Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Minha mãe me trata como serviçal, o que devo fazer?

Feita por >Barbára em 1 Ago 2015 Terapia familiar

Olá meu nome é S. tenho 20 anos sou filha adotiva, fui adotada ainda na maternidade, minha mãe desde criança sempre me tratou mal com xingamentos, ignorância, me batendo,ela me trata até hoje como se eu fosse empregada dela, até quando estamos em publico ela me xinga e me trata como uma serviçal sem um pingo de amor dialogo ou consideração, enquanto que o meu irmão sempre foi irresponsável ate bate nela e ela o trata super bem. na escola sempre fui excelente aluna porém ela nunca ligou e nem sequer ia nas reuniões da escola, nunca dei dor de cabeça pra ela e ela só me trata mal, eu tenho que fazer tudo em casa lavar, cuidar de 2 sobrinhos, cozinhar, passar além de ajuda na loja dela, e o que ganho é só brigas, ela sempre me bateu desde criança e na maioria das vezes sem motivo só pra descontar o stress dela, ela já me bateu de cabo de vassoura, jogou uma panela quente de pressão em mim, com facão, ferro tudo o que ela ver pela frente, e ela se faz de coitada pra qualquer pessoa que eu peça ajuda seja um parente ou amigo e ainda coloca meu pai contra mim. Além do fato dela querer que eu trabalhe pra sustentá-la, eu já entrei em uma faculdade federal porém não gostei do curso e abandonei (fiz para agradar meu pai) e logo em seguida comecei a trabalhar de carteira assinada durante o dia e me matriculei em uma faculdade particular a noite, entretanto a empresa faliu e não tive mais condições de pagar as mensalidades. Agora estou estagnada sem emprego e faculdade, e ela só fez piorar briga todos os dias, bate (acreditem ela me espanca mesmo eu sendo maior de idade pois ela tem mais força que eu) , e ela diz que deseja minha morte que sou uma vagabunda imprestável, Sempre todos os namorados que tive antes do atual ela deu um jeito de estragar tudo. atualmente namoro a 3 anos e ela não gosta do meu namorado proibiu ate dele vir me visitar(namoramos as escondidas), ele quer muito casar comigo porém ele é um tanto ciumento, mas não quer me ver sofrendo com minha mãe, ele ainda não tem condições para casar porque ainda não terminou a faculdade e a família dele também não gosta de mim porque sou pobre e eu não posso nem ir na casa dele.Não sei o que fazer se devo casar com ele, ou continuar vivendo nesse inferno, pois minha mãe não me deixa estudar sempre que quero estudar ela briga manda eu fazer algo não consigo me concentrar e pra ela pouco importa que eu estude. Meus pais estão se separando e o meu pai deixou bem claro que não quer que eu vá com ele e os dois já falaram que é pra eu tomar um rumo na vida, sair de casa me amigar enfim eles não me suportam mais, eu tenho vontade de sair de casa mas não sei como devo fazer isso, me ajudem por favor qualquer opinião é bem vinda não tenho com quem desabafar!

Resposta enviada

Em breve, comprovaremos a sua resposta para publicá-la posteriormente

Algo falhou

Por favor, tente outra vez mais tarde.

A melhor resposta

Ola Sabrina
Pelo que você narra, sua situação é um tanto complexa e é difícil realmente saber o que esta acontecendo e como auxiliar sem ter um contato mais próximo com sua realidade.
Uma sugestão seria procurar a assistência social de sua cidade, no caso o Centro de referência da assistência social (CRAS) ou o Centro especializado de assistência social (CREAS) de sua região, geralmente eles tem opções que incluem alguém com quem conversar sobre sua situação, auxílio para pessoas que necessitam de residência, abrigos e apoio para inserção no mercado de trabalho.
Com relação à situação de violência descrita, provavelmente são cabíveis intervenções legais, vale a pena se informar com o pessoal da assistência social também.
No mais, qualquer amigo ou pessoa de confiança é sempre legal de ter por perto como apoio.
E, caso sinta que seria interessante, vale a pena também procurar um psicólogo como uma forma a mais de apoio para você construir sua vida.
No mais, espero ter ajudado e desejo boa sorte em sua jornada.

Cultivar Grupo de Psicologia Psicólogo em Curitiba

9 respostas

2189 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Todos têm potencial inexplorado!

