Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Minha filha está muito agressiva

Feita por >karen · 16 out 2015 Agressividade

Quando eu ou alguma pessoa não faz o que ela quer, ela quer bater, jogar as coisas em cima, puxar cabelo, roupa... Ela, que tem 8 meses, é muito agressiva, não sei o que fazer, estou desesperada. Acho que gritos e palmadas não vão resolver.

Resposta enviada

Em breve, comprovaremos a sua resposta para publicá-la posteriormente

Algo falhou

Por favor, tente outra vez mais tarde.

A melhor resposta 20 OUT 2015

Olá Karen. Sua filha tem 8 meses é isso?. Se for, me parece que ela tem uma grande dificuldade em lidar com a frustração, e este comportamento pode estar associado ao comportamento de você e os familiares de não querer frustrá-la. É importante verificar se tem alguma questão neurológica, então sugiro que procure um profissional da área. Também sugiro que você procure um psicólogo para ajudá-la em suas questões que podem e devem estar interferindo nessa relação, e também obter orientações.
Qualquer dúvida estou a disposição.
Um abraço.
Dione Issagava Duarte

Dione Issagava Duarte Psicólogo em Ribeirão Preto

43 respostas

4242 pontuações positivas

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

29 OUT 2015

Karen, olá, é importante você mãe procurar ajuda de um profissional Psicólogo e Neuro para avaliar o comportamento da criança que só tem 08 meses, se intolerância a frustração ou se problemas relacionado a falta de hormônio do humor como a serotonina ou outros problemas relacionado a convivência/aprendizagem.

Maria do Carmo

Equilíbrio Psicologia e Saúde Psicólogo em Mogi das Cruzes

3 respostas

158 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

25 OUT 2015

Karen sua filha tem apenas 8 meses e já apresenta dificuldades em lidar com as frustrações, aconselho a procurar um neuropediatra e um psicólogo para investigarem melhor essa agressividade e iniciar um tratamento caso seja necessário.

Psicóloga Luzinete Vasconcelos Psicólogo em João Pessoa

70 respostas

3652 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

23 OUT 2015

Olá Karen! É importante enfatizar que sua filha tem apenas 8 meses. A personalidade dela esta sendo construída, então embora ela apresente muitas agressões se atente para não dizer na frente dela algo que reforce os comportamentos ruins que ela vem apresentando. Repreenda desde já que ela não deve agir de tal forma e a ensine, com paciência, o modo correto repetidamente sempre que ela agir agressivamente. Vale lembrar que ela pode estar testando vcs, toda criança gosta de fazer "birra" quando não tem o que deseja. O que vcs precisam é ensiná-la, fazê-la aprender a esperar quando vcs não puderem atender ao que ela quer naquele momento, ou quando ela desejar algo que vcs acreditem que não fará bem a ela, não ceder e dizer o motivo. É claro que vcs também precisam averiguar se a criança não está sofrendo de algum sintoma físico, se ela está com dor por exemplo e a maneira que ela encontra pra se expressar possa estar agindo de tal forma, nesse caso é bom procurar um médico para avaliá-la. Qualquer dúvidas, fico a disposição!!! Um abraço!!

Daniela Soares Gonzales Faria Psicólogo em Santos

18 respostas

460 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

22 OUT 2015

Olá Karen, na realidade sua filha está chamando a atenção para alguma coisa que lhe está causando angustia, assim é necessário uma avaliação médica com o pediatra para fazer uma avaliação orgânica e ver qual a conduta a ser tomada, ao mesmo tempo fazer uma avaliação do estado emocional dela com um psicologo(a) para compreender todas estas dificuldades.

Jair da Silva Cerqueira Psicólogo em Osasco

64 respostas

3240 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

22 OUT 2015

Olá Karen, sugiro que você converse com um pediatra sobre o comportamento da sua filha, ainda assim, sugiro também umas sessões de carinho. Pois pode propiciar um clima mais agradável e amistoso para sua filha.
Outra sugestão também, é que você procure um acompanhamento Psicológico para que você possa obter mais orientações.

Desejo Sucesso.
Um abraço.

Kelly.

