Qual psicoterapia seria mais apropriada?

Feita por >Fabricio · 8 mar 2016 Transtorno de humor

Sofro com oscilações de humor, irritabilidade fora do comum, quando o copo transborda agrido pessoas ou me automutilo. Me indicaram a análise psicanalitica e ou terapia com um psicólogo existencial humanista. Não sei por qual optar.

Resposta enviada

Em breve, comprovaremos a sua resposta para publicá-la posteriormente

Algo falhou

Por favor, tente outra vez mais tarde.

A melhor resposta 8 MAR 2016

Olá Fabrício, o ideal seria tu experimentar e ver qual tu te identifica! Até para sentires com qual profissional tu vais te sentir mais confortável. A terapia mais adequada é aquela em que tu cria um vínculo com o terapeuta. Experimente as duas, veja como cada uma funciona. Não somos peças de quebra-cabeça que precisam ser encaixadas em determinadas formas.

Marcela Zilio Jannke Psicólogo em Pelotas

6 respostas

479 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

21 MAR 2016

Oi Fabricio. Pelo seu relato além de buscar uma terapia vá também a um psiquiatra. Seu sofrimento é muito intenso ao ponto de se auto-mutilar e uma medicação vai te ajudar bastante. Pela minha experiencia não indicaria analise psicanalitica.
Forte abraço.

Léa Maria Vicari

Lea Maria Vicari Psicólogo em São Paulo

51 respostas

4241 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

15 MAR 2016

Olá Fabricio!!!

Lendo o seu relato, sugiro que você procure profissionais da área da saúde, acredito ser necessário um tratamento multiprofissional.

Depois de uma avaliação criteriosa por um neurologista, para verificar se faz-se necessário um tratamento medicamentoso;

Um profissional da psicologia, após uma avaliação criteriosa, caso seja necessário, para um tratamento psicoterapêutico, abordando aspectos biopsicossociais que possam estar envolvidos neste comportamento para uma melhora da sua qualidade de vida;

Um profissional nutricionista, também será de grande ajuda pois muitos alimentos têm muita influência sobre o nosso bem estar.

Um profissional da educação física poderá apoiar em atividades físicas que ajudam o organismo a produzir endorfinas, muito importantes para o bem estar e melhora na qualidade de vida.

Atenciosamente,

Carlos César Petruy Psicólogo em Curitiba

333 respostas

9870 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

15 MAR 2016

Olá. Acredito que uma terapia comportamental seja mais adequada, mas cabe vc experimentar e ver o que vc se adapta melhor. O vínculo, a empatia e sua vontade em mudar vai fazer a diferença. Abs

Shirlei Lizak Zolfan Psicólogo em São Paulo

6 respostas

269 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

14 MAR 2016

Olá Fabrício!
Não precisa se preocupar com abordagem de psicoterapia. Procure um(a)profissional que te passe confiança; que seja acessível para você (plano de saúde, negociação de honorários, disponibilidade de horário...) e inicie teu processo de autoconhecimento para lidar com esses impulsos que descreveu acima e que podem te trazer prejuízos no desenvolvimento de tua vida social, profissional, amorosa...como acredito que você já deve ter percebido.
Tem alguma dúvida ou receio?
Fique à vontade para entrar em contato. Tome a próxima iniciativa em favor de si mesmo e dos que estão ao seu lado/ redor.
Cordialmente,
Elida Nascimento- psicoterapeuta em Recife.

Elida Nascimento Psicólogo em Recife

13 respostas

149 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

14 MAR 2016

Olá Fabricio, a melhor abordagem psicoterápica é que faz você se sentir confortável ao fazer o tratamento e, o mais importante, é o vínculo que você vai desenvolver com o profissional. Trabalho com a Terapia Cognitivo-Comportamental, onde a premissa básica é de que nossos pensamentos influenciam nossos sentimentos e comportamentos, portanto, são as interpretações que fazemos das situações que nos fazem sentir de determinada maneira e adotar um comportamento específico. Logo, ao alterarmos o modo de pensar ou nossos comportamentos, alteramos nosso padrão de funcionamento e isso dá conta de muitos problemas e da diminuição de sintomas de transtornos psicológicos. Contudo, o mais importante é o paciente se sentir à vontade com o tratamento que recebe.

