Devo abordar o meu namorado sobre ele ver muita pornografia?

Feita por >monica Ferreira · 8 set 2015 Terapia de casal

Estamos juntos há 2 anos, e sei que ele consome muita pornografia quando estou trabalhando.

Devo abordar o assunto? E se sim, como o faço?

Resposta enviada

Em breve, comprovaremos a sua resposta para publicá-la posteriormente

Algo falhou

Por favor, tente outra vez mais tarde.

A melhor resposta 21 SET 2015

Cara Mônica, primeiro é importante que você saiba que eu estou respondendo a esta questão como parte de uma atividade que eu desenvolvo no meu blog e que se chama "Pergunte ao psicanalista". Nele eu seleciono uma questão para responder à pessoa não como psicólogo, mas como psicanalista. É uma chance valiosa da pessoa poder conhecer o modo habitual de pensar e de conversar de um psicanalista. Nesta semana a sua pergunta foi selecionada, por isso estou compartilhando com você minhas reflexões sobre o que disse. Então, vamos lá. Primeiro, eu imagino que para você expor algo tão sério acerca de sua intimidade é porque este problema com seu namorado tem tomado um grande espaço dentro da sua mente. Sabemos que a intimidade de um ser humano, assim como a intimidade de um casal é algo sagrado e que por esta sacralidade não podemos entrar nela de qualquer forma. Assim como não entramos de qualquer forma em uma igreja ou em santuário. Mas como você abriu as portas de sua intimidade em um espaço tão público e indiferenciado como a internet, senti-me autorizada a “entrar” em alguns dos sentimentos que você sugere em sua pergunta. Primeiro, pude perceber que você está bastante preocupada e angustiada com a delicada situação do seu namorado. Em sua pergunta parece haver implícita uma percepção muito apurada de sua parte de que ele talvez possa estar doente, seriamente doente. Sua doença em sua perspectiva não é uma doença do corpo, mas uma doença da alma, algo que você sente o estar tomando por completo e de forma compulsiva: um vício que afasta vocês dois. A pornografia, segundo você sente, está sendo colocada por seu namorado no lugar de você mesma (uma pessoa real e não mulheres que fingem prazer). Com isso vocês ficam sem qualquer possibilidade de estabelecer uma relação íntima e verdadeira. E isso por si só é muito angustiante já que o ser humano necessita, para permanecer saudável psiquicamente, de relações íntimas. Senti que grande parte da sua angústia é porque você está se sentindo excluída da relação compulsiva entre o seu namorado e a droga da pornografia. Arrisco-me a pensar que você talvez tenha dificuldades com relação à sua autoestima, algo que a permite estar nesta situação bastante ultrajante de ser trocada por “tetas e bundas” em uma tela de computador ou de uma televisão. E este parece ser o cerne de sua angústia. Pude intuir em seu comentário que você sente que se for falar com o seu namorado teme que ele se revolte contra você. Por isso, parece precisar pedir autorização de outras pessoas (dos psicólogos talvez?) para ter uma voz própria: uma voz que possa dizer a ele que não está gostando disso que ele está fazendo contra você e contra a relação de vocês. Sugiro que você possa refletir sobre porque não pode se sentir autorizada a ter uma voz própria junto ao seu namorado? Ou porque não pode se sentir no direito de reivindicar junto a ele o seu direito de ser respeitada? E de que modo isso pode estar sendo provocado por um sentimento de autoestima baixo de sua parte? Também fiquei com a impressão de que, no fundo de você mesma, você sabe o que deve fazer, mas tem medo de não ser capaz de sustentar o seu ponto de vista ou, como eu disse, de manter firme a sua própria voz. Talvez você sinta que isso signifique você ficar sozinha ou o namoro ter que terminar. Mas, pelo que pude compreender do seu dilema, você já está se sentindo profundamente sozinha junto dele! Se tiver oportunidade, não perca a chance de refletir sobre estas questões que poderão te ajudar a resolver não só o dilema junto ao seu namorado, mas a se sentir mais confiante em outros aspectos da sua vida. Forte abraço.

