Como decidir entre a razão e o coração?

Feita por >soledade em 7 Fev 2014 Psicologia clínica

A razão diz uma coisa e o coração diz outra totalmente diferente.

Resposta enviada

Em breve, comprovaremos a sua resposta para publicá-la posteriormente

Algo falhou

Por favor, tente outra vez mais tarde.

A melhor resposta

Conflito entre o que você quer e o que você deveria fazer. Devemos evitar extremos, afinal se formos somente emoção iremos nos decepcionar muito, nos envolvendo em situações difíceis. Já o excesso de racionalismo pode nos privar de viver boas experiências e de aprender com os erros. Acho interessante o equilíbrio entre ambos. Está claro que sua pergunta se refere a relacionamento afetivo. então, utilize seu lado racional para avaliar os riscos, as vantagens, se é uma relação que vale a pena viver, porque seu lado emocional deve querer viver a situação, mas tem medo de se machucar, de não ser correspondida, de dar tudo errado. Faça esse exercício que pode te ajudar a decidir melhor.

Leonardo Viana de Vasconcelos Martins Psicólogo em Fortaleza

1037 respostas

27873 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Ambos são importantes porem o dono da vida é o coração. A razão, o pensamento é fruto do cérebro e este é apenas o gerente do coração. Acontece que se não fala do sentimento (coração) o cerebro, através do pensamento manda fazer qualquer coisa pois não sabe do sentimento....

Geime Rozanski Psicólogo em Brasília

75 respostas

36 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá Soledade.
Soledade, somos ingênuos ao acreditar que temos algum tipo de controle tanto sobre razão como sobre emoção. A questão principal é: Como é que a razão e as emoções são controladas por nosso inconsciente? Entenda que não é você que está no controle da razão e das emoções e com esse controle você irá decidir com qual dos dois lados você irá dar voz e vez para decidir uma questão, qualquer que seja a questão. Sendo assim, em um processo psicoterapêutico, você deve trazer à tona os mecanismos de controle inconscientes que atuam sobre todos nós. Só assim você estará verdadeiramente livre para optar. Abraço.

Consultório de Psicoterapia Regressiva Pedro do Nascimento Psicólogo em Curitiba

53 respostas

1005 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Realmente é um conflito muito grande, mas a resposta para sua pergunta é: acho que devemos buscar sempre o melhor para nós, independentemente se esta relacionado com a razão ou a emoção, se os dois estiver apontando para bons sentidos, nesse momento sugiro que busque ajuda de um Psicologo para ajudar nas sua angustias e tratar de uma vez essa duvida tão intrigante

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá Soledade,

Seu curto relato me transmite uma angústia em buscar uma solução a partir deste meio termo: razão ou coração? Eu pergunto diferente... o que a Soledade, vendo a situação de fora, faria? O que te faz pensar com a razão e o que te faz deixar as emoções te levarem? Coloque na balança o coração e a razão. A terapia poderá ajuda-lá neste e em outras questões.

Estou a disposição


Elisa Lengler

Elisa Canellãs Lengler Psicólogo em Florianópolis

453 respostas

14124 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Razão significa pensar, falar ordenadamente, com medida, com clareza e de modo compreensível. E coração, bate através de sentimentos de vida, de alegria, de amor e emoções . Quando se sente forte em certa decisões, o coração bate forte te dando apoio de compreensão. Se quiser falar sobre esse assunto me procura. Abço Psicologa Maria Jose P. Silotti

Psicologia Silotti Psicólogo em Belo Horizonte

30 respostas

7121 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Soledade, tudo bem? Use a intuição, ela nunca falha, ok! Andréa

Andrea Christiano Psicólogo em Santa Rosa de Viterbo

51 respostas

1175 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Boa noite,
Nós temos a capacidade de desenvolver os dois de forma igual! Porém, com o tempo, vamos privilegiando um em detrimento do outro. Quando o ambiente tende a ser desgastante demais nos apegamos a razão, para evitar sentir, e quando somos exigidos muito pelo outro lado, tendemos a relaxar em demasia e nos apegar a questões mais ligadas ao emocional, por nos sentirmos mais vivos.
O ideal é que equilibremos da melhor forma que pudermos, para que ambos possam auxiliar quando for mais oportuno! O conflito pode advir do medo de errar na escolha entre o predomínio de um sobre o outro em determinada situação. Porém, como toda escolha em um processo de amadurecimento, você tem perdas e ganhos. Se escolher dar prioridade a uma coisa perderá outra, nem que seja um momento, um prazer momentâneo, um ideal temporário!
E por outro lado ganhará aquilo que escolher de forma consciente!
não há indicação para seguir um ou outro, isto depende de muitos fatores, por isso é indicado que vc percorra o seu processo pessoal, pois nele você irá descobrir quando usar um e quando usar o outro, bem como trabalhar as perdas, os erros e os enganos!
Se precisar, podemos não ser do mesmo lugar, mas realizo orientação online!
Att.
Thalita Ribeiro