Stèphanie Krieger Psicólogo em Rio de Janeiro

13 respostas

89 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

12 MAR 2016

Oi Fabricio. É o seguinte, buscar ajuda é ótimo, independente da abordagem dela, vai muito de você ir, conhecer, experimentar qual você se adapta melhor. Eu, pessoalmente, acredito que a psicanálise (ou psicoterapia de orientação psicanalítica, sem ser necessariamente num divã) é ótima pois vai bem a fundo das questões que originaram suas oscilações de humor e irritabilidade, ajudando você a entender o "porque reage como reage na hora que reage", entende? Vai ser um espaço que você, além de desabafar suas irritações e angústias, vai poder entender melhor sua forma de agir. Abraço!

Consultório Eduarda Padoin Psicólogo em Brusque

7 respostas

378 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

11 MAR 2016

Primeiramente fico feliz por ter se aberto por aqui, pelo menos ter falado um pouco sobre você. Não há uma solução ou uma resposta imediata que podemos lhe oferecer, apenas lhe indicar que se for possível, e do seu interesse, buscar um processo terapêutico na sua cidade. A psicoterapia é um processo único e individual que se desenvolve através de uma relação terapêutica entre paciente e psicoterapeuta e que, possibilita transformação e consciência acerca de sua vida, suas relações, seu jeito de ser! Existem outras linhas de trabalho dentro da psicologia, mas todas buscam a melhora significativa do paciente seja Psicanálise, Gestaltista, Junguianos, Lacanianos, TCC, todos são psicólogos. O Importante é você encontrar qual a melhor linha e Psicoterapeuta que você se identifica! Não existe certo ou errado! Mas encontrar a melhor forma de compreender a queixa, o mundo e a sua forma de lidar com o mundo. E, não desistir de você!

Abaixo copio um texto concedido pela funpage do Facebook ‘Sou psicólogo com muito Orugulho’ que diz: "Muito se fala por aí em fazer terapia, análise, psicoterapia... psicólogos, psiquiatras, terapeutas etc, mas muita gente confunde tantos termos e acaba sem saber direito o que faz cada um e onde buscar exatamente aquilo que serve a pessoa.
Psicólogo é um profissional formado em Psicologia, que após 5 anos na Universidade está apto a tratar de problemas e questões emocionais e psicológicas e a ajudar-nos na resolução e remoção dos conflitos, obstáculos e dificuldades que muitas vezes temos em nossas vidas.
Psiquiatra é um profissional formado em Medicina, que após 6 anos na Universidade está apto para se especializar e tratar das causas orgânicas que causam transtornos psiquiátricos e que devem ser tratadas com medicamentos, os quais só o médico pode prescrever.
Psicanalista ao contrário do que muitos pensam não é uma profissão, é uma especialização numa linha de pensamento, tanto um psicólogo, como um médico de qualquer área e não necessariamente um psiquiatra, podem após um curso sobre psicanálise, tornar-se psicanalistas.
Da mesma forma que existem pessoas que dizem ir ao psicanalista, você poderia dizer que vai ao comportamentalista, ao humanista ou ao construtivista, existem muitas linhas de pensamento que sozinhas não constituem uma profissão. Terapeuta é outro termo que costuma causar confusão pela variedade que traz, o terapeuta não é necessariamente um psicólogo ou um psiquiatra, é alguém que através de um curso de formação em uma técnica terapêutica específica se torna apto a exercer aquela técnica.
Como, por exemplo, terapeutas de florais de Bach, de shiatsu, de constelações familiares, de arte-terapia, de bioenergética etc. O psicólogo e o psiquiatra podem também ser terapeutas quando cursam uma especialização, que são cursos de formação específicos e tem durabilidade variável. Psicoterapeuta é um termo ainda mais confuso popularmente, pois traduzindo deveria significar, aplicação de terapia psicológica, ou seja, frequentar um psicólogo é fazer psicoterapia.
Porém, nem todos que se intitulam psicoterapeutas são psicólogos. Por isso, é preciso estar atento ao profissional que você escolheu, se ele é psicólogo, psiquiatra ou terapeuta, se ele tem boas referências, se tem a formação necessária para te prestar o atendimento que você necessita e principalmente se deixa claro desde o início da terapia como é o trabalho dele."