Ana Laura Moraes Martinez Psicólogo em Ribeirão Preto

1 resposta

29 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

29 SET 2015

Ola Monica, se esta é uma questão que te incomoda é importante sim conversar com ele a respeito disso, pois vocês estão namorando e se pensam em crescer nessa relação é necessário esclarecer e entrar em acordo em alguns pontos. Descubra primeiro qual é o real motivo que faz com que você se sinta incomodada quando ele faz uso de material pornográfico, então aborde o assunto com ele e tente um acordo que seja bom para ambos, caso nem um de vocês esteja disposto ceder é o momento de repensar esta relação, porque algo que causa desconforto e não se altera ao longo do tempo vai causando desgaste entre ambos, caso os dois estejam abertos a mudanças, um psicologo para auxiliá-los nessa fase.

Psicóloga Érika Barra Psicólogo em São Paulo

28 respostas

2902 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

20 SET 2015

Mônica, se você está incomodada com o comportamento, do seu namorado, isso sinaliza que você deve ter um diálogo sobre o que está acontecendo, procure ser bem discreta, quando iniciar este diálogo. Se tiver dúvidas, procure ajuda de um profissional, para te orientar sobre este assunto, pois você terá mais segurança quando for falar com seu namorado, pra não correr o risco de prejudicar seu relacionamento.

Psicóloga Luzinete Vasconcelos Psicólogo em João Pessoa

70 respostas

3667 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

18 SET 2015

Cara Mônica, estou inaugurando este mês em meu blog uma atividade que se chama "pergunte ao psicanalista". Você ter acesso à página em Selecionei sua pergunta dentre outras para respondê-la. Portanto, coloco-me aqui e reflito com você como psicanalista e não como psicóloga. Então, vamos lá. Primeiro, eu imagino que para você expor algo tão sério acerca de sua intimidade é porque este problema com seu namorado tem tomado um grande espaço dentro da sua mente. Sabemos que a intimidade de um ser humano, assim como a intimidade de um casal é algo sagrado e que por esta sacralidade não podemos entrar nela de qualquer forma. Assim como não entramos de qualquer forma em uma igreja ou em santuário. Mas como você abriu as portas de sua intimidade em um espaço tão público e indiferenciado como a internet, senti-me autorizada a "entrar" em alguns dos sentimentos que você sugere em sua pergunta. Primeiro, pude perceber que você está bastante preocupada e angustiada com a delicada situação do seu namorado. Em sua pergunta parece haver implícita uma percepção muito apurada de sua parte de que ele talvez possa estar doente, seriamente doente. Sua doença em sua perspectiva não é uma doença do corpo, mas uma doença da alma, algo que você sente o estar tomando por completo e de forma compulsiva: um vício que afasta vocês dois. A pornografia, segundo você sente, está sendo colocada por seu namorado no lugar de você mesma (uma pessoa real e não mulheres que fingem prazer). Com isso vocês ficam sem qualquer possibilidade de estabelecer uma relação íntima e verdadeira. E isso por si só é muito angustiante já que o ser humano necessita, para permanecer saudável psiquicamente, de relações íntimas. Senti que grande parte da sua angústia é porque você está se sentindo excluída da relação compulsiva entre o seu namorado e a droga da pornografia. Arrisco-me a pensar que você talvez tenha dificuldades com relação à sua autoestima, algo que a permite estar nesta situação bastante ultrajante de ser trocada por "tetas e bundas" em uma tela de computador ou de uma televisão. E este parece ser o cerne de sua angústia. Pude intuir em seu comentário que você sente que se for falar com o seu namorado teme que ele se revolte contra você. Por isso, parece precisar pedir autorização de outras pessoas (dos psicólogos talvez?) para ter uma voz própria: uma voz que possa dizer a ele que não está gostando disso que ele está fazendo contra você e contra a relação de vocês. Sugiro que você possa refletir sobre porque não pode se sentir autorizada a ter uma voz própria junto ao seu namorado? Ou porque não pode se sentir no direito de reivindicar junto a ele o seu direito de ser respeitada? E de que modo isso pode estar sendo provocado por um sentimento de autoestima baixo de sua parte? Também fiquei com a impressão de que, no fundo de você mesma, você sabe o que deve fazer, mas tem medo de não ser capaz de sustentar o seu ponto de vista ou, como eu disse, de manter firme a sua própria voz. Talvez você sinta que isso signifique você ficar sozinha ou o namoro ter que terminar. Mas, pelo que pude compreender dos seus sentimentos, você já está se sentindo profundamente sozinha junto dele. Se tiver oportunidade, não perca a chance de refletir sobre estas questões que poderão a te ajudar a resolver não só o dilema junto ao seu namorado, mas a se sentir mais confiante em outros aspectos da sua vida. Espero ter te ajudado. Forte abraço. Ana Laura Martinez

