MundoPsicologos.com
MundoPsicologos.com
No Google Play Na App Store

Crise conjugal

Feita por >Debby>. 15 Fev 2018 3 respostas  · Terapia de casal

Sou casada a dois anos, não tenho filhos, e estou passando por tratamento de fertilização in vitro por causa de infertilidade do meu marido. Logo que casei, montei a casa sozinha, dei a entrada no financiamento do nosso apartamento e mobiliei o apartamento com despezas que paguei sozinha. Na época, minha sogra consumia todos os recursos do meu marido, fazendo obras intermináveis nas propriedades dela, ou seja, engordando o patrimônio dela. Três meses depois, eu com vários cheques pré datados batendo na minha conta, minha sogra ficou botando na cabeça do meu marido que ele deveria levar o sobrinho para passear nos EUA, e meu marido foi embarcando nas idéias malucas de minha sogra. Fiquei irritadissima com essa história, pois quando fiquei sabendo, o meu marido já estava providênciando passaporte e visto pro garoto. Tive uma briga séria, pedi o divórcio pois estava me sentindo uma palhaça bancando a casa enquanto ele armava uma viagem para o exterior com o sobrinho, acobertado pela cobra da minha sogra. Depois ele me disse que não seria pra viajar agora, que estava tirando os documentos para uma viagem no futuro. Apesar de pagar tudo sozinha, fiz questão de colocar o nome dele na escritura do apartamento. Minha sogra é viúva e mora sozinha, e meu cunhado vive em outra cidade, ficando a cargo do meu marido os cuidados e visitas diárias a minha sogra, que mora próximo a nossa casa. Não bastasse isso, meu cunhado também tem um filho com a ex-mulher, e o garoto, que atualmente tem 16 anos, vive em outra cidade com a mãe, mas frequentemente vem passar férias e feriados prolongados na casa da avó (minha sogra). O fato é que meu marido fica fazendo o papel de pai do garoto, tendo que ir em outra cidade buscar e levar o garoto porque o pai dele sempre dá uma desculpa de que não tem tempo, não tem dinheiro pra gasolina, o pneu está careca, ou que está trabalhando. Muitas vezes é pura mentira, pois o pai é professor, e nenhum professor dá aulas em feriados como por exemplo o carnaval. Mas o meu marido parece que sente prazer em ficar bancando de "pai" do garoto, levando e buscando na cidade em que ele mora, pagando despesas como conta de celular do garoto, cursinho de inglês, tratamento de dentista, óculos novos, acessórios caros de games, entre outros. A desculpa é sempre a mesma: de que o irmão dele é professor e ganha pouco e que ele quer ajudar o sobrinho. Acontece que também não somos ricos, e trabalhamos em horário integral na capital, o que nos oferece um salário razoável, mas estamos com muitas despezas em razão do tratamento de fertilização in vitro. Quando o garoto está na casa de minha sogra, meu marido quer passar a maior parte do tempo com o sobrinho, levar ele para comer em restaurantes caros, passear, dar presentes caros, e percebo um certo interesse do garoto em ficar na casa da avó para usufruir dos "mimos" do meu marido e não faz questão de ir para a casa do pai que fica no litoral. O pai também pouco vem na casa de minha sogra para visitar o filho, pois usa da desculpa que não tem dinheiro para a gasolina, mas possui celular de última geração. E minha sogra faz questão de ficar empurrando o garoto para o meu marido. Fica ligando toda hora pra saber que horas o meu marido vai lá pra ficar com o garoto. Mas o que me chateia nisso tudo é que me sinto muitas vezes em segundo plano para o meu marido, pois no meu aniversário o meu marido não faz questão de me presentear, mas faz questão de dar presentes caros fora de época para o sobrinho. Recentemente passei por um aborto, e enquanto eu fazia o exame na clínica, ele ficava conversando no telefone com o sobrinho. Diariamente meu marido liga pra saber se o "marmanjo" de 16 anos escovou os dentes, penteou o cabelo e tomou banho. Eu peguei o protocolo do exame e ficava de hora em hora acessando o site da clínica angustiada para saber o resultado, enquanto que o meu marido, da clínica foi direto para a casa da mãe pra passar o dia com o sobrinho, e eu estava tendo um aborto em casa sozinha. Fico muito angustiada com isso, pois acho que estou o tempo todo em segundo plano, sinto que se eu tiver um filho/filha, a criança também vai viver sendo preterida e na sombra do sobrinho. Sempre brigamos, e depois que o garoto vai embora as coisas se normalizam, mas basta um feriado se aproximar pra comecar a angústia de novo. Sei que o maior culpado é meu marido, pois o garoto cresceu acostumado com ele no papel de pai, mas já cheguei em um ponto que estou até tomando implicância com o garoto. Apesar de amar meu marido, ando extremamente desgastada com a família dele, e não faço mais questão de me aproximar deles.

angustiada

A melhor resposta

Num relacionamento existem muitas expectativas em relação ao outro, coisas que queremos que aconteçam, desejos que temos em relação ao comportamento e a postura do parceiro. O que você espera dessa relação? Como você manifesta sua insatisfação para seu marido? Ele ouve você? Ele te ignora? Como você reage? Muitas vezes a pessoa não percebe mesmo como está agindo e como essas ações estão impactando o relacionamento. Uma sugestão para vocês seria fazer terapia de casal, mas para isso precisa ele querer participar ativamente do processo. Outra sugestão seria você fazer terapia individual, não apenas para fortalecer sua autoestima, mas para trabalhar essas questões emocionais. Boa sorte.

A resposta foi útil a você?

Sim Não

Obrigado pela sua avaliação!

Debby,
Sinto muito pela sua perda recente.

E lendo seu relato, me pareceu que você sabe exatamente o que está acontecendo e qual o rumo que essa história está tomando. Bem como as tentativas que você vem fazendo para “ter ou trazer” seu marido pra perto, mas ele está emaranhado com a família de origem...

Eu sugiro terapia de casal pra vcs ou se teu marido não quiser, que vc busque terapia...pra você...

Numa relação de casal Debby, a responsabilidade por tudo o que acontece é de 50% para cada um. Vc tb precisa olhar para a parte que te cabe nessa situação que tanto te desgasta e que vc literalmente sustenta com todos os seus esforços....

Desejo sinceramente que tudo se resolva da melhor forma!

Permaneço a disposição.

Um grande beijo

A resposta foi útil a você?

Sim Não

Obrigado pela sua avaliação!

18 FEV 2018

Logo Erica Taylor Psicóloga Erica Taylor Psicóloga

180 respostas

8874 pontuações positivas

Debby

Creio que o melhor pra vcs na atual conjuntura, seria uma terapia de casal, onde vcs poderiam ser direcionados por um profissional e vc poderia por as suas queixas deixando claro para seu marido sua insatisfação. Veja, não aconselho a vc ir contra a aproximação dele com a família, creio que vc perderia, pois me parece que a mãe dele tem uma grande ascensão sobre ele.

A resposta foi útil a você?

Sim Não

Obrigado pela sua avaliação!

16 FEV 2018

Logo Dínerson Fiuza Dínerson Fiuza

241 respostas

14383 pontuações positivas