Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Hipnose: via de acesso ao inconsciente

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

A hipnose ericksoniana baseia-se sobre esta estrutura dupla do cérebro. Ela tem por finalidade retomar o contato com os recursos do inconsciente.

18 ABR 2017 · Leitura: min.
Hipnose: via de acesso ao inconsciente

O cérebro humano dispõe de duas maneiras diferentes e complementares de receber e tratar informações:por um lado, o tratamento linar, analítico e sequencial; e por outro lado, o tratamento espacial, global e sintético.

Didaticamente, podemos dizer que um lado corresponde ao hemisfério esquerdo do cérebro e o outro, ao hemisfério direito.

Buscamos compreender o mundo e nossas questões de vida através dos processos convencionalmente atribuídos ao hemisfério esquerdo: análise, lógica, explicação. No entanto, nossa visão de mundo – a representação que cada um tem do que é o mundo e como ele funciona – é essencialmente construída através de símbolos e processos atribuídos ao hemisfério direito. Isso significa que o acesso à mudança situa-se exatamente nessa representação do mundo, que é o melhor lugar para efetuar com eficácia um processo de mudança.

De fato, quem nunca constatou como é pouco produtivo raciocinar, explicar e argumentar com o objetivo de provocar alguma mudança em outra pessoa? O cérebro direito – relacionado ao simbólico, ao intuitivo, ao sensorial – é subestimando e subutilizado em nossa cultura e deve ser mais estimulado , especialmente nas áreas da administração, pedagogia, psicologia, em que o desenvolvimento da pessoa é amplamente solicitado.

Todavia, não se trata de opor o hemisfério esquerdo e o hemisfério direito, pois eles se complementam e formam um todo indissociável. A separação dos dois hemisférios é uma metáfora, um símbolo, para elucidar, didaticamente, essas duas funções de nossos processos mentais.

A linguagem predileta do hemisfério esquerdo é a da explicação racional, da demonstração, da descrição em seus menores detalhes: ela vem da comunicação direta. A linguagem do hemisfério direito serve melhor para sintetizar, para imaginar, para realizar associações e novas construções da realidade. Podemos chamar de "linguagem de mudança" a linguagem que se dirige ao hemisfério direito.

Milton Erickson, psiquiatra americano considerado o pai da hipnose moderna, auxiliava seus pacientes a mudar, bloqueando o cérebro esquerdo para abrir a receptividade do cérebro direito e poder dirigir-se diretamente a este, pois é nele que ocorre o processo de aprendizagem e mudança.

De forma didática, podemos dizer que o hemisfério esquerdo corresponde ao consciente, e o hemisfério direito corresponde ao inconsciente. Segundo Erickson, os bloqueios estão ligados ao fato de não haver um funcionamento democrático entre essas duas instâncias: cérebro esquerdo e cérebro direito (ou, em outras palavras, consciente e inconsciente). Mas, ainda aqui, a distinção entre consciente e inconsciente é apenas uma metáfora útil. O consciente e o inconsciente não se dissociam, eles se influenciam e se interpenetram mutuamente.

A hipnose ericksoniana baseia-se sobre esta estrutura dupla do cérebro. Ela tem por finalidade retomar o contato com os recursos do inconsciente, sair das limitações geradas pelas racionalizações conscientes. Para Erickson, a essência de nossa vida é regida por nossos processos inconscientes. Assim, o estado hipnótico leva ao estado em que o aprendizado e a abertura a mudança ocorrem mais facilmente, pois favorece o acesso aos recursos inconscientes que operam no cérebro direito.

Toda hipnose é uma auto-hipnose, na medida em que o próprio paciente aprende a se dissociar de suas preocupações e de deixar entre parênteses as limitações de seu espírito crítico, para cultivar inconscientemente seus recursos num estado de conforto e serenidade que ele mesmo saberá criar.

O princípio básico da hipnose ericksoniana é surpreendentemente semelhante ao da meditação zen: "Quando o espírito que raciocina não se agarra nem se apega demais, então podemos despertar para a sabedoria e o saber."

Escrito por

Isabella Trindade Psicologia e Constelação Familiar

Ver perfil
Deixe seu comentário

últimos artigos sobre hipnose