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

13 SET 2015

Oi Monica,

É sempre importante conversar com o parceiro sobre o que está nos incomodando, mas primeiro é bom refletir nos motivos reais que nos trazem esse incômodo para falarmos sobre isso de uma maneira que não vá ser cobradora nem taxativa. Se isso é motivado por ciúmes ou por baixa autoestima, é importante você refletir um pouco mais sobre suas questões. Se essa característica do seu parceiro está afetando a saúde geral do relacionamento ou até mesmo o parceiro está se prejudicando por isso, é saudável uma conversa que traga harmonia e mais intimidade e respeito entre os dois.

Giseli Nunes Pereira Psicólogo em São Paulo

30 respostas

2031 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

10 SET 2015

Olá Monica!
Se este é um assunto que lhe incomoda, é válido que você converse a respeito com ele para que possam chegar a um ponto em comum. Porém é preciso cuidado pois esta questão é parte da privacidade do seu namorado, me pergunto por exemplo como você sabe que ele consome estes conteúdos? Tente não parecer invasiva, mas acredito que uma boa conversa poderá ajudá-la.

Aline Medeiros Psicólogo em Florianópolis

49 respostas

4387 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

10 SET 2015

Se te incomoda, abordar o assunto é válido, mas deve tomar cuidado como a forma como irá discutir o tema com ela. Caso seja complicado a Terapia de Casal é um recurso interessante.

Paulo Penha Psicólogo em Curitiba

5 respostas

78 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

10 SET 2015

Bom dia!
Embora, ver pornografia não é automaticamente em si um vicio, mas vejo que se sente desconfortável perante essa situação. Se você quer solucionar essa situação, procure, sem cobrança e sem julgá-lo uma conversa amigável. Pergunte-o o que ele gosta de fazer, e encoraje-o a compartilhar abertamente os desejos dele com você. Caso não consiga a conversa, sugiro que procure um psicologo.

Psicóloga Adelia de Jesus Psicólogo em Mogi das Cruzes

17 respostas

725 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

10 SET 2015

Olá Mônica. Esta é uma dúvida que precisa ser refletida pensando em seus sentimentos e o de seu namorado. Se te encomoda e o relacionamento está mudando, seria ideal bater um papo com ele. Conhecer os motivos que o leva a ver pornografia e esclarecer o quanto te faz mal. Chegar a um acordo seria adequado para o relacionamento.

Juliana Legatzki Psicólogo em Rio Claro

19 respostas

1943 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

9 SET 2015

Olá, primeiro você precisa compreender porque ele consome muito filme porno, compreender não é acuar, nem repreender e nem proibir, mas saber o que chama a atenção dele, para que você possa entender o que acontece.

