Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Terapia de grupo para enfrentar um vício

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Conhecer experiências e angústias semelhantes pode ser fundamental na hora de enfrentar algum tipo de vívio. Aliás, esso é um dos principais benefícios da terapia em grupo.

4 AGO 2016 · Leitura: min.
Terapia de grupo para enfrentar um vício

Identificar problemas comuns, buscar ajuda mútua, compartilhar momentos vividos e as angústias sofridas. Esses são os principais objetivos da terapia de grupo com pessoas que buscam superar vícios, como álcool, tabaco ou outras drogas.

A terapia de grupo é considerada uma forma muito importante para enfrentar vícios assim, já que propicia momentos de questionamentos e troca de experiências sobre como pessoas distintas enfrentam problemas similares. Também propicia momentos de integração entre os participantes, que enxergam o mesmo problema no próximo e buscam a colaboração mútua.

As reuniões dos grupos geralmente ocorrem de maneira semanal. São coordenadas por um psicólogo, que também é responsável por fazer uma conversa individual com cada participante antes de ingressá-lo, bem como por fazer um levantamento das necessidades do grupo. Em muitas ocasiões, esses grupos são divididos por faixas etárias e podem contar ainda com equipe multidisciplinar, como enfermeiros e assistentes sociais.

Como é feita a terapia de grupo para superar vícios?

Sempre há um psicólogo responsável, que faz uma análise sobre as necessidades dos participantes e estabelece um plano de trabalho com objetivos. Cada pessoa é ouvida e tem a oportunidade de dizer onde quer chegar com os encontros, qual são suas metas pessoais e quais as maiores dificuldades que encontram no processo de superação do vício.

terapiadegrupo.jpg

Além disso, o profissional é responsável por evitar que haja críticas ofensivas entre os participantes ou julgamentos que fogem do ideal da terapia, visando manter o estímulo e a riqueza das discussões. Ademais, para que haja um melhor andamento do processo, no final de cada reunião os participantes podem opinar sobre o encontro.

Vale destacar que, apesar de a terapia ser em grupo, a pessoa pode conversar com o profissional individualmente em caso de dificuldades, como não se sentir confortável, por exemplo. O profissional buscará maneiras de solucionar a questão e encontrar caminhos para que a pessoa não deixe de ter suporte.

Os grupos de terapia para enfrentar vícios são geralmente gestionados por órgãos públicos, programas sociais, organizações não-governamentais e psicólogos particulares.

Terapia de grupo para vícios é eficaz?

Essa é uma das principais perguntas feitas por pessoas que tentar se livrar do vício ou por familiares que buscam alternativas de ajuda. Segundo a psicóloga Ussénade Maria de Oliveira, a resposta é sim.

"A terapia de grupo para enfrentar vícios apresenta ótimos resultados. A pessoa encontra nas experiências e dores do outro a força que lhe falta para continuar caminhando", diz.

flickr-lostintheredwoods.jpg

Da mesma forma pensa Leonardo Viana de Vasconcelos, que salienta que o processo é bastante enriquecedor quanto os participantes estão engajados.

"Conhecer as experiências de outros com relação à dependência química faz o sujeito se identificar, entender melhor suas próprias vivências a partir do relato do outro e desabafar conteúdos angustiantes que normalmente a pessoa não falaria com outros", explica.

É importante lembrar que o processo de enfrentamento de vícios pode requisitar ainda outros tipos de tratamento, dependendo de cada caso. No entanto, a terapia de grupo é um passo importante no caminho, pois permite à pessoa ver que não está sozinha e que, em muitas das ocasiões, pode contar com a ajuda de novos amigos.

Por isso, se você quer saber mais sobre a terapia de grupo para enfrentar vícios, deixa sua dúvida para profissionais em nossa sessão de perguntas.

Fotos (ordem de aparição): por MundoPsicologos.com e lostintheredwoods (Flickr)

psicólogos
Linkedin
Escrito por

MundoPsicologos.com

Deixe seu comentário
3 Comentários
  • Roseanne

    Gostaria de obter mais informações.

  • Ivan Ivan

    Gostaria de saber mais sobre

  • silva

    gostaria de conhecer mais sobre esse trabalho

últimos artigos sobre drogas