MundoPsicologos.com
No Google Play Na App Store

Qual abordagem da psicologia eu devo procurar? O que eu tenho?

Feita por >Melícia>. 3 Mar 2018 8 respostas  · Ansiedade

- Ansiedade

- Agitação

- Inquietação

- Nervosismo

- Insegurança

- Dificuldade em tomar decisões

- Medo de sair na rua e ser julgada

- Medo de falar com as pessoas e falar algo errado e ser julgada

- Medo de ser mal interpretada

- Medo de ser desprezada

- Medo de ser culpada

- Medo de ser vista de forma ruim

- Medo de ser descartada

- Medo de dizer algo errado

- Medo de errar e ser julgada

- Medo de carregar uma culpa

- Medo de assumir responsabilidade sobre algo ruim

- Medo da rejeição

- Medo de levar "não"

- Medo de ser mal vista

- Medo de ser julgada como inferior

- Medo do abandono

- Não gosto de ficar sozinha

- Necessidade de aprovação

- Relações interpessoais muito intensas

- Impulsividade

- Agressividade

- Altamente sensível

- Paranóias

- Acredito em coisas que talvez não sejam verdadeiras

- Muitas vezes, não consigo identificar o que é real ou não

- Não consigo identificar a real intenção das pessoas, pois posso ver negatividade onde não há

- Realidade alternativa

- Se eu penso, é real. Se alguém fala sobre algo, na minha mente, aquilo já aconteceu.

- Insegurança e baixa autoestima

- Não saber lidar com frustrações

- Sofrimento = desconto na comida

- Pensamentos suicidas constantes

- Explosão de raiva e agressividade

- Ver tragédias, fazer trabalhos árduos ou estar presente em momentos de dificuldade, assistir séries tristes me deixa melhor, pois acho melhor sentir dor física que dor emocional

- Sentimento de vazio

- Pequenos incômodos provocam uma tempestade de emoções

- Dificuldade para controlar a raiva

- Guardo rancor por muito tempo

- Às vezes, um comportamento neutro de alguém pode me fazer enxergar um comportamento malvado

- Dificuldade em racionalizar sentimentos e emoções

- Personalidade fluida

- Para cada pessoa com quem falo, eu me mostro uma pessoa diferente afim de me adaptar a ela

- Muito intensa, ou 8 ou 80

- Uma só palavra mal colocada, uma situação inesperada sem relevância ou uma leve frustração pode levar a um acesso de raiva e ódio que duram algumas horas

- As relações interpessoais são o foco da minha vida

- Qualquer problema no campo afetivo, me destrói

- Minhas emoções giram em torno das minhas relações com as pessoas e do que elas acham ou pensam de mim

- Acessos de raiva que podem durar horas ou dias

- Necessidade de ter o controle de tudo

- Desconfiança exagerada nas intenções e sentimentos das pessoas

- Falo demais e impulsivamente e muitas vezes me arrependo do que falei e isso fica guardado comigo, me martirizo, me culpo e posso passar dias, semanas pensando em algo que falei

- Guardo rancor e mágoas terríveis que me assombram e tomam meus pensamentos

- Julgo as ações (ou falta ações) dos outros no impulso e não consigo fazer uso da empatia, costumo achar negatividade, me ofender e depois guardar um rancor que se acumula

- Não aceito posições negativas sobre mim

- Não aceito que falem injustiças

- Não aceito que me digam o que fazer

- Acho extremamente injusto se alguém me julga ou assume o que se passa comigo sem realmente saber e isso faz surgir um ódio e uma raiva que sou incapaz de controlar e acabo por chorar, gritar e o pensamento foca em machucar aquela pessoa

- Quando tenho uma crise de raiva, na minha mente se passam pensamentos como cortar a garganta da pessoa que disse algo que achei negativo, ou enforcá-la, bater a cabeça dela contra a parede, cortar com cacos de vidro, socar, bater etc.

