 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Gaby, na maioria dos casos quando os pais tem problemas com seus filhos ( como no seu), principalmente filhos adolescentes, isso se trata mais da falta de comunicação entre pais e filhos. O diálogo, a conversa, a linguagem não é a mesma. A rotina, o dia a dia acaba por deixar os pais um pouco afastados de seus filhos, sem a preocupação de saber o que o filho está fazendo ou como está pensando sobre determinados assuntos. Uma terapia familiar ajuda bastante, pois ele não é o problema, mas se algo está acontecendo com ele, saiba que de alguma forma, toda a família (quem reside no mesmo espaço) colaborou de alguma maneira para que a situação chegasse a tal ponto. Tente conversar com ele, mas não criticá-lo ou acusá-lo, ok? Ouça-o. Espero poder ter lhe ajudado de alguma forma. Abraço!!!!!

Consultório de Psicologia Leania Zaché Reis Psicólogo em Vitória

13 respostas

2120 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Gaby ele precisaria inícialmente passar por uma avaliação e/ou análise para ver qual seria o significado desse comportamento. E provavelmente um programa de reeducação . Para conscientiza-lo desse processo e consequências da conduta, processo de empatia aprendezizagem de se colocar no lugar do outro. Enfim, vai depender do que está por traz dessa comunicação ou ato. Realmente procure um psicólogo ou psicanálista. Boa sorte

Arlete Maria dos Santos Psicólogo em São Paulo

110 respostas

5497 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Psicólogos especializados em Terapia cognitivo-comportamental

Ver mais psicólogos especializados em Terapia cognitivo-comportamental

Outras perguntas sobre Terapia cognitivo-comportamental

Explique seu caso aos nossos psicólogos

Publique a sua pergunta de forma anônima e receba orientação psicológica em 48h.

50 Você precisa escrever mais 7700 caracteres

Sua pergunta e as respectivas respostas serão publicadas no site. Este serviço é gratuito e não substitui uma sessão de terapia.

Enviaremos a sua pergunta a especialistas no tema, que se oferecerão para acompanhar o seu caso pessoalmente.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

Coloque um apelido para manter o seu anonimato

Sua pergunta está sendo revisada

Te avisaremos por e-mail quando for publicada

Esta pergunta já existe

Por favor, use o buscador para conferir as respostas

Psicólogos 10600

Psicólogos

perguntas 7700

perguntas

respostas 28950

respostas