Sou casada há 18 anos e amo dois homens. Será?

Feita por >Maria Flor>. 12 Ago 2017 2 respostas

Quero entender o que se passa dentro de mim. Tenho 41 anos e sou apaixonada pelo meu primo.segundo desde os.meus 14 anos... há 27 anos. Namoramos por 6 meses naquela época. Foi meu primeiro namorado e eu a dele. Ele é mais velho apenas alguns meses. Na época ele chegou a dizer que me amava, mas queria muita intimidade sexual então eu não acreditava muito. Eu não queria. Ele era ciumento com meus amigos e ficou sem falar comigo. Terminei com ele prq ele ficou sem falar comigo. Mas nunca o esqueci. Eu já era evangélica e ele meio.rebelde. Ficava esperando ele seguir o mesmo caminho que eu. Fizemos um trato: ele queria que eu emagrecesse e eu queria q ele fosse pra igreja tmb. Mas ele não deixou de ficar com outras meninas. Eu tmb namorei uns dois meninos sem nenhum contato sexual. Mas ele nunca dizia q gostava de mim,.ficava sempre falando de.putrad garotas durante os anos seguintes. Sempre.fui mais espontânea,.amiga de todo mundo. É recebia alguns pedidos de namoro mas ninguém me interessava. Quando estava com quase 18 anos fui para um retiro da igreja e dois rapazes lá queriam namorar comigo, não quis. Mas quando voltamos pra cidade q todos eles moravam, a cidade da minha vó, eu o encontrei na praça é meu coração pulou. Só w ele me tratava com tanta indiferença. Não conseguia entender... Eu queria namorar com ele mas tinha medo prq eu o amava e achava que ele só queria sexo. Eu não havia cedido ainda, mas se continuasse iria ceder e para mim estava errado, só no casamento. Acabei aceitando um pedido de.namoror nessa praça e ele viu quando o carinha me beijou. Me senti péssima. Chorei depois. Ele foi embora chateado. Pouco tempo depois começou a namorar, em um ano a namorada engravidou e se casaram ainda adolescentes. Estão casados até hoje e ele é um homem sério. Somos amigas. Nós encontramos todo ano e eu ainda choro quando o vejo. Sinto algo w não consigo explicar. Ele estava casado e a filha tinha um ano e meio quando nos encontramos no apartamento dos meus pais. Eu já havia ido embora de estado e estava de férias e.ele foi passar alguns.dias lá. Nós nunca mais falamos sobre nós dois, mas gostávamos de ficar juntos e conversar. Minha mãe chegou a chamar atenção q estávamos conversando demais. Eu era noiva de um segundo namorado. Numa noite ele saiu com amigos e eu fiquei assistindo filme no quarto com meu irmão. Minha mãe já dormia. Estava no quarto q o meu primo estava naqueles dias, na cama q ele dormia. O filme estava acabando quando ele chegou. Ele já tinha 21 anos e eu, 20. Deitou ao meu lado e eu me afastei pra levantar, ele me pediu pra cheirar ele só pra saber se estava cheirando a fumaça. Quando fui sentir, ele me agarrou, me beijou com tanto desejo e me puxou pra sala escura. Ele tirou minha roupa inteira e me beijou e eu fiquei imóvel, gostando mas com medo... Até q ele tentou me penetrar e eu dei um pulo, disse q não, q eu era virgem. Ele implorou e me perguntou se não seria melhor a primeira vez com quem amava? Ele sabia q eu o amava! As vezes acho q ele tmb a mim. Eu vesti a roupa e fui embora. Acordei péssima no outro dia e disse que não sou destruidora de lares, q ele casou e precisa honrar isso. Terminei aquele noivado. Conheci meu marido, fui embora e fiquei anos sem encontrar meu primo. Há dez anos voltamos a ter contato, mas nunca conversávamos sozinhos. Ele foi pra igreja com a família inteira. Hj são firmes lá. Esse ano por algum motivo perguntei algo a ele pelo zap sobre o namorado da filha caçula dele de 16 anos, mesma idade da minha mais velha. Que tomara q esse namoradinho não seja tão perigoso quanto o meu primo nessa idade. Foi o suficiente pra ele relembrar tudo q nos aconteceu, ficou excitado, me mandou foto pelo zap. É começamos a conversar sobre o que nos aconteceu, o q deu errado. Ele disse que eu sou a prima q ele mais ama, mas w nunca me viu como mulher. Falou da decepção quando me viu beijar outro na sua frente, q isso não era atitude de quem amava. Tentei me explicar, acho que ele entendeu. Mas o tempo passou. Deixei de ter contato com ele, até me bloqueou no zap. Há um mês atrás, estávamos todos na fazenda da família. Fui debaixo de chuva com cortina de boxe na cabeça na casa da mãe dele buscar leite pra meu sobrinho q chorava. Ele disse a esposa q me levaria de volta. Foi entrando no carro e pegando na minha perna dizendo q eu estava gostosa... Comecei a tremer, a pedir pra ele parar... Mas ele não parava... Fiquei excitada, ele tmb... Depois nos encostamos os nossos rostos mas não nos beijamos. Muita adrenalina! Muito perto de um lugar pra outro. E voltamos a nos falar no zap. Ele mandou dizer q estava pensando em mim... Marcamos de nos encontrar. Depois ele desistiu da ideia. Mandou mensagem dizendo q não poderia trair a esposa, q ele não consegue. Que nossa história foi interrompida mas as circunstâncias hj são outras... Verdade! Eu sei! Mas não consigo convencer meu coração disso tmb. Eu tmb creio q não consigo trair. Mas queria saber prq ele não sai da minha cabeça. Prq choro quase todo dia... O q podemos fazer?! Sofro com isso há 27 anos... Tem fórmula pronta pra acabar?

2 respostas

  • A melhor resposta

    Maria Flor,
    Você precisa de um psicanalista para desabrochar as ideias que ficam reprimidas por circunstâncias relativas à moralidade, dentre outras.
    Espero ter ajudado.

    Upload feito 22 Agosto 2017

    Logo Psicanalista Julio Cesar Spehar

    312 respostas

    8384 pontuações positivas

Explique seu caso à nossa comunidade de psicólogos!

Qual é a sua dúvida? Psicólogos especializados no assunto respondem à sua pergunta
Verifique se há perguntas similares já respondidas:
    • Escreva de forma correta: evite erros de ortografia e não redija tudo em maiúsculas
    • Expresse-se de forma clara: use uma linguagem direta e com exemplos concretos
    • Seja respeitoso:não use vocabulário inadequado e mantenha as boas maneiras
    • Evite SPAM: não coloque informação pessoal (telefone, e-mail, etc.) nem publicidade

    Se o que você deseja é pedir informação como cliente, clique aqui
    Como você deseja enviar sua pergunta?
    Excluir
    Nome (será publicado)
    E-mail em que receberá as respostas
    Para que possam atender-lhe por telefone
    Para escolher expertos da sua região
    Para escolher aos expertos mais adequados
    • 6500 psicólogos à sua disposição
    • 2350 perguntas feitas
    • 15350 respostas dadas
    • Olá Maria Flor,

      Não existe fórmula pronta pra nada quando lidamos com a mente individual. Você relata a sua história cheia de detalhes e eu acredito que a terapia seria de suma importância para refletir sobre esse amor que ainda persiste.

      Estou a disposição

      Elisa Lengler

      Upload feito em 14 Agosto 2017

      Logo Elisa Canellãs Lengler

      104 respostas

      462 pontuações positivas

    Perguntas similares Ver todas as perguntas