Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Minha mãe tem transtorno de borderline

AndrezzaMarquesAndrezzaMarques
editado May 2017 em Transtornos personalidade
Oi pessoal!

Meu nome é Andrezza, moro com a minha mãe, ela tem problemas físicos (hérnia de disco e fibromialgia) e além disso tb tem transtorno de borderline.

Minha mãe sempre foi uma pessoa mto difícil de lidar e há 10 anos ela vem apresentando transtornos comportamentais, o q faz com q as pessoas se afastem e não queiram conviver com ela. Por algum tempo ela fez acompanhamento psiquiátrico porém largou, pois na cabeça dela não julga necessário continuar. Deixou de tomar os medicamentos prescritos e tb recusa terapia psicológica, ela não reconhece q precisa de ajuda e diz q só fica nervosa por conta das dores q sente.

Sou filha única, o marido dela faleceu há alguns anos, os irmãos dela não querem saber e ela tb não tem amigos, ou seja, sobra somente pra mim toda a responsabilidade de lidar com essa situação.

Posso dizer a vcs q tem sido anos mto penosos e desgastantes. Por conta dessa situação toda eu fui abrindo mão de mtas coisas da minha vida em função dela e hj me vejo sozinha, desamparada, totalmente desgastada e sem forças pra seguir em frente.

Por favor, me ajudem!

Qualquer palavra amiga será bem-vinda.

Obrigada.
«1

Comentários

  • FatimaMarceliFatimaMarceli
    Andrezza, não deve ser nada fácil essa sua situação, mas pelo seu texto eu senti que você tem carinho pela sua mãe, então abandoná-la não faria bem para nenhuma de vocês.
    Ela toma algum medicamento para as dores? Se ela diz ficar nervosa pelas dores, não teria algum tratamento para ajudar com isso?
  • ClaraFGomesClaraFGomes
    Desculpa minha ignorância, mas o q é esse transtorno borderline??
    Pq sua mãe não quer tomar os remédios?? Vc não consegue dar os remédios p ela de algum jeito?? Deve ser mto difícil ter que viver em uma situação assim, nossa liberdade não tem preço..
  • AndrezzaMarquesAndrezzaMarques
    Oi Fátima e Clara!
    Obrigada pela atenção.
    Ela toma sim medicamento para as dores, faz uso de tramal várias vezes ao dia, porém já perdeu o efeito de tanto tempo q já usa. O problema é q acaba gerando um círculo vicioso, pois as dores a deixam nervosa e o nervosismo aumenta as dores por conta da fibromialgia e com isso...mais nervosismo. Chega um ponto de ficar impossível ficar perto.