- Se não isso, tenho vontade de me machucar ou me cortar, mas não tenho coragem

- Frequentemente, quando um gatilho surge, sinto várias coisas ao mesmo tempo: pena de mim, vergonha, raiva, ódio, indignação, tristeza, todos numa intensidade enorme que chega a me sufocar

- Quando alguém machuca meus sentimentos ou me magoa (geralmente por meio de atitudes triviais), eu sinto uma dor enorme que parece queimar e isso me faz perder o controle ou simplesmente querer morrer

- Qualquer mínimo detalhe é suficiente pra me fazer perder a cabeça e ficar descontrolada de raiva

- Eu choro, pelo menos, umas 3 vezes por dia

- Tenho muita facilidade pra chorar e me sentir emocionada

- Ou eu sinto tudo muito intensamente ou então sinto um vazio completo, o "meio termo" é o vazio

- Às vezes, evito falar ou sair de casa e conversar porque não quero que as pessoas me julguem

- Não suporto me sentir diminuída ou vencida

- Tenho essa obsessão por fazer as pessoas se sentirem culpadas e colocarem a mão na consciência

- Eu nunca recebo uma reclamação das pessoas, a não ser sobre minhas crises, mas fora isso, eu tento ser o melhor que posso pra ser sempre aceita, acolhida ou admirada e nunca culpada, então, quando alguém me magoa de alguma forma, eu já me sinto no direito de culpá-lo e só sossego quando derramar toda a culpa em cima da pessoa e fazer ela se sentir mal

- Eu não suporto carregar culpa

- Eu nunca me perdoo pelos erros que eu cometo

- Todas as coisas "ruins" que alguém diz ficam repassando em minha mente num eterno loop e me maltratando e isso pode durar dias

- Sinto que o tempo nunca passa, o passado é o presente e o futuro também é o presente

- Pensamentos que se acumulam aceleradamente em questão de segundos e me fazem explodir

- Não adianta quanta positividade exista, o mínimo de negatividade põe tudo a perder

A melhor resposta

Olá Melícia, não importa qual a abordagem do psicólogo, mas a relação terapêutica, ou seja, se você se sente confortável e confia naquele profissional e sente que as intervenções dele estão te ajudando. Se você não se sentir assim a terapia fica "empacada", então quanto mais segura você se sentir com o profissional, melhor. Você pode escolher um psicólogo(a), fazer algumas sessões e ver se você se identificou ou não, e trocar caso queira. Espero ter ajudado.

A resposta foi útil a você?

Sim Não

Obrigado pela sua avaliação!

O trabalho do analista consiste em despertar aquilo que já existe dentro da pessoa. É a arte de despertar o sujeito para seu potencial criativo genuíno. A finalidade não é curar, e sim favorecer o crescimento interior por meio das dificuldades pessoais.
No decorrer do trabalho analítico há a proposição de que pelo falar, pelo escutar e pelo fazer criativo nos confrontamos com nós próprios. Pôr-se em processo analítico é possibilitar o existir permeável a outros saberes. É despertar para o próprio caminho de vida como processo natural com sentido, finalidade e objetivo; é a experiência interior.
A experiência interior se torna experiência de vida quando vivida com todas as suas implicações. A psicoterapia tem como objetivo auxiliar pessoas que sofrem ou estão com dificuldades na vida e não conseguem resolver sozinhas. Na terapia o analisando é convidado a, num espaço seguro e sigiloso, explorar seus afetos, pensamentos e fantasias que compõem o cenário de seu sofrimento.
O processo de psicoterapia analítica possibilita que o analisando se familiarize com os sintomas que produz.

Att,
Aline De Coster.

A resposta foi útil a você?

Sim Não

Obrigado pela sua avaliação!

