Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Como agir com uma criança de 8 anos que está roubando objetos dentro de casa?

Feita por >Sirlene de oliveira · 26 fev 2014 Terapia familiar

Minha irmã adotiva (sobrinha do meu pai, mas mora conosco desde 1 ano de idade) tem 8 anos e está roubando alguns objetos de dentro de casa. Ela furta merenda e coisas da geladeira e come escondido, pega dinheiro nosso, já roubou 2 pacotes de fralda descartável do meu sobrinho, um enfeite de estante da minha casa e outros objetos que não têm muito valor. Já tentamos de tudo, colocamos de castigo, conversamos várias vezes, já foram dadas algumas palmadas, mas nada resolve. O que devemos fazer? Estamos desesperados, porque ela nem dá espaço entre um ato e outro, se fica de castigo hoje, amanhã faz tudo novamente.

Resposta enviada

Em breve, comprovaremos a sua resposta para publicá-la posteriormente

Algo falhou

Por favor, tente outra vez mais tarde.

A melhor resposta

Bom dia, Sirlene!
Nesse momento, o que tem que ser feito é procurar um psicólogo para verificar o porquê de a sua irmã estar realizando esse comportamento. Fazer um trabalho psicoterápico (psicoterapia) e esse profissional orientará os seus familiares e você, inclusive, sobre como agir com a tua irmã.
Qualquer dúvida, estou à disposição para esclarecer,
Carolina Rückert

Consultório De Psicologia Carolina Rückert Psicólogo em Belo Horizonte

2 respostas

273 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá Sirlene!
A criança precisa de fato ter um espaço para falar do que ela sente, sem ameaça. Simplesmente para poder se expressar. Como ela se vê nessa casa e como se sente em relação aos cuidadores e qual o motivo dela ter ido morar com vocês? Ela sabe que é adotada, pergunta ou deseja saber dos pais? Aparentemente ela pode estar fazendo sintoma de algum sofrimento emocional e uma orientação profissional aos cuidadores e a criança poderão ajudar muito. Se possível buscar atendimento psicológico.

Abraços!!

Wládia Morais Psicólogo em Rio de Janeiro

94 respostas

1288 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Todos têm potencial inexplorado!

Atendimento e acompanhamento psicológico.
Destinado a todo aquele que:
* necessita de diagnóstico quanto ao nível de alterações no comportamento, na personalidade e na cognição, bem como o nível de gravidade de determinadas lesões cerebrais e transtornos de aprendizagem; 

* deseja identificar potencialidade e dificuldades cognitivas;

* busque expressar seus conflitos e dificuldades, ultrapassar os obstáculos que o impedem de integrar-se e adaptar-se adequadamente ao meio social;

* busque otimizar desempenhos em concursos, provas e processos seletivos.


Espaço Aline De Coster Psicólogo em Rio de Janeiro

575 respostas

22812 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Boa noite Sirlene,

É preciso entender a funcionalidade desse comportamento e possibilitar um ambiente de segurança e carinho para essa criança, oriento ainda que busquem ajuda de um psicologo infantil.

Samara Oliveira
CRP:02/17040

Humaniza Psicologia e Serviços Integrados Psicólogo em Petrolina

22 respostas

2127 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá Sirlene!

Se eu pude entender um pouco do contexto histórico (irmã) adotiva, possivelmente exista uma deprivação (isto significa, inconscientemente, algo bom que ela tinha, registros internalizados e que ela perdeu, formando uma porosidade mnemônica, uma falta que precisa ser preenchida), fato muito comum com crianças tiradas de suas famílias na Inglaterra, durante o período da segunda guerra mundial e quando retornavam as famílias mostravam comportamentos similares a este. Diga para ela que entende porque ela faz isto, que é para chamar atenção de vocês, mas que vocês a amam muito e que ela é parte desta família. Lembrando que cada caso é um caso e depende muito do contexto, e também a importância de uma terapia com um profissional da psicologia de sua confiança será de grande apoio neste momento.

Atenciosamente.