    Sobre o transtorno de borderline, trata-se de um transtorno mental grave, no qual a pessoa não tem controle sobre as emoções, é sempre tudo mto extremo: ou ama ou odeia em uma intensidade absurda. O medo do abandono é grande e a pessoa manipula de todas as maneiras quem está próximo por medo de ser abandonado, chegando a ser agressivo qdo contrariado. A pessoa com esse transtorno sempre acha q tudo tem q funcionar do jeito q ela quer, na hora e na maneira q ela quer e não aceita ser contrariada. Uma hora a pessoa te ama e no segundo seguinte te odeia com todas as forças. Ou seja, a vida assim é um inferno!
    Como não temos mais ninguém, todos esses sentimentos da minha mãe são sempre direcionados a mim. Não é fácil!
  • AndrezzaMarquesAndrezzaMarques
    Clara, sobre os remédios ela não aceita tomar pq acha q não precisa e o psiquiatra não concorda em dar o remédio escondido, diz q o paciente tem q saber o q está tomando. Com isso eu fico num beco sem saída pq ela não quer se tratar e eu tb não vejo outra alternativa.
    Por mais q eu queira seguir minha vida, eu não tenho coragem de deixá-la sozinha e não há mais ninguém q possa cuidar dela.
  • FatimaMarceliFatimaMarceli
    Andrezza, realmente você está em uma situação bem difícil. Imagino que você esteja sentido-se bem presa em relação à tudo isso.
    Você já conversou com os médicos dela? Eles não te deram nenhum tipo de apoio em relação à isso? Pois para ela também não deve ser fácil viver nessa situação.
  • ClaraFGomesClaraFGomes
    Nossa, Andrezza.. que difícil lidar com isso..
    estou tendo problemas com a minha família, mas parece q vc está em uma situação q não tem uma boa saída.. tua felicidade e liberdade implica na infelicidade da sua mãe..
    vc já buscou algum psicólogo para te ajudar com isso??
  • LeandroNunesLeandroNunes
    Oi Andrezza.
    Eu fui diagnosticado com transtorno bipolar.
    Esses transtornos de personalidade são complicados, pois não conseguimos enxergar o problema. Para nós não tem nada de errado com a maneira que agimos, pelo contrário, as vezes a gente acaba sentindo-se invencível.
    Não sei se sua mãe também se sente assim, mas é muito importante um apoio, pois é muito difícil lidar com todos esses sentimentos sozinho.
  • Drika3Drika3
    Leandro, desculpa perguntar, mas como você se sentia antes de começar com os remédios?
  • AndrezzaMarquesAndrezzaMarques
    Pois é, eu sei q tb é difícil pra quem sofre. Eu a acompanho em todas as consultas com o psiquiatra, mas com todos os remédios q ele prescreve ela sempre diz q tem alguma reação. Terapia ela nega terminantemente, diz q é palhaçada. Eu fico de mãos atadas, não tenho mais o q fazer pra ajudar, pois tudo q lhe é sugerido de bom pra ocupar o tempo ela recusa.
    É sofrido pra quem tem o transtorno, mas podem ter certeza q é bem mais pra quem acompanha. É mto desgaste emocional, sem contar as agressões verbais e físicas.
    A única coisa q eu sei é q eu não to aguentando mais!
  • LeandroNunesLeandroNunes
    Acho que a situação é complicada para todos, para a família e para quem sofre. Eu também não via motivos para tomar os remédios, achava que estava super bem e que os remédios só iriam mudar quem eu era. Mas depois que fui internado com algumas sessões de terapia consegui ver o quanto estava fazendo mal para minha família.
    Será que um internamento não ajudaria a sua mãe, Andrezza?
  • LeandroNunesLeandroNunes
    Ah, Drika, eu lidava com tudo de uma maneira muito intensa. Para mim era tudo ou 8 ou 80! Quando estava feliz era um estado de euforia e quando estava triste era uma depressão profunda. E tinha dias que me sentia super bem e em menos de 5 minutos (e sem motivos) ficava muito mal.
    O problema desses transtornos é que geralmente não conseguimos enxergar que tem algo de "errado" com nós. Eu achava que reagir da maneira que eu reagia era super normal.
  • AndrezzaMarquesAndrezzaMarques
    Oi Leandro
    Eu pensei várias vezes nessa possibilidade de internação, até conversei com o médico dela, mas ele diz q não é o caso. :/
  • LeandroNunesLeandroNunes
    Complicado Andrezza, pois sem a colaboração dela a terapia não funciona e, realmente, não é qualquer caso que pode ser internado. Mas você já chegou a pesquisar em clínicas particulares se eles não aceitam a internação? Ou algum profissional que possa ir até a casa de vocês para dar um apoio melhor?
    Outra coisa que você pode fazer é insistir nos remédios, nem que no começo isso cause mais brigas entre vocês. Mas depois que os remédios começarem a fazer efeito, as coisas começam a se acalmar.
  • Joana_MundoPsicoJoana_MundoPsico
    Oi Andrezza, tudo bem?
    Queria te dar as boas-vindas ao fórum. Colocar este espaço à disposição, já que as pessoas que aqui participam podem escutar e tentar ajudar...
    Imagino que a situação em sua casa não é fácil... ainda mais que você está aguentando todo o peso sozinha. Você diz não poder contar com o suporte nem de família, nem de amigos... mas
    é fundamental que você entenda que, se não cuidar de você, ela também não poderá contar com o seu apoio...
    Quero dizer, pelo que você relata, cuidar da sua saúde emocional é algo urgente. Você concorda?
  • ReginaLucasReginaLucas
    acho isso um absurdo... que a familia não se una pra cuidar dela!! Na minha casa é a mesma merda... meu pai tá com principio de demência, tá rebelde, deprimido e agora entrou na onda de que não quer comer... somos QUATRO filhos e adivinha quem cuida? só EUU
    Isso sem contar o gasto de dinheiro que isso representa...
    tô esgotada, no limite, dormindo à base de calmante... com você é assim também Andrezza?
  • Drika3Drika3
    Olha, acho que essas situações são complicadas em qualquer família. Na minha família também, meu avô ficou doente por muito tempo e quem cuidou dele fui eu e minha irmã (netas dele), os filhos moravam longe ou não podiam lidar com isso.
    É muito triste você chegar em um ponto da sua vida em que você precisa de apoio da sua família e não ter. Acho muito importante você cuidar de você mesma, Andrezza, mas acho que deixar de cuidar da sua mãe não deveria ser uma opção.
  • LeandroNunesLeandroNunes
    A Drika tem razão, essas coisas de família não são fáceis.
    Nem todo mundo tem o mesmo sentimento, então para alguns pode ser normal não dar o suporte que a mãe precisa. Também não podemos julgar, não sabemos como as pessoas se sentem. E tem gente que acha que não tem responsabilidade nenhuma de cuidar dos pais.
  • Drika3Drika3
    ReginaLucas, você nunca conversou com os seus irmãos para tentar dividir as responsabilidades? Tenho uma tia que fez tipo uma tabela no excel dividindo os finais de semana que cada um tem que cuidar da mãe deles. Aí os que não querem ir cuidar, tem que arranjar alguém que vá.
  • ReginaLucasReginaLucas
    oi Drika... tive internada 2 dias no começo do mes.... tive falta de ar, taquicardia... tive que ir de ambulancia para o hospital... fizeram uma série de exames mas não encontraram nada... disseram que poderia ser um ataque de ansiedade... foram dias muito complicados porque como vcs sabem a vida nao para... tudo acumulado, eu tendo que dar conta disso e do meu pai... fiquei com muito medo de sofrer um treco e morrer mesmo...