2 ABR 2018

Logo Aline MS De Coster Psicoterapia Aline MS De Coster Psicoterapia

469 respostas

19699 pontuações positivas

O importante não é a abordagem e sim a afinidade e segurança em relação ao profissional , você deve se sentir segura e a vontade com o profissional , procurar essas condições até encontrar, mas deve dar um tempo para que essas condições aconteçam .para que possa retomar seu crescimento, sua segurança e auto estima. Boa sorte.

A resposta foi útil a você?

Sim Não

Obrigado pela sua avaliação!

6 MAR 2018

Logo Ângela Ferreira Batalha Ângela Ferreira Batalha

176 respostas

829 pontuações positivas

Boa tarde Melicia. Abordagem é importante para quem já se direcionou para iniciar um processo terapêutico. O mais importante é a empatia ocorrida entre cliente e terapeuta. Nem sempre o primeiro será o melhor, as terapias acompanham o perfil do profissional. Boa sorte. Célia Jovanka.

A resposta foi útil a você?

Sim Não

Obrigado pela sua avaliação!

4 MAR 2018

Logo Célia Jovanka Célia Jovanka

121 respostas

5757 pontuações positivas

Vc precisa ser ouvida, tem mtos pontos a se trabalhar, vc precisa ser compreendida e amparada, procure um psicologo e ele vai te ajudar, facilitar a sua cida e te direcionar para um dia a dia mais tranquilo, mais em paz.

Atenciosamente

A resposta foi útil a você?

Sim Não

Obrigado pela sua avaliação!

4 MAR 2018

Logo Dínerson Fiuza Dínerson Fiuza

207 respostas

13519 pontuações positivas

Oi Melícia!
Vai gostar de iniciar uma psicoterapia. Vai poder elucidar e trabalhar muitos pontos importantes.
Vai ficar tudo bem. Dê o primeiro passo num sentido diferente.
Abraços! Kelly Marques - Psicóloga

A resposta foi útil a você?

Sim Não

Obrigado pela sua avaliação!

4 MAR 2018

Logo Kelly Marques Psicologia Clínica e Coach Kelly Marques Psicologia Clínica e Coach

8 respostas

235 pontuações positivas

Boa noite Melicia. Sugiro que você procure um psicologo para conversar. Esse profissiopnal poderá auxiliá-la neste momento. Boa sorte.

A resposta foi útil a você?

Sim Não

Obrigado pela sua avaliação!

4 MAR 2018

Logo Maria Eni de Mattos Maria Eni de Mattos

232 respostas

7379 pontuações positivas

Melícia, boa noite! Seria muito importante que vocé procurasse ajuda de um psicólogo para ser corretamente avaliada e diagbosticas. Através do atendimento psicoterapêutico será possível compreender seu funcionanento, as coisas que sente e as dificuldades que enfrenta para então poder responder a questão levantada por você do que é que você tem. Estamos à disposicão para ajudá-la. Att, Equipe Afetto Psicologia

A resposta foi útil a você?

Sim Não

Obrigado pela sua avaliação!

4 MAR 2018

Logo Psicóloga Renata Brito Psicóloga Renata Brito

365 respostas

1736 pontuações positivas

Perguntas similares

Ver todas as perguntas
Devo procurar psicólogo por falta de atenção?

10 respostas, última resposta em 14 Dezembro 2016

Devo procurar um psicólogo ou um psiquiatra?

6 respostas, última resposta em 01 Maio 2017

Ando com sinais de depressão e fobia social. Devo procurar um psicólogo?

10 respostas, última resposta em 26 Dezembro 2016

Devo levar minha filha de 8 anos ao psicólogo?

3 respostas, última resposta em 07 Maio 2017

Qual é o tempo de atendimento de um psicólogo do serviço público?

10 respostas, última resposta em 29 Dezembro 2016

Posso pedir pra minha psicóloga me encaminhar para um psiquiatra?

6 respostas, última resposta em 20 Dezembro 2017

Minha psicóloga desistiu de mim!

6 respostas, última resposta em 06 Dezembro 2017