Kelly Conceição Cardoso Psicólogo em Rio de Janeiro

13 respostas

539 pontuações positivas

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

21 OUT 2015

Olá Karen! É difícil falar sem conhecer, pois até um psicólogo que comece a acompanhar o caso pessoalmente, poderia demorar algumas sessões para identificar o que acontece e se é apenas comportamental ou necessária uma investigação neurológica tb. Mas, a princípio, parece-me comportamento aprendido. Quando a criança faz uma birrinha e consegue imediatamente o que ela quer, aprende que se ela agir assim toda vez, vai conseguir sempre o que quer. A depender de qual a reação dos adultos por perto, esse comportamento pode ser reforçado ou extinto. Para extinção de comportamento, ela não deve conseguir a atenção de vcs de maneira alguma no momento da birra. Nem bater nela. Isso não resolve e é dar atenção, mesmo que batendo. O que tb eh um comportamento que ela vai reproduzir, o que não é o que está buscando. Não dar atenção durante os comportamentos inadequados extingue e dar atenção à comportamentos adequados reforça. Então, a criança tende a perceber que ela consegue o que ela quer quando não faz a birra e reproduz mais comportamentos adequados do que os de birra. Mas isso tudo deve ter um acompanhamento psicológico para que o profissional possa dar a orientação passo a passo. Procure por um psicólogo comportamental ou comportamental cognitivo. Tudo de bom pra vcs! Ajude sua filha a não ficar intolerante à frustração, pois ela vai ter que lidarmumuito com ela durante a vida.um Abraço!
Fernanda Pallone

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

20 OUT 2015

Estimada Karen,
Recomendo também que procure ajuda de um neurologista ante. Sendo que nessa fase não há possibilidade de acompanhar a criança. Nesse caso, a angustia é sua, então precisa procurar ajuda de um profissional.

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

19 OUT 2015

Olá Karen !!! Seria importante e de grande valia que você buscasse auxílio junto ao pediatra de sua filha e também de um psicólogo, para que juntos os profissionais possam verificar se existe alguma questão neurológica e também se algo na dinâmica familiar está propiciando a ela essas atitudes.
Espero ter lhe ajudado !!! Boa sorte !!! Grande abraço.

Faraco e Melo Psicologia Clínica Psicólogo em Belo Horizonte

7 respostas

659 pontuações positivas

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

19 OUT 2015

Prezada Karen,
A sua filha está num período de descobertas do mundo ao seu redor, portanto, gosta de chamar atenção das outras pessoas sempre em busca de satisfação. No entanto, também está na fase de aprender a lidar com frustrações. Sugiro que procure um psicólogo para lhe orientar nessa fase da infância de sua filha.
Att,
Vanessa de Almeida
Psicóloga clínica
Visite meu blog

Psicóloga Vanessa Almeida Psicólogo em Belo Horizonte

102 respostas

4224 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

19 OUT 2015

Olá, Karen!
Com apenas oito meses, é delicado e até imprudente falar sobre este assunto. Precisa desenvolver-se um pouco mais. Porém, com certeza, bater e gritar não é adequado e até pode agravar o quadro caso exista algum problema.
Tente acalmar-se.
Boa sorte!
Sandra Bauer - Psicóloga

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

19 OUT 2015

Sua filha está precisando de limites. Violência física e gritaria não te ajudará a impor estes limites. Costumo dizer que educação é Amor e Firmeza, e com criança poucos nãos, mas nãos firmes. Me parece que você está com dificuldade de dar os limites que sua filha ainda bebe necessita. Procure um bom profissional em sua cidade que a oriente sobre como lidar com esta situação, ok?! Abraços, Glória.

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

19 OUT 2015

Olá Karen,
O que posso te dizer a respeito dos fatos que mencionou é:
Em primeiro lugar saiba que Educar é uma tarefa por vezes complicada para os responsáveis.
Cada criança em geral mostra desde cedo algumas tendencias que possui e precisa de duas coisas fundamentais para que o objetivo da educação seja alcançado, Amor e Firmeza. Dar carinho é fundamental para que a criança saiba que é amada, mas ser firme é necessário para que a criança saiba que existem regras que devem ser respeitadas.
Ser frustrado realmente não é agradável, mesmo assim você precisa dar limites a sua filha, mesmo que ela se sinta frustrada,
faça escândalo, grite, etc. Você precisa se manter calma, porque depois de alguns instantes ela vai se tranquilizar.
Realmente você se descontrolar, gritar e usar de violência física, não vai ajudar. Quanto mais você permanecer calma, mais vai conseguir dominar a situação. Muitas vezes os responsáveis tem dificuldade em impor limites aos filhos, e não conseguem dar o que a criança precisa. Costumo dizer para a criança, poucos nãos, mas nãos firmes. Sua filha está precisando destes limites e já deve ter percebido que você fica nervosa, quando ela se descontrola.
Sugiro que você procure um bom profissional em sua cidade e peça orientação, para que consiga superar dificuldades e fazer os ajustes necessários na educação de sua filha. Grande abraço. Glória.

