Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Escolha profissional

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

A escolha profissional coloca o adolescente frente a inúmeros desafios. A orientação profissional é um recurso apropriado para auxiliar o adolescente nesta tão importante decisão.

8 SET 2014 · Leitura: min.
Escolha profissional

Escolher uma profissão é uma tarefa árdua e conflituosa, isto devido aos diversos fatores externos e internos que nos influenciam, provocando na pessoa sentimentos de medo, incerteza, angústias e ansiedades, sentimentos estes que se não forem bem administrados poderão prejudicar muito na hora de escolher uma profissão.

O sentimento de dúvida na hora da escolha profissional não é de tudo ruim, mesmo porque o ato de duvidar é inteiramente humano e repousa justamente no nosso poder de conceber que as coisas sejam de um outro modo que não aquele com que nos apresentam num dado momento, no entanto, é fundamental para lidar bem com essa dúvida e fazer uma escolha consciente, investir no autoconhecimento, mas para isso é preciso se predispor a conhecer e compreender os seus próprios sentimentos.

Na construção do autoconhecimento deve prevalecer a busca pelo desconhecido, que até então permanecia no inconsciente, isto é crucial e te ajudará a se perceber melhor e a conhecer suas habilidade e aptidões, além de te ajudar a distinguir os seus desejos dos desejos daqueles que te circundam como: os pais, parentes, grupo de amigos, etc. Mas também deve-se buscar por informações sobre a profissão que se pretende exercer; ter um panorama da economia e da política do país, para saber a quantas anda o mercado de trabalho etc.

Toda escolha exclui, ou seja, diante de uma determinada escolha você vai ter que abrir mão de outra, mas a grande questão é: como fazer uma boa escolha profissional sem grandes traumas? Para se ter a dimensão do quanto essa é uma questão complexa e da necessidade de uma boa orientação vocacional, basta dar uma olhada na pesquisa realizada pela USP na qual foi constatado que 70% dos universitários mudam sua opção profissional até o segundo ano da faculdade.

O mais preocupante é que a falta de orientação não se reflete apenas na mudança de cursos durante a faculdade, mas os danos e os traumas que a pessoas poderá sofrer por toda a sua vida, como por exemplo, passar uma vida inteira exercendo uma profissão frustrado e infeliz.

A orientação vocacional tem muito a contribuir na hora da escolha profissional, ela alia os conhecimentos das diversas instâncias que influenciam o orientando, desde suas características pessoais até as instâncias familiares, educacionais e mercadológicas. O processo de orientação é uma aprendizagem de escolha que acontece sob o olhar do orientador profissional que estará sempre atento à dinâmica psicológica apresentada.

A orientação profissional é pautada num projeto de atuação definido especificamente para as necessidades pessoais de cada orientando. Esse projeto é pensando a partir de uma avaliação psicodiagnóstica realizada no início da orientação. Os instrumentos utilizados durante a orientação profissional consistem em: entrevista, testes psicológicos, técnicas lúdicas, exercícios, jogos e questionários. O número de sessões da orientação profissional pode variar em função da avaliação inicial.

Foto: por omgponies2 (Flickr)

Escrito por

Consultório Milene Luiz

Ver perfil
Deixe seu comentário