Thalita Coutinho Ribeiro Psicólogo em Belém

68 respostas

4704 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

bom dia Soledade, o coerente é levar a razão junto com a emoção, pois quando usamos apenas uma das duas as chances de errar são maiores, sempre as decisões devemos pesar primeiramente os prós e contras e assim avaliarmos a melhor decisão.
Bjs no seu coração! Renata Hagge

Renata Hagge Psicóloga Psicólogo em Itaboraí

26 respostas

3501 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

O entendimento mais atual de neurologia e de biologia, não faz mais a divisão cartesiana entre corpo e mente, somos seres corporificados, o que significa que toda experiência humana é vivida no corpo. Toda emoção, todo pensamento, todo sonho, têm uma forma corporal. Essa forma nada mais é do que uma organização muscular e tônica que gera sensações, emoções e um sentido de identidade que organiza uma percepção do mundo e de si mesmo.

Na psicologia formativa, temos uma visão extremamente integral do ser humano: toda atividade envolve movimento, uma ação muscular, e que em cada movimento existe um processo organizador. Desta forma, para mudar um comportamento devemos compreender o processo organizador que o está regendo. O tônus muscular pode e precisa ser alterado voluntariamente por uma ação neural, para influenciar sensações, emoções e pensamentos.

Portanto pensamento e emoção são expressos no corpo e são fruto de uma organização muscular aprendida ao longo da vida que resulta em uma estrutura. As vezes mais, e outras menos flexível e disponível para se adaptar as necessidades do dia-a-dia.

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Soledade,
não há como separar!
A emoção é algo que nos faz agir por impulso, pensando exclusivamente no bem estar, na alegria momentânea. Esta mesma emoção nos faz chorar, sorrir, enfim, é o sentimento que aflora sem que sejamos racionais.
Por outro lado temos a razão. Agir com a razão é pensar no amanhã, nas conseqüências de uma decisão. A razão nos coloca um freio e diz:”É melhor arriscar com cautela e medir as conseqüências dos seus atos”.
Estas duas partes de nós, a “nossa emoção” e a “nossa razão” são duas vozes distintas, e estão ambas acessíveis à consciências, mas uma comunica mais em palavras e a outra através dos canais sensoriais do nosso corpo. Desta forma é como se fossemos sobretudo movidos pela nossa emoção e guiados pela nossa razão.

O trabalho essencial da psicoterapia consiste precisamente em poder ajudar as pessoas a conseguirem lidar com as suas emoções de forma mais efetiva, sendo que este trabalho enriquecedor consiste exatamente em colocar estas nossas duas partes, a parte emocional e a parte racional a dialogar de forma útil e produtiva, trabalhando-se no sentido da integração da emoção e da cognição, usando-se a cognição para dar sentido à emoção.

Marci Kaft

Marci Kraft Psicólogo em Joinville

190 respostas

12980 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Boa noite, Soledade!

Você se encontra em um dilema entre o coração e a razão, mas quando se tem que escolher entre dois aspectos que fazem condição no mundo, indica que estamos passando por um conflito. Muitas vezes, vivemos situações que racionalmente compreendemos como nocivas, mas ainda nos sentimos ligados emocionalmente, até porque separar esses aspectos é impossível, muitas vezes ignoramos nosso emocional com o intuito de tomar a decisão mais “acertada” , no entanto, porém esse sentimento reprimido volta a incomodar, ou seja, uma questão quando não resolvida volta... Então, em casos de conflitos, problemas Existenciais o mais indicado é iniciar um acompanhamento Psicoterapêutico que irá ajuda-lo a explorar suas questões e compreender um pouco dessa sua necessidade de escolher entre coração e a razão, alias irá proporcionar um espaço para refletir sobre isso, e se é mesmo necessário escolher entre um ou outro. Promovendo um momento que facilite seu desenvolvimento pessoal, e a lidar com suas dificuldades. Quem sabe você não possa descobrir que ambos aspectos são importantes para nos auxiliar a construir um melhor julgamento sobre algumas situações de nossas vidas.

