Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Como proceder com idosa que se recusa a tomar banho?

Feita por >Rosa em 8 Out 2019 Idosos

Moro com minha mãe, ela te 87 anos e há alguns meses apresenta perda de memória para fatos recentes, faz a mesma pergunta várias vezes, perde a noção do dia da semana e ultimamente se recusa a tomar banho e não aceita que eu a ajude nessa tarefa. Ela sempre foi autosuficiente e não admite depender de outra pessoa. Consigo banha-la na cama usando uma bacia com água, mas ela não permite que eu faça a higiene das partes íntimas e nem fazer isso sozinha. Há cerca de um mês, consegui dar um banho nela por conta de uma queda de pressão arterial que ocorreu no banheiro, assim ela ficou vulnerável e aproveitei a oportunidade. Estou muito incomodada e não sei o que fazer.

Resposta enviada

Em breve, comprovaremos a sua resposta para publicá-la posteriormente

Algo falhou

Por favor, tente outra vez mais tarde.

A melhor resposta

Bom dia! Bom... Em relação a perda de memória e a orientação temporal de sua mãe... Seria interessante fazer uma avaliação cognitiva e/ou neuropsicológica para avaliar o funcionamento de diferentes componentes cognitivos, como também, se há alguma alteração cognitiva. Essa investigação seria interessante devido a idade de sua mãe, até para verificar se há algum tipo de demência, o que é primordial nos estagios iniciais da doença. Indico primeiramente um médico geriatra e Neuropsicólogo.
Já em relação aos banhos, a persistência e paciência será preciso de sua parte, até para o convencimento para sua higiene intima. Você pode aproveitar a questão da "autosuficiencia" de sua mãe a seu favor e mostra-la, convencendo-a poe esse motivo ao banho.

Keller Regianne Paiva Fazzolo Silva Psicóloga Psicólogo em Belo Horizonte

2 respostas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Bom dia Rosa, imagino que não esteja fácil,sinta -se abraçada e acolhida por meste momento! sugiro levar ao neurologista para avaliação, após esta avaliação e exames o neurologista, pode indicar um psiquiatra para avaliação e medicação ou o mesmo pode medicar. Importante ter alguém para acompanhar sua mãe nas tarefas diárias, se puder pagar um profissional ( melhor), caso não possa pagar um profissional, importante compreender o estado de sua mãe no momento, ter altas doses de amor e paciência, importante o cuidador se cuidar emocionalmente, ter horas de descanso e dia de folga para conseguir calma e equilíbrio na hora de grande rejeições da sua mãe. Um abraço. Psicóloga Edilene Rodrigues

Psicóloga Edilene Rodrigues Psicólogo em Resende

1 resposta

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Boa noite Rosa, acredito que nesse momento, você precisa cuidar da sua saúde mental de forma que consiga lidar com as limitações do quadro da sua mãe, que provavelmente esteja recebendo acompanhento médico.Enquanto, Psicóloga estou a disposição .Caso queira marcar uma consulta. Um abraço.

Patricia Tourinho Psicóloga Psicólogo em Nova Friburgo

1 resposta

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá Rosa,
O primeiro passo é procurar um geriatra que possa acompanhar sua mãe e relatar esses acontecimentos para que sejam avaliados. Outro profissional que pode lhe ajudar também é o Neuropsicólogo, que pode fazer uma avaliação para investigar possível perda de memória e seus prejuízos.
A avaliação neuropsicológica consiste em em investigar detalhadamente as funções cognitivas como: atenção, memória, linguagem, percepção, inteligência, o estado atual dos fatores emocionais, aprendizagem e funções executivas. Permite identificar processos que possam estar comprometidos, possibilitando o diagnóstico de alterações ou possíveis distúrbios e seu grau de evolução.
Para essa avaliação é utilizado instrumentos específicos, como testes, questionários e inventários.
Com o resultado em mãos, caso seja necessário, é possível traçar uma plano para ajudá-la a ter mais qualidade de vida e orientação a família.
Me coloco a disposição se desejar!

Abraço

Ana Claudia E. Jesser
CRP:08/23487

Ana Claudia E. Jesser Psicólogo em Curitiba

1 resposta

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Rosa a situação se faz necessário algumas intervenções , você como cuidadora também está precisando de cuidado para se fortalecer emocionalmente e assim lidar com a demanda apresentada por sua mãe de forma mais segura .