    e olha Leandro... nao julgar é dificil demais quando todo mundo pode ajudar e só fica um burro de carga pra cima e pra baixo fazendo tudo... eu acho que fugir das responsabilidades é coisa de ingrato... e estou descobrindo que eles sao ingratos e espertos... porque pergunta se o dia que ele morrer nao vao vir correndo pra repartir o que ficou??
  • Drika3Drika3
    Ah, mas é bem isso mesmo que você disse Regina, depois que eles morrem todo mundo vem para cima. Com o meu avô foi tudo igualzinho, isso ainda que ele passou alguns dos seus bens pro meu nome e da minha irmã, mas os filhos (meus tios) ficaram tudo bravo. Na hora de cuidar ninguém queria ajudar, na hora do dinheiro, todo mundo foi o melhor filho do mundo.
    O seu pai está exigindo bastante cuidado ou ele ainda consegue ficar sozinho?
  • LeandroNunesLeandroNunes
    Regina, eu te entendo. Eu disse para não julgar, mas estava me referindo a nós, que não sabemos de toda a história.
    Mas muitas famílias passam por essa mesma situação e, imagino que não deva ser nada fácil. Você já tentou conversar com eles para dividir melhor as tarefas?
  • ReginaLucasReginaLucas
    oi Drika... meu pai ainda é forte, faz muita coisa sozinho mas tem essa coisa dos esquecimentos e da cabeça que já não funciona como antes... o pior é que ele está muito bravo, não admite que esteja errado em nada... quando quer uma coisa tem que ser nada hora... tá sugando minhas energias demais... imagina quando tiver que ar banho, comida... essas coisas... acho que vou morrer antes que ele se continuar nesses nervos que estou
  • Drika3Drika3
    Regina, mas você já tentou conversar com o resto da família para dividir as responsabilidades? Se para você está muito pesado, contrata alguém para ajudar e divide o valor entre todos. Você está fazendo tudo sozinha, mas a responsabilidade é de todos e não só de um!
  • ReginaLucasReginaLucas
    conversar.... você acredita que eles ainda acham que têm razão... dizem que sou eu que fico vendo problema onde não tem, que deveria deixar de ser estrqassada e parar de infernizar a vida deles... resumindo é isso que consegui cada vez que tentei falar que não podia mais... e o que faço? viro as coisas e vou viver minha vida?? não tenho coram de deixar meu pai assim... mas tô perdendo a pouca saude e energia que tinha....

    eu não sei como eles conseguem viver tao tranquilos a vida deles!!!!
  • Drika3Drika3
    Regina, eu acho que se eles não estão nem aí, você não deveria se estressar com isso. Pelo menos você tem a mente limpa e sabe que você está fazendo a sua parte da melhor maneira possível.
    Porque não adianta ficar insistindo em coisa que não vai para frente.
    Teu pai está morando sozinho ou ele tem alguém que faça companhia para ele?
  • GlauMoreiraGlauMoreira
    Esse é um dos motivos que eu não quero ter filhos! Imagine, você cuida e dá tudo para eles a vida inteira e quando chega no final da vida que você precisa de ajuda, não tem ninguém para te dar um apoio!
    Teu pai não reclama da atitude dos seus irmãos? Ele não se sente triste com só você cuidando dele? Pelo menos ele tem 1 filha que tem consideração por ele.
  • AndressagomesAndressagomes
    Oi Andrezza marques gostaria de falar com vc, estou passando uma situação parecida,tbm sou filha única e não estou sabendo lidar e nem suportando mais a situação.
  • anonymous4614046anonymous4614046
    AndrezzaMarques e AndressaGomes, passei e passo pela mesma situação, então me coloco a disposição caso queiram conversar sobre isso. Sei como é difícil encontrar outras pessoas que saibam a real dimensão do problema para poder conversar. Beijão.
  • Drika3Drika3
    Oi Andressa!
    O que está acontecendo com a sua mãe? Conta mais um pouco!

    a tua mãe também sofre com esse transtorno o no seu caso foi um pouco diferente?
  • anonymous4614046anonymous4614046
    Agora que vi que o email não apareceu.... É o mesmíssimo caso, minha mãe tem TPB, sou filha única e não tenho outros familiares pra ajudar. Também não tenho muitas pessoas com quem conversar, pois as pessoas no geral não entendem a gravidade do problema (pois nunca passaram por nada parecido, não conseguem nem conceber que algo assim exista) e não sabem como ajudar. No caso da minha mãe, ela espanta todas as pessoas do convívio dela.
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.
Novo tópico

Salas de discussão