Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

O que é hipnose

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Em um processo de psicoterapia, a hipnose é utilizada como recurso que auxilia o(a) paciente a entrar em contato consigo mesmo(a), identificar bloqueios e acessar recursos.

18 ABR 2017 · Leitura: min.
O que é hipnose

Você já respondeu sua mãe, ou o irmão, ou o marido, enquanto mexia no computador e depois não lembrou de ter respondido?

Quem já ficou tão absorto ao assistir a um filme ou palestra que achou que o tempo não passou?

E quando estamos dirigindo e nada tira nossa atenção?

Se você já vivenciou as situações descritas acima, você já sabe o que é estar em estado de transe.

O estado de transe é um estado alternativo de atenção, quando a atenção está focada em um ponto específico e desfocada de outros. E um estado natural, que vivenciamos várias vezes ao dia sem nos darmos conta, como nas situações descritas acima. Como se vê, podemos entrar em estado de transe de forma natural, ou esse estado pode ser induzido através de práticas como a meditação, yoga, oração, e também com o uso da hipnose.

A Associação Americana de Psicologia define que:

"Hipnose é um procedimento onde um profissional de saúde ou um pesquisador sugere que um cliente ou paciente experimente sensações, percepções, pensamentos ou comportamentos. O contexto hipnótico é geralmente estabelecido por um procedimento de indução. Apesar de existirem muitas formas diferentes de indução hipnótica, a maioria inclui sugestões para relaxamento, acalmar, ou sensação de bem estar. Instruções para imaginar ou acessar experiências agradáveis são incluídas comumente em induções hipnóticas."

Essa definição trata do uso da hipnose clínica, que é aquela utilizada por psicólogos, médicos, dentistas e demais profissionais de saúde. Em um processo de psicoterapia, a hipnose é utilizada como recurso que auxilia o(a) paciente a entrar em contato consigo mesmo(a), identificar bloqueios e acessar recursos que de maneira consciente não consegueria acessar. É uma técnica terapêutica com eficácia reconhecida pela Psicologia e Medicina..

Portanto, se a sua ideia de hipnose envolve o uso de pêndulos, perda da consciência, ou comer cebola acreditando ser maçã, esqueca! A hipnose moderna foi desenvolvida pelo psiquiatra americado Dr. Milton Erickson e, por isso, é chamada de hipnose ericksoniana. Esse método tem uma base muito diferente daquela que prevaleceu no passado. Erickson, na verdade, descobriu e praticou uma nova maneira de provocar o estado hipnótico, que não tem nenhuma semelhança com a hipnose clássica – aquela em que o hipnotizador autoritário submete seu paciente com sugestões para dominá-lo. Também não é um tipo de estado de sono induzido.

O individuo que a experimenta não está desprovido de livre arbítrio, nem dominado pelo hipnotizador; ao contrário, ele utiliza seu próprio estado de liberdade, do qual necessita,a o mesmo tempo que permanece plenamente ligado à experiência que vivencia. As pessoas que são hipnotizadas não perdem o controle de seu comportamento. Elas permanecem conscientes de quem são, onde estão, conversam com o terapeuta e recordam o que aconteceu durante a sessão hipnótica.

Elas simplesmente dispõem de uma estado de consciência diferente que lhe proporciona o conforto necessário para melhor acessar os seus recursos inconscientes, úteis para a resolução das dificuldades que o bloqueiam. As pessoas que vivenciam a hipnose no contexto da terapia, relatam uma vivência de relaxamento e bem estar, como em uma meditação.

Na abordagem ericksoniana, acreditamos que cada pessoa tem em si os recursos de que necessita para solucionar seus próprios problemas. Os recursos que o paciente tem no seu consciente e inconsciente são completamente adequados para se construir e dirigir uma vida produtiva e digna. Uma parte da tarefa do terapeuta é ensinar o paciente a ter acesso a estes recursos, de forma que as capacidades e habilidades possam ser usadas apropriadamente. A hipnose é um dos caminhos para se fazer isso, levando o paciente a entrar contato com a própria experiência interna e com seus potenciais não percebidos de uma maneira que pode ser surpreendente.

"O estado de transe ativa os níveis mais profundos de aprendizagem inconsciente." Milton Erickson

Para que utilizar a hipnose em um processo de terapia?

Hipnose não é terapia. É uma ferramenta, uma técnica, que pode – ou não – ser utilizada dentro de um processo de terapia. Como hipnoterapeuta, atesto todos os dias os benefícios da hipnose quando aliada ao acompanhamento clínico, tais como

– A técnica por si só pode ser terapêutica, já que promove um voltar-se para si de maneria confortável, gerando sensação de tranquilidade e bem estar.

– Durante o transe, o consciente fica absorto e o inconsciente aflora. Desta maneira a pessoa fica mais receptiva para receber ideias, poder trabalhar, aflorar lembranças, aprendizagens, experiências positivas, etc.

– A pessoa pode acessar recursos que de maneira consciente não consegue acessar como, por exemplo, manejo de dores crônicas

– A pessoa sai do foco habitual de enxergar as coisas e os problemas. Ou seja, ela vê a questão sob uma nova perspectiva – possibilitando a construção de pontos de vista mais positivos e construtivos.

Pode-se dizer que a hipnose é uma via de acesso ao inconsciente. No próximo artigo vou abordar o que é a mente inconsciente e como podemos acessá-la com o uso da hipnose. Até lá!

Escrito por

Isabella Trindade Psicologia e Constelação Familiar

Ver perfil
Deixe seu comentário

últimos artigos sobre hipnose