Espero ter lhe ajudado! Danielle Almeida - Psicóloga

Danielle de Almeida Psicólogo em Rio de Janeiro

353 respostas

15539 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

10 MAR 2016

Ola Fabrício
Acredito que o que está pesando aqui na sua problemática não é a linha de abordagem,e sim o seu desejo x medo de querer trabalhar essas demandas que o incomoda pessoalmente e socialmente. E para que isso aconteça se faz preciso abrir mão de suas defesas e amarras, entende? Você relata que quer se tratar e já se preocupa com qual linha será mais bem indicada? Percebe que você já está criando autodefesa? Não há linha de abordagem e nem profissional por melhor que seja, que irá te auxiliar na mudança de comportamento se você não se despuser a atuar junto com o terapeuta, porque o autor principal da sua vida é você e não o psicólogo e muito menos a abordagem, entende?
Espero ter contribuído, atenciosamente Ussénade, Psicóloga Clínica

Ussénade Maria de Oliveira Psicólogo em Recife

716 respostas

27506 pontuações positivas

Fazer terapia online

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

10 MAR 2016

Olá Fabricio, acredito que, no seu caso, seria interessante buscar o auxílio de um psiquiatra, nesse primeiro momento. Aí então, discutir com ele sobre qual a linha terapêutica seria mais interessante para o seu caso.

Psicóloga Claudia Degani Psicólogo em Uberaba

7 respostas

60 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

10 MAR 2016

Boa Noite Fabricio, realmente escolher uma linha teórica é algo difícil. Porem não há uma resposta certa para esta pergunta, você deveria se aprofundar mais em cada linha, ler um pouco sobre o que cada uma pode contribuir. Além disto pode também ir conhecer ambos profissionais e verificar com quem e qual se identificou mais.
De qualquer maneira, gostaria de sugerir buscar também um psiquiatra que pode lhe auxiliar com medicamentos para controlar sua agressividade e automutilação. Em alguns momentos é importante equilibrar também o biológico para alcançar resultados no trabalho psicólogo. Inclusive lhe sugeriria ir em primeiro lugar a um psiquiatra. Em seguida seguir com o tratamento com um psicólogo para compreender o foco e motivo destes "descontroles".
Lembre-se nem somente a terapia, nem somente a medicação trará o melhor resultado. De preferência faça o acompanhamento com ambos. Boa sorte e se cuida!

Psicóloga Marina Isoni Martins Nunes Psicólogo em Belo Horizonte

1 resposta

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

9 MAR 2016

Olá Fabrício, como vai?
Realmente há muitas linhas dentro da Psicologia, o que causa certa complexidade em quem procura por ajuda terapêutica.
Na maior parte dos tratamentos o trabalho é verbal, o que torna a resolução demorada, porque necessita de conscientização e mudança de atitudes pelo paciente.
Nesse modelo, seu cérebro recebe as informações por uma área do córtex que não se liga diretamente à região onde as emoções se concentram. Por isso, os resultados são graduais e, às vezes demorados.
A neurociência fez descobertas que em outra área cerebral o acesso é mais direto e resulta em resolução rápida e permanente de situações que provocam as reações que você citou. Só conheço duas abordagens que, comprovadamente fazem isso: EMDR e Brainspotting.
Ficou ao seu dispor, caso queira experimentá-las.
Grande abraço.

Celso Martins Psicólogo em Curitiba

23 respostas

1235 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

9 MAR 2016

Boa tarde. Pela sua descrição indico a Psicoterapia Cognitivo Comportamental. Da resultados rápidos e perceptíveis.
Obrigada
Gildete - Psicóloga Clínica

Consultório de Psicologia Gildete Alcaraz Psicólogo em Jandira

33 respostas

495 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

9 MAR 2016

A autoagressão tem algumas interpretações simbólicas. Uma delas é o direcionamento da culpa para você mesmo, sendo a autoagressão uma forma de você se autopunir por essa culpa. Outra explicação são pensamentos compulsivos que impelem você a se cortar, para alivio de uma tensão muito desagradável. De qualquer forma somente o profissional que te atender e te ouvir vai poder entender melhor o que você está passando e te orientar de forma mais adequada. Não importa se é psicanalista, humanista, ou analista do comportamento. Busque um psicólogo, experimente algumas sessões com ele, veja se você se identifica e se você começa a sentir alguma mudança em você. Caso contrário, nada te impede de trocar de terapeuta.