Atendimento e acompanhamento psicológico.
Destinado a todo aquele que:
* necessita de diagnóstico quanto ao nível de alterações no comportamento, na personalidade e na cognição, bem como o nível de gravidade de determinadas lesões cerebrais e transtornos de aprendizagem; 

* deseja identificar potencialidade e dificuldades cognitivas;

* busque expressar seus conflitos e dificuldades, ultrapassar os obstáculos que o impedem de integrar-se e adaptar-se adequadamente ao meio social;

* busque otimizar desempenhos em concursos, provas e processos seletivos.

As sessões podem ser em grupo ou individuais. 

Atenciosamente,
Aline M. S. De Coster

Espaço Aline De Coster Psicólogo em Rio de Janeiro

575 respostas

22787 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Todos têm potencial inexplorado!

Atendimento e acompanhamento psicológico.
Destinado a todo aquele que:
* necessita de diagnóstico quanto ao nível de alterações no comportamento, na personalidade e na cognição, bem como o nível de gravidade de determinadas lesões cerebrais e transtornos de aprendizagem; 

* deseja identificar potencialidade e dificuldades cognitivas;

* busque expressar seus conflitos e dificuldades, ultrapassar os obstáculos que o impedem de integrar-se e adaptar-se adequadamente ao meio social;

* busque otimizar desempenhos em concursos, provas e processos seletivos.


Atenciosamente,
Aline M S De Coster.

Espaço Aline De Coster Psicólogo em Rio de Janeiro

575 respostas

22787 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá Sabrina,
vc disse que seus pais não te suportam. e até quando vc tem que suportar estas situações? Sua história de vida é bem sofrida. Uma vez, vc ainda bebê, salvaram sua vida e vc paga caro por isso.
Será que está tentando ser salva de novo pelo namorado que tem uma família que também não te acolhe bem, porque vc é pobre?
Se vc é boa aluna e serviçal, deve saber fazer um monte de coisas que seu irmão imprestável não sabe. Já pensou em usar isso a seu favor e se livrar das ofensas, afastando-se?
Vamos começar a investir em vc, que se mostrou produtiva e inteligente? Quem pede ajuda já demonstra que sabe das coisas, já mostra que não suporta mais aguentar tudo sozinha.
Mãos à obra, moça.
Boa sorte.
Soraya Magalhães

Soraya Magalhães Homem Psicólogo em Armação de Búzios

142 respostas

10581 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Boa noite querida, considerando a explanação que você faz de sua história de vida há fatos traumáticos, relatos de violação de Direitos e dificuldades emocionais relevantes que interferem na sua auto-estima, auto-confiança , independência afetiva e financeira, entre outras problemáticas. Sugiro que busque ajuda no CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) e Psicoterapia Individual. As intervenções psicoterapêuticas tem o objetivo de diminuir os sintomas ou sua eliminação, colaborando para o equilíbrio emocional e melhorando o funcionamento psicológico, afetivo e social. Não desista de você!!
Espero que tenha lhe ajudado, estou à sua disposição. Estou à sua disposição. Obrigada, tenha uma boa semana.

Lígia Santos
Psicóloga Clínica

Lígia Santos Psicólogo em Recife

4 respostas

1000 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Boa noite, Sabrina. Diante da problemática que vem enfrentando, a melhor solução é você buscar ajuda com um psicoterapeuta, para que compreenda a real situação e busque meios de mudar sua história. Você é jovem e não deve amenizar um problema assumindo outro. Um abraço. Rosí

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Boa noite, Sabrina. Diante de toda essa situação conflituosa que vem enfrentando, a melhor solução seria buscar ajuda com um psicoterapeuta. O profissional irá ouvi-la e orientá-la a encontrar uma forma de resolver isso tudo, fortalecendo-a para tomar uma decisão. Att. Rosí.

Rosí Valle Psicólogo em Maringá

9 respostas

1799 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá Sabrina! Existem dois pontos: a questão da violência, que você pode buscar ajuda de um assistente social para te orientar melhor sobre como agir, verificar questões legais e etc; a outra questão é como você lida com todo esse cenário que descreveu, aí cabe ajuda de um psicólogo. É um caso bem complexo e existem diversos profissionais dispostos a te ajudar. Boa sorte!