Psicólogo Carlos

Carlos César Petruy Psicólogo em Curitiba

280 respostas

9780 pontuações positivas

Fazer terapia online

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Ela tem 8 anos, não podemos criminalizar esta criança. É preciso entender o que está faltando para esta criança, talvez a atitude de pegar algo seja para preencher alguma falta, acredito que um psicólogo ajude a entender esta pequena mente e recomende o melhor tratamento para o caso.

Diego Leiras de Araujo Psicólogo em Rio de Janeiro

11 respostas

1712 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Medidas coercivas como retirada do vídeo game, proibição de ver televisão, de brincar com os amigos, retirada do celular( caso o tenha) costuma dar certo, mas é preciso mantê-las e não desistir após o primeiro choro ou cara de dó.

Dínerson Fiuza Psicólogo em São Paulo

258 respostas

14442 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Bom dia Sirlene!
No momento, de fato, a conduta mais adequada é procurar um profissional (psicólogo) para que possa ser feito um trabalho de investigação da causa deste comportamento e orientação aos familiares. As razões para que este comportamento esteja acontecendo podem ser mais de uma, por isso é necessário um trabalho no consultório para uma avaliação mais cuidadosa. Estarei à sua disposição, caso deseje uma conversa mais esclarecedora. Abraços.

Juliana Diniz Avelar Psicólogo em Belo Horizonte

5 respostas

428 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Concordo com a Psic. Elisângela Leme. O caminho é o diálogo, tentando compreender o significado do que ela está preenchendo emocionalmente com esses atos. Às vezes isso se torna difícil para a compreensão da família, então é hora de procurar ajuda profissional.

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá Silene!

Sem generalizações, porém o comportamento de roubo normalmente está associado a carências afetivas. É importante atentar para esse detalhe e procurar ajuda profissional, sem sombra de dúvida!

Att. Rosanna Ré

All Family Psicólogo em Santos

36 respostas

3849 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Olá Sirlene, bom dia!
O ideal é que vocês procurem um profissional (psicólogo) para auxiliá-los nesse comportamento inadequado de sua irmã. Para uma boa condução da situação, é necessário fazermos uma série de análises para podermos compreender o que está levando ela a ter esse tipo de comportamento, só então serão passadas as orientações a família.
Att,
Renata Picchi Zaccharias

Psicóloga Renata Picchi Psicólogo em Jundiaí

5 respostas

517 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Sirlene, bom dia!

Cada pessoa é única e tem as suas necessidades específicas, por isto fica difícil enviar uma resposta precisa. Em geral, a criança fala mentiras e rouba por sentir falta afetiva, principalmente de carinho materno. Punir a criança é uma atitude impulsiva, é claro que a criança precisa saber que está prejudicando o outro com a sua atitude, mas oferecer mais carinho, entender que falta é esta que a criança está sentindo é melhor. Só punir não é suficiente. É necessário entender o porquê da falta e mostrar para a criança que o outro fica prejudicado.
Se continuar com dúvida, entre em contato comigo.

Elisângela Paes Leme Psicólogo em Barueri

2 respostas

1314 pontuações positivas

Contatar

A resposta foi útil a você?

Obrigado pela sua avaliação!

Psicólogos especializados em Terapia familiar

Ver mais psicólogos especializados em Terapia familiar

Outras perguntas sobre Terapia familiar

Explique seu caso aos nossos psicólogos

Publique a sua pergunta de forma anônima e receba orientação psicológica em 48h.

50 Você precisa escrever mais 7650 caracteres

Sua pergunta e as respectivas respostas serão publicadas no site. Este serviço é gratuito e não substitui uma sessão de terapia.

Enviaremos a sua pergunta a especialistas no tema, que se oferecerão para acompanhar o seu caso pessoalmente.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

A sessão de terapia não é grátis e o preço estará sujeito às tarifas do profissional.

Coloque um apelido para manter o seu anonimato

Sua pergunta está sendo revisada

Te avisaremos por e-mail quando for publicada

Esta pergunta já existe

Por favor, use o buscador para conferir as respostas

Psicólogos 10600

Psicólogos

perguntas 7650

perguntas

respostas 28950

respostas