Jair da Silva Cerqueira Psicólogo em Osasco

64 respostas

3252 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

9 SET 2015

Ola, td bem?
Em primeiro lugar como vc ficou sabendo referente ao consumo de pornografia?
quando iniciou seu relacionamento ele deixou claro pra vc? se isso está afetando o seu relacionamento e esta sendo desconfortável, uma conversa franca e verdadeira para iniciar, se perceber que não consegui iniciar essa conversar, eu te oriento que procure um psicologo (a) e esclarece o que está acontecendo que vc receberá as orientações devida.

FIP Psicologia Psicólogo em Mogi das Cruzes

20 respostas

2479 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

9 SET 2015

Boa tarde.Em primeiro lugar pense bem porque esse fato te incomoda tanto. Sabendo sobre isso você poderá abordar o assunto de forma mais segura. Fale dos seus sentimentos e converse com seu namorado. Um abraço.

Cláudia Nejme Psicólogo em São Paulo

51 respostas

2457 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

9 SET 2015

Ola Monica,
Você nos apresenta poucos elementos para uma analise maior. Por exemplo, o que esta lhe encomodando? Até que ponto a uso da pornografia por parte dele esta invalidando sua vida social (relações entre vcs dois, trabalho, amigos)? Como casal como flui a comunicação entre vocês, para que você aja de forma assertiva sobre este tema? Assim, procurar um profissional seria ideal para compreender melhor esta situações e lhe auxiliar nesta demanda.

CogniAção Terapia Cognitivo-Comportamental Psicólogo em Florianópolis

100 respostas

7523 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

9 SET 2015

Olá, Mônica !
Obrigado pela sua resposta.
Penso que seria interessante você refletir sobre que significado esse ato dele tem para você, sobre se algum dia você tambem não fantasiou alguma vez na vida, sobre o fantasiar na vida, se por no lugar dele pensando como seria se a Mônica tivesse também o desejo de partir para esse movimento. Além disso convida-lo para o diálogo para compreender o que esse ato significa para ele e o que impede de fantasiarem juntos.
Se permitirem a vivenciarem outras formas de se relacionarem pode ser enriquecedor para a relação de vocês.
Desejo sucesso nesse diálogo entre vocês.
Saudações
Dielson Rocha

Dielson Rocha Psicólogo em São Paulo

28 respostas

2416 pontuações positivas

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

9 SET 2015

Primeiro é importante saber por qual motivo deseja aborda-lo. Qual a sua expectativa ? Isso te incomoda ? A forma como você se sente em relação a isso vai fazer toda diferença na maneira com que vai falar com ele. Se ele por exemplo tem vicio em pornografia precisa de ajuda, ou se apenas gosta, mas pode viver sem ela seria importante saber o que ele busca e de que ele gosta em pornografia. Se isso te incomoda acho importante falar sim, porém sem cobrança, sem julgamento e sim para dividir algo como uma parceira buscando uma forma possível de juntos amenizar essa situação para você.

Consultório de Psicologia Patrícia Ferreira Psicólogo em Rio de Janeiro

2 respostas

941 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Psicólogos especializados em Terapia de casal

Ver mais psicólogos especializados em Terapia de casal

Outras perguntas sobre Terapia de casal

Explique seu caso aos nossos psicólogos

Publique a sua pergunta de forma anônima e receba orientação psicológica em 48h.

50 Você precisa escrever mais 16200 caracteres

Sua pergunta e as respectivas respostas serão publicadas no site. Este serviço é gratuito e não substitui uma sessão de terapia.

Enviaremos a sua pergunta a especialistas no tema, que se oferecerão para acompanhar o seu caso pessoalmente.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

Coloque um apelido para manter o seu anonimato

Sua pergunta está sendo revisada

Te avisaremos por e-mail quando for publicada

Esta pergunta já existe

Por favor, use o buscador para conferir as respostas

Psicólogos 12550

Psicólogos

perguntas 16200

perguntas

respostas 46350

respostas