Thais R. S. Lopes Psicólogo em Santo André

18 respostas

660 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Sabrina, sua situação não é fácil. Mas acredito que você tem força para sair dela. Principalmente se tiver ao seu lado pessoas capacitadas para isso. A ajuda profissional é fundamental para que você encontre a melhor solução para esse dilema.
Comece por buscar o CRAS mais perto de você que lá com certeza você será bem orientada.
Caso se interesse por um atendimento pessoal, é só solicitar. Estamos as ordens.
Boa sorte.

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Bom dia Sabrina. Conforme a sua demanda psicológica, eu sugiro que você comece a pensar em 3 fatores: PENSAMENTO, SENTIMENTO e COMPORTAMENTO. De acordo com os teóricos da área, o SENTIMENTO será sempre resultado do PENSAMENTO e que a todo momento gera COMPORTAMENTO. EXEMPLO: Quando a sua mãe xinga e/ou bate, ela gerou este PENSAMENTO, expressou através de SENTIMENTO (como a aversão por você) e gerou COMPORTAMENTO (agressão física e/ou verbal). Sugiro que você tome estes três fatores independente das circunstancias para a sua vida; responda com RESPONSABILIDADE perante questões pessoais/sociais e, assim, tenha autonomia sendo que, assim, você não estará mais sob os cuidados de outras pessoas mesmo sabendo que você se encontra no momento desempregada.

Antonia Danielle Vilhena Bezerra Baessa Psicólogo em Vitória

9 respostas

1410 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Sabrina, acredito que um atendimento psicoterapeutico poderá ajudá-la a sair dessa situação. Caso se interesse, o nosso, estamos as ordens. Você precisa urgentemente buscar uma solução para isso é ela pode estar mais próxima de você do que você pensa. Tenha confiança no seu potencial e a certeza de que você pode encontrar a solução para todo esse desamor.
Atenciosamente,
Maria Márcia Verona

Crescer Núcleo de Atendimento Integrado Psicólogo em Belo Horizonte

1 resposta

445 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá Sabrina, são muitas questões. Contudo, manter o foco é importante, facilita. Deste modo pode se questionar: porque se coloca como serviçal? Porque abriu mão de uma conquista "SUA"na Universidade Federal? Que tipo de satisfação buscou na Faculdade que precisaria custear, e assim, deixar de concluir?

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Sabrina:
Vejo que você necessita resolver questões ligadas as suas necessidades de básicas, como ter uma fonte de renda e um local para morar, além de apoio jurídico sobre os seus direitos como filha. Aconselho você a procurar um CRAS, centro de referência de Assistência Social em sua cidade.
Percebo que o relacionamento com o seu namorado não é uma saída para resolver os seus problemas familiares, pois você corre o risco de apenas transferir o problema para outra casa.

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Sabrina:
Percebo que seu caso envolve questões ligadas as suas necessidades básicas como ter uma renda e local para morar e também apoio jurídico quanto aos seus direitos como filha. Neste caso, indico que você procure um CRAS, Centro de Referencia de Assistência Social em sua cidade. Vá com calma no relacionamento com seu namorado,pois,observe que não é uma alternativa para resolver os seus problemas com seus pais.

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá é muito complicado analisar um caso tão complexo simplesmente por essas informações!
Caso você estivesse em terapia na linha sistêmica chamaríamos a sua família para tentar averiguar quais foram as motivações da sua mãe para agir desta maneira! Analisaríamos o que aconteceu na data do seu nascimento, em que circunstâncias ela decidiu te adotar! E que fatores da vida dela influenciam neste comportamento... É importante constatar quais são as representações suas nessa família, qual é o seu papel, a sua missão, enfim, terapeuticamente o são muitos aspectos a serem analisados!
Compreendo que você deve sofrer muito com essa situação! Minha primeira sugestão é conversar com sua mãe e se dispôr a conhecer a história de vocês! Ela também deve sofrer com tudo isso! Caso ela seja relutante, no momento a melhor maneira para seu bem-estar é adquirir a sua independência emocional e a independência financeira para poder orientar a sua vida e assim haver a possibilidade de conseguir reunir essa família e resignificar os laços entre vocês!
Procure auxílio terapêutico em Sistêmica, será de grande valia.

