Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

A importância de se conhecer melhor

De uma forma geral eu sou aquilo que eu vivenciei durante a minha vida até o momento e como eu administro estes conteúdos e faço a associação com as experiências vividas no momento.

29 OUT 2019 · Leitura: min.
A importância de se conhecer melhor

Quando nos questionamos a respeito de quem nós somos, a primeira coisa que precisamos ter em mente é que nenhuma pessoa do planeta é igual às outras, logo, somos diferente de todas as outras pessoas que existem no planeta. Isso ocorre, porque cada pessoa é criada em um ambiente diferente do outro, com pessoas, eventos e culturas diferentes.

Mesmo quando os ambientes, as pessoas, a cultura e os eventos são similares, as crianças no período da estruturação cognitiva, assimilam de forma diferente, e consequentemente os conteúdos são armazenados no cérebro com sentidos e formas diferentes e muitas vezes, de forma distorcida da realidade que realmente aconteceu.

Cada pessoa é basicamente aquilo que foi armazenado no cérebro ao longo da vida, e como ela administra esses conteúdos.

Como saber quem sou eu?

No processo psicoterapêutico, o psicólogo auxilia o cliente, direcionando-o através de técnicas psicológicas a encontrar a si mesmo e se conhecer melhor. Como consequência, se aproximar do objetivo de saber quem realmente é, exige-se uma participação ativa e envolvente no processo, necessitando de varias sessões com o psicólogo, para se chegar a uma conclusão próxima da desejada.

A boa notícia, é que se você não tem condições de fazer psicoterapia e gostaria de saber um pouco sobre quem você pode ser, basta seguir o mesmo esquema.

Para você conseguir saber quem você é, vai ser necessário pesquisar com os seus pais ou responsáveis que te criaram, buscando compreender os eventos marcantes e principalmente aqueles que foram armazenados de forma disfuncionais no seu cérebro.

Aqueles que foram assimilados de forma distorcida, maquiada, por vários motivos, mas, principalmente por falta de estrutura e experiências com o evento experimentados na infância.

Não é fácil, porém, não é impossível! É importante ter em mente que os eventos armazenados no cérebro, são os conteúdos que vão ser utilizados para produzir os nossos pensamentos. Conteúdos disfuncionais produzem pensamentos disfuncionais e consequentemente sentimentos desagradáveis e comportamentos não assertivos.

Por isso, há necessidade de mudar a cenas dos eventos e estruturar de forma racional, sempre consciente de que foi experimentados no passado, em épocas e circunstância diferentes. 

O fato de estar influenciando os pensamentos atuais acontecem de forma irracional e inconsciente sem que conseguirmos perceber, por isso, é necessário praticar o "DCD", duvidar, criticar e decidir se os pensamentos são racionais ou irracionais. Utilizando a técnica "acalme-se", vai se tornar mais fácil de atingir os objetivos.

Escrito por

Waldir de Oliveira

Ver perfil
Deixe seu comentário