MundoPsicologos.com
GRÁTIS - No Google Play GRÁTIS - Na App Store
Instalar Instalar

Rejeição à gravidez a ponto de odiar o bebê: pode ser depressão?

Feita por >Camila>. 11 Jan 2018 · 5 respostas · Depressão

Odeio o pai da criança que é um cara fracassado e foi apenas um encontro casual da qual resultou essa gravidez completamente indesejada. Desde o primeiro momento tentei abortar tomando chás e enfiando agulhas dentro da vagina mas como sou pobre não pude pagar uma clínica clandestina e nem remédios então tentativas de aborto sem sucesso. Estou com 4 meses de gravidez, não to fazendo pré natal, não tenho interesse na criança, nem em saber o sexo, não quero e rejeito, odeio o tempo todo, infelizmente sinto ele mexendo dentro de mim o que só aumenta o meu repúdio. Sei que ódio é uma palavra muito forte mas é esse sentimento que eu tenho constantemente. Me sinto um monstro. Vou dar a criança para adoção e não quero nem ver a cara dela. Todos tentam me convencer mas eu sigo com esse ódio. O pai está fugindo e diz que o filho não é dele. Já tenho um filho que ainda é um bebê e que eu sou completamente apaixonada mas me sinto culpada pois não estou conseguindo cuidar do meu filho, minha casa tá uma bagunça tudo sujo, só quero dormir e ficar deitada, faltei no trabalho por 3 semanas, falo na morte o tempo todo, torço por um aborto espontâneo, minha vida e meus planos acabaram! Me sinto fracassada! Tenho apenas 22 anos.

Assuntos relacionados

5 respostas

  • A melhor resposta

    Camila, você precisa buscar auxílio psicológico o mais breve possível, porque nesse processo de rejeição da criança você pode não apenas fazer mal a ela como a si mesma. Procure o CAPS na sua região, ou clínicas escola das faculdades de psicologia, eles oferecem tratamento gratuito. Boa sorte.

    Upload feito 13 Janeiro 2018

    Logo Leonardo Viana de Vasconcelos

    740 respostas

    14397 pontuações positivas

Explique seu caso à nossa comunidade de psicólogos!

Qual é a sua dúvida? Psicólogos especializados no assunto respondem à sua pergunta
Verifique se há perguntas similares já respondidas:
    • Escreva de forma correta: evite erros de ortografia e não redija tudo em maiúsculas
    • Expresse-se de forma clara: use uma linguagem direta e com exemplos concretos
    • Seja respeitoso:não use vocabulário inadequado e mantenha as boas maneiras
    • Evite SPAM: não coloque informação pessoal (telefone, e-mail, etc.) nem publicidade

    Se o que você deseja é pedir informação como cliente, clique aqui
    Como você deseja enviar sua pergunta?
    Excluir
    Nome (será publicado)
    E-mail em que receberá as respostas
    Para que possam atender-lhe por telefone
    Para escolher expertos da sua região
    Para escolher aos expertos mais adequados
    • 7100 psicólogos à sua disposição
    • 3200 perguntas feitas
    • 20200 respostas dadas
    • Camila, você está vivendo uma fase conturbada, o mais ideal neste momento é você cuidar de você, faça uma terapia para auxiliar você absorver melhor esta história toda, pois o bebê é o menos culpado em tudo isso.
      Abraços Psicóloga Natalia Martins

      Upload feito Ontem, 16 Janeiro 2018

      Logo Psicóloga Natalia Martins

      81 respostas

      2451 pontuações positivas

    • Boa noite Camila, no seu relato você fala da sua situação e das soluções que já tentou para resolver seus problemas, do momento difícil que esta vivendo,sugiro que procure o posto médico da saúde da família mais próximo da sua casa, para se cadastrar e fazer o pré-natal a equipe médica pode te encaminhar para atendimento psicológico durante a gravidez e após o parto, encaminhar o bebe para adoção, entenda que você precisa fazer o pré-natal por causa da sua saúde evitar complicações na hora do parto e, ainda tem o seu filho pequeno que precisa de você. Boa sorte. Um abraço.

      Upload feito Ontem, 16 Janeiro 2018

      Logo Eliane Weber

      62 respostas

      36 pontuações positivas

    • Olá!
      Segundo seu relato, é muito importante que busque o quanto antes acompanhamento psicológico, bem provável que serão mais de 1 sessão por semana.
      Se não tem condições de custear o tratamento,não só em universidades e faculdades você pode se beneficiar do tratamento. Se informe em sua região, hoje muitos profissionais também possuem vagas sociais para pacientes que não tem condições.

      Estou à disposição!

      Upload feito 12 Janeiro 2018

      Logo Jessica Moreira Carvalho

      164 respostas

      4395 pontuações positivas

    • Olá, Camila.
      Sugironque busque por ajuda psicológica, pois pelo seu relato, me parece que você está com depressão, e embora vai dar esse bebê para adoção você tem um outro para cuidar.
      Como mencionou não ter dinheiro, pode procurar por psicológo na rede pública ou em universidades que tem o curso de psicologia, às clínicas escolas em geral não cobram.
      Qualquer dúvida estou a disposição.

      Upload feito 12 Janeiro 2018

      Logo Fernanda Veronesi de Menezes

      291 respostas

      300 pontuações positivas

    Perguntas similares Ver todas as perguntas