Consultório de Psicologia Karine Luza Psicólogo em Chapecó

6 respostas

515 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá Sabrina,

Parabéns por compartilhar sua história. Psicólogos não são conselheiros mas vou quebrar um pouco o protocolo. Sua mãe violou alguns de seus direitos e cometeu até crimes com você. Ninguém pode ter como hábito espancar ninguém e muito menos o privar de estudar. Você nunca pensou em denunciá-la pelos maus tratos que recebe? Quanto ao seu relacionamento faça uma lista do que é bom nele e do que é ruim e depois compare as duas pra ter uma boa perspectiva. Enfim procure uma biblioteca onde possa estudar para conseguir concluir sua faculdade ao mesmo tempo que busca por um emprego. Prepare um currículo, se cadastre no infojobs e vagas.com para começar. Se depois de tomar algumas atitudes em relação ao que você está passando e você se sentir de alguma forma deprimida ou ansiosa aí sim recomendo que procure um psicólogo. De preferência dentro de uma universidade onde há atendimento social e os valores são reduzidos. A estagnação pode não ter sido uma escolha sua. Mas sair dela tem que ser uma escolha sua!

Força e tudo de bom!

Att,

Thyago Vargas.

Thyago Henrique de Souza Vargas Psicólogo em Rio de Janeiro

27 respostas

811 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá, Sabrina! Sinto muito pelo que você tem vivenciado todos estes anos. Realmente, sua situação é delicada e há muitas questões para serem trabalhadas. Mas neste momento, como as colegas responderam, você poderia se informar e buscar ajuda junto aos serviços de referência na sua cidade, pois você precisa de um suporte emocional e social. Verifique se existe a possibilidade de algum familiar que possa ajudá-la e que realmente você possa ter uma rede de apoio. Não desista dos seus estudos, dê continuidade a eles, pois são através deles que você pode melhorar sua vida e construir seus sonhos. Só posso imaginar o quanto deve estar sendo difícil para você ter que administrar tantos conflitos e ter que fazer tantas escolhas. Busque ajuda profissional para auxiliá-la a trabalhar sua dor, suas emoções e que assim, você possa reconstruir a sua vida. Espero que tudo dê certo para você!

Psicóloga Giselle Melo Psicólogo em Manaus

52 respostas

7599 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá Sabrina
Concordo plenamente com as respostas que você já recebeu.
Trabalhei muitos anos numa prefeitura e as UBSs (postos de saúde) possuem atendimento psicológico. Acredito que seja muito importante este atendimento, mesmo depois da inserção no trabalho porque isso vai ajudar você a se conhecer melhor, ter acesso aos seus recursos pessoais e seguir em frente quando uma real oportunidade aparece, firmando-se em suas próprias pernas.
Você é uma pessoa inteligente, soube como procurar ajuda e onde encontrar um caminho melhor para si. Agora, é só seguir em frente!
Boa sorte!

Sandra Colaiori Psicologia Psicólogo em São Paulo

103 respostas

6765 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Oi Sabrina. É um caso bastante complexo o seu.O que voce deve fazer é buscar ajuda no CREA ( centro especializado de assistencia social) ,aonde vão te auxiliar. Quanto a ir morar com o namorado, fica a pergunta: por que ficar com alguém cuja familia não te aceita?

Lea Maria Vicari Psicólogo em São Paulo

51 respostas

4220 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Psicólogos especializados em Terapia familiar

Ver mais psicólogos especializados em Terapia familiar

Outras perguntas sobre Terapia familiar

Explique seu caso aos nossos psicólogos

Publique a sua pergunta de forma anônima e receba orientação psicológica em 48h.

50 Você precisa escrever mais 6300 caracteres

Sua pergunta e as respectivas respostas serão publicadas no site. Este serviço é gratuito e não substitui uma sessão de terapia.

Enviaremos a sua pergunta a especialistas no tema, que se oferecerão para acompanhar o seu caso pessoalmente.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

Coloque um apelido para manter o seu anonimato

Sua pergunta está sendo revisada

Te avisaremos por e-mail quando for publicada

Esta pergunta já existe

Por favor, use o buscador para conferir as respostas

Psicólogos 10100

Psicólogos

perguntas 6300

perguntas

respostas 27500

respostas