Psicóloga - Gabriela Benigno

Gabriela Gomes Freitas Benigno Psicólogo em Fortaleza

14 respostas

2477 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá Soledade!

Essa resposta depende do que se trata em dicidir, mas se você está em conflito para decidir procure uma ajuda para você se conhecer melhor e poder identificar nesse momento se é melhor ouvir a razao ou o coracao.

Att.

Psicóloga Ana Paula Souza Psicólogo em Guarulhos

117 respostas

12249 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Muito bom receber seu questão... A razão sempre busca a resposta que traga exatidão, como por exemplo... certo ou errado, verdadeiro ou falso.. sempre com senso de julgamento. O coração te traz o visceral, o que pulsa... e pode estar relacionado com sentimentos e até mesmo com a intuição. Então, a pergunta a se fazer, seria... O que eu sinto referente a essa questão? O que eu percebo? O que eu intuo? E então, se fizer uma entrega verdadeira ao que teu corpo, seus sentimentos e até mesmo a tua intuição lhe traz, certamente tomará a decisão correta. Leve em consideração estas outras percepções que lhe darão sentido a sua decisão. Gratidão pela partilha. Fico a disposição. Abraço fraterno.

Clínica Escolha SER Psicólogo em São Paulo

4 respostas

2203 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Soledade, razão = concreto; coração = abstrato. Razão = consciência; emoção = pulsão; razão = cálculo; emoção = chute. Razão = certeza; emoção = dúvida. Você está levantando um questão que é discutida desde a filosofia mais antiga que você possa imaginar: a dificuldade da escolha entre razão e emoção. Procure fazer análise; um psicanalista poderá te ajudar muito com isso.

Julio Cesar Spehar Psicólogo em Santo André

322 respostas

22348 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Essa pergunta leva a um equilíbrio. Será que tens buscado? A psicoterapia te ajudará a encontrar o equilíbrio das suas emoções ou o seu controle. Para isso é uma tarefa árdua e repleta de obstáculos que levam ao autoconhecimento.

Sara Guerra Carvalho de Almeida Psicólogo em Fortaleza

30 respostas

5010 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá, tudo bem?
Decidir entre a razão e a emoção realmente não é uma tarefa fácil, mas é possível! A primeira "dica" que te dou é colocar tudo e uma balança e analisar "qual lado pesa mais".
Sua pergunta é bastante ampla e depende muito do acontecido para responder com mais certeza! Sinta-se a vontade para me mandar a dúvida "inbox", e posso te ajudar mais especificamente!
Abraço!

Júlia B. Benedini Psicólogo em São José dos Pinhais

14 respostas

4246 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

A razão e o coração são dois universos que habitam dentro de nós, cada um desses universos tem a sua lógica própria. O que faz sentido para a razão, muitas vezes não faz sentido para o coração e vice-versa. O que geralmente fazemos é escolher um em detrimento do outro, algumas pessoas confiam mais na sua razão e tentam fazer escolhas mais racionais para garantir alguma segurança. Outros já escutam mais os sentimentos e acabam seguindo a voz do coração totalmente. Nem um caminho e nem o outro. É preciso entrar em acordos. Os dois são igualmente importantes e precisam ser ouvidos e reconhecidos. Assim como fazemos acordos nos nossos relacionamentos, cedendo de um lado e exigindo o que é importante de outro, é preciso negociar também com a a nossa razão e a nossa emoção. O que acontece geralmente é que não temos clareza sobre as coisas da razão e dos sentimentos, não identificamos direito, temos dificuldade em separar o que é o sentimento, o que é o amor, o que é a posse, o que é a carência. Já na razão identificar o que nós realmente pensamos, o que é o certo para nós, o que é o certo para os outros. É fundamental a psicoterapia e o processo de autoconhecimento para organizarmos os diversos aspectos que vivem em nós e encontrarmos saídas mais coerentes com o que nós fará mais felizes. Espero ter ajudado. Um abraço. Marcela

Psicóloga Marcela Pavan Psicólogo em Rio de Janeiro

5 respostas

2877 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá Soledade.