Andrea Baraúna Psicólogo em Jaboatão dos Guararapes

2 respostas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Boa noite, Rosa o momento agora é de se pensar em estratégias para consegui que sua mãe aceite os cuidados básicos de higiene, você pode distrair-la com outras coisas que ela goste, assim irá incentiva-la a ir ao banheiro e tomar banho, pense, o que ela ainda gostar de fazer? Lembra como a mãe faz com a criança que não quer tomar banho? Inventa uma musiquinha para começar a se molhar, usar o sabão, lavar cada parte do corpo, brincando e distraindo, é um momento delicado, mas pense e reflita, é como fosse ensiná-la a tomar banho, agora aqui você não diz se sua mãe já realiza acompanhamento médico, se sim converse também com médico geriatra e, se ainda não levou ela ao médico precisa levá-la o mais rápido possível.

Eliane Weber Psicólogo em Salvador

387 respostas

648 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Rosa, bom dia!
Infelizmente eles voltam a ser crianças....então haja como se fosse! Com muito carinho, amor e atenção vá contando uma historia que ela se identifique e vá fazendo o que tem tem que ser feito.
Ah! Antes de qualquer coisa, leve a ao médico para um exame completo porque eles ficam muito frágeis, precisam de cuidados especiais, como bastante hidratação com água, suco, frutas; a pele fica super sensível (então cremes específicos)e se possível o geriatra passa uma medicação para acalma-la.
Os sintomas que você descreve é o início do alzheimer (perdem a memória recente, mas lembram perfeitamente de coisas super antigas). Não queira corrigi-la quando ele der este "fora", aja naturalmente; continue a conversa como se nada esteja acontecendo (provavelmente ela ate se conscientize da sua inconveniência, normal). Quanto as horas, responda sempre. Amor, amor e amor. Agora você é a mãe dela e ela a sua filhinha (pense assim). Boa paciência. Sandra

Sandra Maria Souza e Silva Psicóloga Psicólogo em Marília

1 resposta

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Peça auxílio a uma enfermeira. A ela, comunique que é visita médica de exame. Aí ela respeita e aceita.

Geime Rozanski Psicólogo em Brasília

230 respostas

104 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Bom dia Rosa!. Obrigado por participar. Sua mãe está lúcida? Você é a pessoa que apresenta maior intimidade com ela? Será que uma mulher estranha, com experiência nesse tipo de questão, não poderia ajudar inicialmente? Essas são perguntas para refletir. Por outro lado é preciso muito afeto e sensibilidade para levá-la a aceitar a ajuda. As pessoas, nesse idade, muitas vezes desenvolvem alto grau de vergonha e censura a essa área do corpo. Com afeto e persistência, certamente as coisas poderão ser conduzidas. Uma hipótese para lidar com a questão pode ser a reflexão sobre as etapas da vida e as limitações: o bebê, a gestante, a mãe recente, o operado recentemente, o idoso. Atenciosamente: Ary Donizete Machado.

Ary Donizete Machado Psicólogo em Limeira

679 respostas

298 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Boa noite. Como ela esquece as coisas, acredita muitas vezes que já tomou banho. O procedimento é ter paciência e dizer por exemplo. Vamos tomar outro banho?

Marlene de Araujo Paz Psicólogo em Guarapari

12 respostas

2138 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Psicólogos especializados em Idosos

Ver mais psicólogos especializados em Idosos

Outras perguntas sobre Idosos

Explique seu caso aos nossos psicólogos

Publique a sua pergunta de forma anônima e receba orientação psicológica em 48h.

50 Você precisa escrever mais 6250 caracteres

Sua pergunta e as respectivas respostas serão publicadas no site. Este serviço é gratuito e não substitui uma sessão de terapia.

Enviaremos a sua pergunta a especialistas no tema, que se oferecerão para acompanhar o seu caso pessoalmente.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

Coloque um apelido para manter o seu anonimato

Sua pergunta está sendo revisada

Te avisaremos por e-mail quando for publicada

Esta pergunta já existe

Por favor, use o buscador para conferir as respostas

Psicólogos 10150

Psicólogos

perguntas 6250

perguntas

respostas 27700

respostas