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

19 OUT 2015

Olá Karen!
Entendo a sua angústia mas digo que não se preocupe tanto pois a sua filha ainda é muito pequena e esta é uma fase dentre as muitas que ainda estão por vir. Tenha paciência e procure transformar o gesto agressivo, buscando não reagir do mesmo modo e sim orientando novos modos de reagir às situações. Ao invés de brigar, por exemplo, por conta dela ter batido, mostre o gesto de carinho esperado. Nesta fase, a criança começa a apresentar seus interesses e preferencias, e a falta de recursos para a comunicação pode resultar em comportamentos agressivos.
Os primeiros meses costumam ser intensos tanto em termos de desenvolvimento da criança, quanto para os pais que também estão se descobrindo nesta relação. Por isso, sempre que alguma coisa te angustiar e te preocupar, procure falar a respeito com pessoas próximas, ou compartilhar com aqueles que estiverem vivenciando esta fase também (com crianças pequenas). Isto ajudará a notar que outras pessoas vivenciaram o mesmo problema ou até a entender a fase que está se passando. Além disso, auxiliará a reduzir as emoções negativas vivenciadas, trazendo um certo alívio emocional.
Se cuide para poder cuidar melhor de sua filha!
Espero ter ajudado. Abraços.

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

18 OUT 2015

Olá, Karen, A primeira atitude que eu sugiro é a de procurar um neurologista a fim de verificar se há algum problema fisiológico que esteja atuando sobre o comportamento da sua filha. Além disso, sugiro que seja feita uma avaliação da dinâmica familiar, por um psicólogo. A sua filha é muito jovem e ela pode estar refletindo algum problema que exista em seu ambiente familiar que ainda não tenha sido detectado por você. Geralmente, quando a criança é muito pequena, é de grande ajuda que a família, ou pelo menos os cuidadores, façam um acompanhamento psicológico para aprender a lidar com situações como estas. Uma terapia Cognitivo-comportamental poderia ser de grande ajuda. Espero ter ajudado. Um abraço,

Edith V. C. Andrade Psicólogo em Nova Iguaçu

79 respostas

6811 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

18 OUT 2015

olá Karen, é importante que você transmita autoridade com firmeza e não ceda as tentativas da sua filha de chamar atenção, caso você ainda tenha dificuldade de se posicionar o autoridade sugiro que procure um psicólogo.

Psicóloga Érika Barra Psicólogo em São Paulo

28 respostas

2878 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

17 OUT 2015

Olá Karen, você diz que sua filha só tem oito meses? É ainda um bebê, é até delicado para falarmos algo diante de todo o descrito. No entanto, Karen, bater e gritar nunca é o mais indicado, nem o mais efetivo.
Boa sorte!

Sueli Doniseti dos Santos Psicólogo em São Paulo

29 respostas

2246 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Psicólogos especializados em Agressividade

Ver mais psicólogos especializados em Agressividade

Outras perguntas sobre Agressividade

Explique seu caso aos nossos psicólogos

Publique a sua pergunta de forma anônima e receba orientação psicológica em 48h.

50 Você precisa escrever mais 8750 caracteres

Sua pergunta e as respectivas respostas serão publicadas no site. Este serviço é gratuito e não substitui uma sessão de terapia.

Enviaremos a sua pergunta a especialistas no tema, que se oferecerão para acompanhar o seu caso pessoalmente.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

Coloque um apelido para manter o seu anonimato

Sua pergunta está sendo revisada

Te avisaremos por e-mail quando for publicada

Esta pergunta já existe

Por favor, use o buscador para conferir as respostas

Psicólogos 10750

Psicólogos

perguntas 8750

perguntas

respostas 30250

respostas