Antes de tudo, sua pergunta é ótima, porém muito ampla.
Somos divididos por razão e emoção o tempo todo, certo? Isso nos faz refletir que vivemos num mundo (interno) de escolhas e renuncias e cabe a nós tentarmos escolher a melhor opção. Mas qual seria a melhor opção? Qual expectativa estou colocando na razão ou no coração? Não teria problema nenhum em escolher qualquer das duas opções, mas é de suma importância vocês saber quais expectativas você está criando ao escolher um ou outro, pois toda expectativa vem acompanhada de frustração. Sem dizer que nem toda escolha, o resultado será bom, pois não depende unica e exclusivamente de você e sim do fator externo (pessoas, coisas, situações).
Indico você "medir" suas expectativas para a razão e para o coração e avaliar possíveis consequências que trará ao escolher uma ou outra, assim, você fará uma (possível) escolha mais assertiva ou não.

Abraços e boa sorte.

Camilla Hoffmann Psicólogo em São José

14 respostas

3308 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Tenho medo de tentar novamente com a pessoa e não dar certo. Como saber qual decisão tomar se meu coração diz para tentar e ao mesmo tempo a razão diz que não, fala para partir para outra.

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Bom dia Vania, antes de responder seria necessário conhecer o que está acontecendo, o por quê da dúvida.

Karime F. Galane Manoel Psicólogo em Jaguariúna

3 respostas

3041 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá Vânia!

Primeiro é importante entender o que seria agir pelo "coração" para você, pois o mundo dos sentimentos e emoções é tão vasto, possui tantas direções... No entanto, percebo que o caminho do "meio" também é interessante, um caminho onde possamos ouvir nossos sentimentos e ponderar com a razão.
Boa sorte em seu caminho!

Se quiser conversar, estamos à disposição.
Um abraço,
Daniela Cota.

Cuidar-Ser Psicólogo em Belo Horizonte

2 respostas

2445 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

A sua decisão pode ter um meio termo? Se positivo, use a razão com o coração. É mais fácil tentar ponderar os dois do que fazer escolhas arbitrárias. Você tem o poder de escolher, resta saber se já tens todas as respostas para tomar sua decisão. Nesta hora, procurar alguém de sua confiança ou mesmo um terapeuta, pode facilitar e clarear o melhor caminho a seguir. Reflita! Boa sorte!
Psicóloga Katia Mafra

Psicóloga Katia Mafra Psicólogo em Florianópolis

30 respostas

4896 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Razão e o coração não podem estar divididos, somos uma pessoa e temos que encontrar o nosso equilíbrio interno. Com autoconhecimento podemos ver por que "o coração" está pedindo coisas que fazem mal para nossa vida.

Se uma pessoa ou um relacionamento nos faz mal e ainda assim queremos dividir a vida com essa pessoa, então temos que analisar vários aspetos que muitas vezes têm a ver com nossa história, o que é o amor, o amor que faz sofrer é bom para nossa vida?

Temos o direito de ser felizes ou então nossa vida realmente tem que ser sofrida?
Por causa da razão podemos entender o nosso coração.
Não temos como escolher entre razão e coração, temos que trabalhar pela integridade e o autoconhecimento.
Abraço,
Susana.

Susana Rodriguez Iglesias Psicólogo em Balneário Camboriú

39 respostas

8659 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Aí é uma questão de discernimento, onde devemos pesar os prós e os contras, e com equilíbrio tomar a decisão mais plausível!

Dínerson Fiuza Psicólogo em São Paulo

249 respostas

14415 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Psicólogos especializados em Psicologia clínica

Ver mais psicólogos especializados em Psicologia clínica

Outras perguntas sobre Psicologia clínica

Explique seu caso aos nossos psicólogos

Publique a sua pergunta de forma anônima e receba orientação psicológica em 48h.

50 Você precisa escrever mais 5950 caracteres

Sua pergunta e as respectivas respostas serão publicadas no site. Este serviço é gratuito e não substitui uma sessão de terapia.

Enviaremos a sua pergunta a especialistas no tema, que se oferecerão para acompanhar o seu caso pessoalmente.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

Coloque um apelido para manter o seu anonimato

Sua pergunta está sendo revisada

Te avisaremos por e-mail quando for publicada

Esta pergunta já existe

Por favor, use o buscador para conferir as respostas

Psicólogos 10000

Psicólogos

perguntas 5950

perguntas

respostas 26900

respostas