Meu filho de 10 anos parece triste e tímido depois que nasceu a irmã

Feita por >Leandra · 5 set 2016 Timidez

Meu filho tem 10 anos e acho ele meio tímido e pouco depressivo. Quais as atitudes que posso ter para melhorar este tipo de comportamento? Ele ficou assim depois que minha filha caçula nasceu (obs: ele sempre pediu irmão antes).

Resposta enviada

Em breve, comprovaremos a sua resposta para publicá-la posteriormente

Algo falhou

Por favor, tente outra vez mais tarde.

A melhor resposta 6 SET 2016

Leandra, Boa Tarde. Você descreve que observou a mudança no comportamento do seu filho de 10 anos após o nascimento da irmã. Condutas em relação ao primogênito podem contribuir para melhorar esse aspecto. Reserve tempo para o mais velho.Só para Ele. Acompanhe as atividades extra escolares e as escolares, tarefas e provas. Verbalize que você o ama sempre que estiverem juntos . Sabemos que os bebês ocupam muito o tempo com cuidados essenciais e o primogênito pode estar sentindo a sua falta na disponibilidade de sua atenção e tempo que agora é dividido. Se possível, faça programas só com ele , como sempre foi até a chegada da caçula e converse sobre a irmã para perceber o que realmente ele sente.Você descreve que "antes" ele pedia um irmão mas aos dez anos a diferença de idade é grande e se ele não foi preparado durante toda a gestação para deixar de ser filho único, é possível que a dificuldade em aceitar essa condição esteja difícil para ele, imaginando que a caçula " ocupará " o seu lugar porque ela necessita agora de toda atenção e ele está vivendo o final da infância. Valorize todo o seu desempenho assertivo e reforce as características dele por ser o mais velho, o primeiro, o que já tem 10 anos, também incentive para que lhe auxilie no que for possível nos cuidados com a caçula, brincar, olhar, pegar no colo...quando ele perceber que o lugar dele continua ali como sempre foi verá que ele continuará se desenvolvendo normalmente .Att: Márcia Heloisa

Marcia Toledo Psicologia Jurídica Psicólogo em Lins

21 respostas

1381 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

7 OUT 2016

Leandra, ele deve estar pensando que deu um "tiro no pé" ao pedir um irmão e ter conseguido. Eu sugiro que você busque um tratamento psicológico para que ele consiga lidar com a rivalidade que tem se apresentado de um modo sorrateiro. Espero ter ajudado.

Julio Cesar Spehar Psicólogo em Santo André

322 respostas

22571 pontuações positivas

Fazer terapia online

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

12 SET 2016

Seu filho deve ter sido unico por muito tempo e agora tem que dividir as atenções com uma criança que exige atenção 24h, realmente não é facil. Sugiro que você valorize ele em tudo que ele faz e peça ajuda pr cuidar da criança. Estabeleça diálogo com ele, mesmo que ele fale pouco. Aos poucos ele se sentirá mais seguro e conversará mais.Tenha momentos só com ele, isso ajudará muito. Abs.

Márcia Araujo Psicólogo em Guarujá

71 respostas

807 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

9 SET 2016

Olá, Leandra, diga sempre que ele continuará sendo seu filho querido e que você o ama. Crie situações onde ele se sinta participativo no cuidado da irmã. Caso persista a tristeza, converse com o psicólogo para que ele possa dizer a seu filho de uma maneira mais focada o que você como mãe gostaria que ele soubesse. Boa sorte, Ronaldo.

Psicólogo Ronaldo Silva Psicólogo em São José dos Campos

96 respostas

7264 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

8 SET 2016

Bom dia, Leandra.
Acredito que tanto você como seu filho estão passando por momentos de adaptação, pois por mais que amem o bebê que chegou, com ele vieram também a demanda por tempo, dedicação, o saber dividir, compartilhar... Enfim, são muitas mudanças. Nessas situações, também é muito comum a mãe sentir-se culpada por não conseguir dar a atenção de antes ao filho mais velho. Mas não deixe que este sentimento tome conta de você. Peça sempre a ajuda do pai ou outra pessoa para suas tarefas e procure não se sobrecarregar. Assim, você conseguirá administrar melhor seu tempo com seus filhos. Quando tiver alguém que possa dar a atenção e cuidados ao bebê, aproveite para ficar com o mais velho, brincar, conversar, sair um pouco... E sempre que o sentir mais isolado e triste, converse com ele, diga que entende o que ele está passando, que deve ser chato ter que dividir sua atenção, mas que você o ama da mesma forma que antes - e demonstre isso nos momentos em que estiverem juntos. O pai também deve propiciar tais momentos com o filho.
Com paciência, amor e muita conversa, tudo vai se ajeitando aos poucos. Agora, se este comportamento persistir, procure a orientação de um psicoterapeuta infantil que poderá auxiliá-los de acordo com suas necessidades específicas.
Fico a disposição.
Um abraço,
Renata

