MundoPsicologos.com
MundoPsicologos.com
No Google Play Na App Store

Até que ponto a guarda alternada pode ser prejudicial à criança?

Feita por >Tatiana>. 4 Abr 2018 3 respostas  · Terapia familiar

Boa noite.

Tenho um filho de 6 anos e estou separada do pai dele há quatro anos. Ambos compartilhamos a guarda da criança conforme estipulado em juízo, 15 dias com cada genitor. Atualmente, tanto eu quanto o pai do meu filho estamos casados com nossos novos companheiros e residimos no mesmo bairro, logo essa alternância de dias não interfere no rendimento escolar do pequeno.

Contudo, meu marido recebeu uma proposta maravilhosa de emprego cuja remuneração ultrapassa em quase o dobro da atual. Infelizmente essa oportunidade é em outro estado e eu estou no meio de um dilema.

Conversei com o pai do meu filho na tentativa de que ele cedesse e me autorizasse levá-lo comigo, porém ele não concordou...( altamente previsível)

Tivemos um diálogo saudável e respeitoso acerca do assunto e chegamos à um consenso; deixar que nosso filho passe um ano com cada um de nós.

A princípio me pareceu razoável, mas posteriormente, em diversas pesquisas que fiz, li críticas negativas de muitos profissionais tanto do Direito quanto da Psicologia, alegando que seria importante que a criança possuísse um domicílio fixo.

Eu simplesmente perdi o chão. Não quero prejudicar meu filho, mas também me recuso a abrir mão dele.

Me ajudem, por favor. Na opinião de vocês essa alternância de residência pelo período de um ano pode afetar negativamente a vida de meu filho?

Desde já eu agradeço a atenção de vocês.

criança

A melhor resposta

Olá Tatiana,

A dificuldade a ser considerada é que seu filho tem relações sociais importantes além dos pais, e estas relações ficarão prejudicadas em caso de mudança constante. Escola, amigos, casa... Entendo sua angustia como mãe, mas a guarda compartilhada é feita desta forma para, principalmente, o melhor bem estar da criança. Será que desta forma o objetivo se concretizaria?

Busque ajuda terapeutica familiar para refletir as melhores possibilidades para todos.

Estou a disposição

Elisa Lengler

A resposta foi útil a você?

Sim Não

Obrigado pela sua avaliação!

Boa noite Tatiana,respondendo a sua pergunta esse alternância pode afetar tanto negativamente como positivamente, as adaptações as mudanças diárias na vida de uma criança de 6 anos devem ser pensadas levando em conta as relações afetivas e intrafamiliar, sugiro que procure uma psicologa do desenvolvimento infantil para ajudá-la com essas questões. Um abraço.

A resposta foi útil a você?

Sim Não

Obrigado pela sua avaliação!

8 ABR 2018

Logo Eliane Weber Eliane Weber

315 respostas

607 pontuações positivas

Olá, Tatiana.
Sugiro que você e o pai, sentem e vejam se não há outras alternativas, para que não haja prejuízo social da criança. Se for possível busque por uma terapia familiar.
Qualquer dúvida estou a disposição.

A resposta foi útil a você?

Sim Não

Obrigado pela sua avaliação!

7 ABR 2018

Logo Fernanda Veronesi de Menezes Fernanda Veronesi de Menezes

548 respostas

4414 pontuações positivas

Perguntas similares

Ver todas as perguntas
Até que ponto ser antissocial é normal?

5 respostas, última resposta em 24 Maio 2019

Rejeição à gravidez a ponto de odiar o bebê: pode ser depressão?

5 respostas, última resposta em 16 Janeiro 2018

Conviver com pessoas tóxicas nos influencia até que ponto?

3 respostas, última resposta em 04 Dezembro 2018

É normal criança ser punida na frente dos coleguinhas da escola?

6 respostas, última resposta em 19 Abril 2016

Como lidar com minha esposa sempre a ponto de explodir?

2 respostas, última resposta em 19 Junho 2019

O que pode ser quando o tamanho do pênis influencia em uma vida?

5 respostas, última resposta em 01 Fevereiro 2018

Meu marido não me procura mais. O que pode ser?

10 respostas, última resposta em 03 Abril 2016