Relacionamento entre irmãos e cobrança dos pais

Feita por >Deise · 1 ago 2020 Terapia familiar

Olá, tenho 29 anos e uma vida bem estruturada. Casei com uma pessoa maravilhosa e tenho pais que amo muito e que moram próximos a mim.
Tenho um irmão mais velho (36 anos) que mora em outro estado. Nunca tive um bom relacionamento com ele, sempre tive que “mendigar” atenção e carinho. Ele também é casado e tem duas filhas que são minhas afilhadas, mas não temos vínculos sólidos. Essa semana tive uma discussão pela internet com ambos (irmão e cunhada) e resolvi encerrar os laços, não irei brigar mais e nem nada assim, encerrei laços de forma racional, falando que temos personalidades diferentes e que não temos que forçar vínculos afetivos que não existem. Eles não me procuraram, demonstrando que concordam com essa decisão.
Porém, meus pais estão me “forçando” a manter laços afetivos, falando que devo relevar e voltar a demonstrar sentimentos, pois eles acham que irmãos deveriam se dar bem. Como resolvo esse impasse? Abro mão da minha decisão para agradar os meus pais?
Obs: esse irmão também não procura os meus pais e não demonstra sentimentos por eles, tanto que as brigas que já tivemos são por isso também, já que eu gostaria que ele desse amor para quem o ama.
A relação funciona da seguinte maneira: quando perdi um bebê, por aborto espontâneo, não recebi nenhuma ligação de carinho por parte do irmão e da cunhada, mas quando ele, ela ou alguma das filhas adoecem, meus pais se preocupam tanto que eu tenho que entrar em contato para ver se está tudo bem com eles...

Resposta enviada

Em breve, comprovaremos a sua resposta para publicá-la posteriormente

Algo falhou

Por favor, tente outra vez mais tarde.

A melhor resposta 2 AGO 2020

Deise,

Vou deixar algumas perguntas aqui como ferramentas para você usar da maneira que achar mais adequada:

1) Como você pode usar a distância a seu favor? Seu irmão e cunhada moram em outro Estado, sendo assim, você pode escolher a forma de comunicação, texto, áudio, vídeo. Qual dessas formas é mais eficiente para evitar conflitos e se comunicar quando for necessário?

2) Como estimular a autonomia dos seus pais? De tal modo que quando eles quiserem saber informações sobre seu irmão eles mesmo descubram? Eles sabem usar facebook? Whatsapp? telefone? msn? etc.

3) Quais as diferenças entre vínculos afetivos e vínculos familiares? Teria como manter um tipo de vínculo familiar ainda que não haja vínculo afetivo?

4) Qual seria uma frequência de contato com seu irmão que não seria desagradável para você? Uma vez por mês? a cada seis meses? Uma vez por ano?

Att

Kelton Medeiros Teles Psicólogo em Fortaleza

38 respostas

51 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

2 AGO 2020

É, precisamos entender que seus pais foram criados em uma outra época e é normal eles quererem harmonia entra os familiares, porém isso nunca deve ser forçado, se vc não quer e se eles tb ñ fazem questão, os seus pais é que tem que se adaptar a essa situação e que nem tudo é uma mar de rosas, é melhor ser autêntico do que manter a "paz", só por aparências. Seja vc mesma, mesmo que seus pais não concordem

Dínerson Fiuza Psicólogo em São Paulo

272 respostas

14590 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

2 AGO 2020

Olá Deise! Obrigado por participar. As dificuldades apresentam dimensões diferentes em diversas pessoas. Na verdade você gostaria que a família, como um tudo, vivesse uma troca afetiva mais significativa, segundo seu ponto de vista. Acontece que seu irmão e cunhada desenvolveram outra forma de interagir. Afeto não é questão de fala, é questão essencial de vivência, de motivação íntima. Percebe-se que há mágoa de experiências acontecidas, que estão presentes até hoje. Por essas razões, como você quer lidar bem com seus pais, será interessante você não externar a eles, sua sensação íntima, mas administrar trocas conforme as convenções sociais. Não é preciso ser rígida para exigir de si mesma, que o sente internamente, corresponda ao que fala, para adequar-se à diplomacia familiar.
A questão que será importante você tratar consigo mesma, se possível, com a condução científica de um psicólogo, é o sentimento de mágoa. Não mudamos as pessoas, mas ao modificarmos a nossa forma de sentir, interpretar e comportar diante de algumas situações, levaremos a aqueles que convivem conosco, nessas situações, a se modificarem.
Tua vida apresenta uma complexidade com potencialidades e possibilidades que você poderá investir tempo e dedicação para descobrir e desenvolver.
Espero ter ajudado. Estarei à disposição para esclarecimentos e aprofundamentos que se fizerem necessários.
Abraços virtuais (em tempos de pandemia, cuidemo-nos!)

Ary Donizete Machado - psicólogo clínico.

Ary Donizete Machado Psicólogo em Limeira

3797 respostas

2553 pontuações positivas

Fazer terapia online

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Psicólogos especializados em Terapia familiar

Ver mais psicólogos especializados em Terapia familiar

Outras perguntas sobre Terapia familiar

Explique seu caso aos nossos psicólogos

Publique a sua pergunta de forma anônima e receba orientação psicológica em 48h.

50 Você precisa escrever mais 14300 caracteres

Sua pergunta e as respectivas respostas serão publicadas no site. Este serviço é gratuito e não substitui uma sessão de terapia.

Enviaremos a sua pergunta a especialistas no tema, que se oferecerão para acompanhar o seu caso pessoalmente.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

Coloque um apelido para manter o seu anonimato

Sua pergunta está sendo revisada

Te avisaremos por e-mail quando for publicada

Esta pergunta já existe

Por favor, use o buscador para conferir as respostas

Psicólogos 12200

Psicólogos

perguntas 14300

perguntas

respostas 42800

respostas