Leonardo Viana de Vasconcelos Martins Psicólogo em Fortaleza

1038 respostas

29216 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

9 MAR 2016

Bom Dia Fabrício! Como dito anteriormente, não existe a melhor ou pior forma de tratamento ou a correta e a incorreta. Existem muitas abordagens dentro da psicologia e uma coisa é certa: o resultado também vai ser diferente, visto que cada uma vai por caminhos diversos mesmo que a ideia de ajuda seja a mesma em todas as áreas. Para ajudá-lo, penso em falar um pouco sobre a psicanálise para que possa auxiliar na tua decisão. A abordagem psicanalítica é uma abordagem através da qual o paciente é convidado a falar livremente sobre aquilo que quiser, na ordem que quiser, chamamos isso de associação livre. A partir daí, o terapeuta vai auxiliando no entendimento e tradução de seus sentimentos, pensamentos, inibições e etc., através da ligação, até se chegar a uma construção de sentido e significado sobre aquilo que, até então, estava sem entendimento.

Anônimo-276355 Psicólogo em Passo Fundo

114 respostas

9764 pontuações positivas

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

9 MAR 2016

Ola Fabricio,
A escolha da abordagem e do profissional faz muita diferença. Nesta escolha devera ocorre o que chamamos de vinculo terapêutico, a fim que a psicoterapia possa ocorrer de modo a llhe auxiliar na minimização do seu sofrimento. Conforme seu relato, acredito que abordagem que se apresenta muito efetiva para sua demanda é a cognitiva comportamental. Porem, também se faz necessário uma avaliação psiquiátrica concomitante neste processo. Estou a disposição para maiores esclarecimentos. Abraços

CogniAção Terapia Cognitivo-Comportamental Psicólogo em Florianópolis

100 respostas

7521 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

9 MAR 2016

Olá Fabrício! Eu concordo com a resposta do meu colega. A psicoterapia é de suma importância na vida do ser humano quando ele está com dificuldades emocionais. Eu acredito que a grande maioria dos psicólogos são capacitados. Não existe uma linha melhor ou pior. Procure uma boa indicação e sinta se você tem empatia pelo psicólogo, se teve acolhimento se foi entendido por ele. Se sim, 50% do trabalho do profissional já está garantido. Sucesso.

Alessandra D. Ricci Manganaro Psicólogo em Ribeirão Preto

40 respostas

3586 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

9 MAR 2016

Olá, Fabrício! A psicologia é riquíssima e com ela dezenas de abordagens. De fato, na literatura, encontramos escritos que nos apontam melhores resultados em uma determinada abordagem, porém nenhuma técnica será suficientemente boa se não houver bom vínculo terapêutico.

Kariliny Martins Psicólogo em Fortaleza

1 resposta

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

9 MAR 2016

Olá, Fabrício. Concordo com a colega Marcela com relação à escolha da terapia. E ainda completo que existem outros tipos, como por exemplo, a cognitivo-comportamental ou a Terapia analítica. Cada paciente vai se sentir melhor com uma, de acordo com sua personalidade e com o vínculo terapêutico que venha a estabelecer com o psicólogo. Sugiro, ainda, que você procure um psiquiatra para verificar se estas alterações de humor possuem uma causa físiológica, que possa ser tratada de forma a poder ajudar o trabalho terapêutico. O primeiro passo, o mais difícil, você já deu, que é reconhecer seu problema e procurar ajuda. Procure um (a) psicólogo (a) próximo a você e com o qual você se identifique. Espero ter ajudado, ao menos um pouco. Um abraço.

Edith V. C. Andrade Psicólogo em Nova Iguaçu

79 respostas

6832 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Psicólogos especializados em Transtorno de humor

Ver mais psicólogos especializados em Transtorno de humor

Explique seu caso aos nossos psicólogos

Publique a sua pergunta de forma anônima e receba orientação psicológica em 48h.

50 Você precisa escrever mais 14300 caracteres

Sua pergunta e as respectivas respostas serão publicadas no site. Este serviço é gratuito e não substitui uma sessão de terapia.

Enviaremos a sua pergunta a especialistas no tema, que se oferecerão para acompanhar o seu caso pessoalmente.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

Coloque um apelido para manter o seu anonimato

Sua pergunta está sendo revisada

Te avisaremos por e-mail quando for publicada

Esta pergunta já existe

Por favor, use o buscador para conferir as respostas

Psicólogos 12200

Psicólogos

perguntas 14300

perguntas

respostas 42800

respostas