Renata Leal Quaglio Psicólogo em Vinhedo

49 respostas

1511 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

7 SET 2016

Mesmo ele tendo pedido um irmãozinho ele é uma criança e ainda não consegue entender tudo que está relacionado ao fato de ter um irmão. Como por exemplo, ter de dividir o tempo dos pais, ter de dividir atenção, brincadeiras e brinquedos, amor, e várias outras coisas.
Demonstre que você continua o amando e considere que para ele é muito difícil entender como você poderia continuar gostando dele mesmo tendo gastado tanto tempo com uma bebê. Procure trazê-lo para próximo da irmã, por exemplo, propondo atividades juntos e se precisar de ajuda não deixe de procurar um psicoterapeuta infantil.

Patrícia Martins Psicólogo em Belo Horizonte

312 respostas

14946 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

6 SET 2016

Bom dia, Leandra !!!

Seu filho era único, agora está tendo que dividir a atenção com a irmã e pelo jeito não está sabendo lidar com isso,embora fosse o seu desejo de ter um irmão.Seria interessante procurar ajuda profissional para ensiná-lo a lidar com seus sentimentos e ainda irá te ajudar a receber orientações para que você,mãe, também o ajude no processo de aceitação:(a irmã veio para somar na família , não para tirar o lugar dele).
Espero ter ajudado.
Daniela Regina Poles Ribeiro

Psicóloga Daniela Poles Ribeiro Psicólogo em Tatuí

10 respostas

1346 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

6 SET 2016

Você pode valorizar todos os comportamentos positivos, dar atenção e elogiá-lo frequentemente, sair com ele para um programa que ele goste muito, fazê-lo participar dos cuidados com o irmão, conversar e se interessar pelas atividades dele. Tudo isso irá fazer com que se sinta amado e integrado na família. Abraço

Beatriz Fujimoto Psicólogo em Patos de Minas

167 respostas

5172 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

6 SET 2016

leandra leve seu filho á uma psicologa para que possa trabalhar esta situaçao de tristeza que vc ve nele,ok? COM URGENCIA!!!!!!

Sandra Elena Carosio Psicólogo em São José do Rio Preto

480 respostas

21715 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

6 SET 2016

Leandra, seu filho passou 10 anos reinando sozinho. Apesar de ter pedido um irmaozinho (a), ele viu seu espaço invadido. Converse com ele sobre a importância dele como filho mais velho, mais experiente e que poderá lhe ajudar. Para ele se sentir importante peça para ele realizar alguma atividade em relação ao bebê, como por exemplo ajudar no banho com a toalhinha, com a fralda, etc. Caso continue com essa tristeza,vá em busca de ajuda terapeutica.

Denise de Melo Peixoto Psicólogo em Recife

19 respostas

1395 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

6 SET 2016

Olá Leandra!
Muitas crianças desejam ter um irmão, porém, com sua chegada percebem a nova realidade de dividir o amor de seus pais, atenção, brinquedos... E o sentimento de ciúmes e as vezes até de rejeição fica muito vivo em seu interior.
Dentro das possibilidades tente sempre conversar com ele sobre como ele se sente, deixe clara sua capacidade de amá-lo, valorize-o para que ele não sinta que você desejou ter outro filho por alguma insuficiência dele, etc.
Se achar que o comportamento e sentimentos estão persistindo e que isso está trazendo prejuízos tanto em seu emocional quanto em sua vida social, não deixe de procurar ajuda de um psicólogo para que ele possa avaliar mais profundamente estruturando um trabalho que possa ajudá-lo.

Fico a disposição,

Maitê Hammoud

Maitê Hammoud Psicólogo em São Paulo

1699 respostas

40253 pontuações positivas

Fazer terapia online

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Psicólogos especializados em Timidez

Ver mais psicólogos especializados em Timidez

Outras perguntas sobre Timidez

Explique seu caso aos nossos psicólogos

Publique a sua pergunta de forma anônima e receba orientação psicológica em 48h.

50 Você precisa escrever mais 16200 caracteres

Sua pergunta e as respectivas respostas serão publicadas no site. Este serviço é gratuito e não substitui uma sessão de terapia.

Enviaremos a sua pergunta a especialistas no tema, que se oferecerão para acompanhar o seu caso pessoalmente.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

Coloque um apelido para manter o seu anonimato

Sua pergunta está sendo revisada

Te avisaremos por e-mail quando for publicada

Esta pergunta já existe

Por favor, use o buscador para conferir as respostas

Psicólogos 12550

Psicólogos

perguntas 16200

perguntas

respostas 46350

respostas