Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Constelações familiares

AndreiaAragaoAndreiaAragao
editado December 2016 em Psicoterapias
Onde encontrar esse tipo de terapia em Salvador?
«1

Comentários

  • MarcosmartinesMarcosmartines
    Nossa, eu ouvi falar muito bem desse tipo de terapia Andreia e estou procurando me informar melhor aqui na minha cidade (Caxias do Sul)... acho que ajudaria muito no caso da minha familia, principalmente meu pai que tem um histórico de alcoolismo e vejo que isso vem também de influência...Você já experimentou alguma outra abordagem antes?
  • isabela1990isabela1990
    Bom dia gente! Essa não é a que chamam de sistêmica também? Andei lendo que ajuda a colocar as relações da família no lugar... às vezes meio que me sinto mãe do meu irmão e isso me incomoda um pouco... gostaria que minha família tentasse... mas e quem convence meu pai disso? :(
  • AndreiaAragaoAndreiaAragao
    Já li e vi vídeos sobre essa abordagem e gostei muito. Acho que se encaixa bem no que quero trabalhar na minha família. Por isso quero experimentar.
  • Joana_MundoPsicoJoana_MundoPsico
    Oi Andreia, tudo bem?
    Antes de qualquer coisa, queria te dar as boas-vindas à nossa comunidade.

    Vi que você está buscando um especialista em constelações familiares e, numa primeira pesquisa, consegui encontrar essa psicóloga:
    https://www.br.mundopsicologos.com/consultorios/celia-jovanka

    Se você já está decidida pela abordagem, de repente vale a pena entrar em contato e marcar uma primeira conversa, para conhecer melhor a profissional.

    Posso te perguntar uma coisa? Você procura a terapia para superar algum problema? Ou simplesmente para ajustar as relações em casa?
  • AndreiaAragaoAndreiaAragao
    Olá Joana! Obrigada! Na verdade busco essa abordagem para trabalhar um problema que eu tenho com meu pai, de um bloqueio e também para trabalhar uma carência exacerbada de minha mãe. Mas estou por enquanto vendo as possibilidades e em janeiro devo marcar para conhecer.
  • RobertaWitterRobertaWitter
    Oi gente, bom dia.... tava aqui lendo o tópico e me interessei... como essas questões familiares podem ser complicadas as vezes né? Eu sempre tentei manter uma relação tranquila com minha mãe mas sempre foi meio complicado e sempre me senti meio dominada.. até hoje ela opina sobre minha vida, mas não é coisa de conselho entendem? São opiniões sobre decisões que afetam minha autoestima e nunca me sinto boa o suficiente.. as vezes me impressiono como minha confiança é menor quando estou perto dela e isso tem nos afastado cada dia mais... tenho 35 anos e isso me machuca... queria muito que tivessemos uma relação tranquila e de mãe e filha qua acho que nunca tivemos.. :( esse bloqueio que você tem com seu pai é algo do tipo Andreia?
  • AndreiaAragaoAndreiaAragao
    Oi Roberta! Na verdade, esse bloqueio vem desde a infância porque nessa fase meu pai teve alguns problemas com bebida e sempre foi muito seco e grosso, pela criação dele, ou seja, qualquer forma de carinho ele chamava de falsidade e tudo isso me inspirava medo na infância. Hoje ele está muito mudado com relação a estilo de vida, porém ainda permanece com a forma seca de ser. Não tenho mais o medo, mas sinto que tem coisas que quero conversar e não consigo e acho que tudo isso interfere nas minhas escolhas de relacionamento.
  • giovannastella25giovannastella25
    ai Andreia, família não é fácil. Cada um com os seus problemas.... vejo você falando da sua relação com a sua mãe e fico pensando se a situação que eu vivo hoje não fui eu que criei... casei, mudei e ela se mete em TUDO... tanto que está conseguindo gerar problemas sérios com meu marido...
    mas vamos falar de você... pelo visto tem um pouco de compensação nisso tudo né? você corre atrás dela para encontrar também o que não encontra no seu pai... falo de carinho, essas coisas... será que eu estou certa?
    mas pelo visto você já vem pensando nisso tudo e está bem encaminhada... pode ser legal mesmo você ter alguém para te apoiar nesse momento, pra te ajudar a pensar no que é melhor para você
  • RobertaWitterRobertaWitter
    Sim eu te entendo bem Andreia... com minha mãe sempre se passou algo parecido... nunca quis que ela fosse minha melhor amiga, sabe.. mas sempre houve uma dureza entre a gente e nunca tivemos demonstrações de amor. Sei que a vida smpre foi dura com ela mas ela tem esse negativismo nela... é complicado... Mas eu também tenho essa esperança de mudar isso e que possamos nos aproximar mais um dia... Acho importante que essa fase do medo você já superou. Acho que é o primeiro passo pra mudar! :)
  • AndreiaAragaoAndreiaAragao
    Com certeza Roberta! as coisas estão avançando sim. Vou chegar lá. E com certeza você chega também. Tem acontecimentos na vida que acaba aproximando mais as pessoas, só precisamos enxergar a oportunidade. Abraços!
  • RobertaWitterRobertaWitter
    Você tem razão Andreia... às vezes estamos tão fechamos no nosso mundo que não vemos essas oportunidades que a vida nos dá... e família é família né? É melhor tentarmos buscar a solução enquanto todos estão vivos do que choramos e nos lamentarmos depois da penda. Deus me livre... bem quero pensar nisso...
  • Joana_MundoPsicoJoana_MundoPsico
    Oi Andreia, é importante mesmo analisar todas as possibilidades para dar um passo assim, não deixa de ser uma forma de se preparar para o que estar por vir e para se "abrir" ao que o acompanhamento psicoterapêutico pode oferecer, verdade?

    As relações familiares realmente são complicadas. Às vezes por serem tão importantes e por passarmos tanto tempo juntos, os problemas não resolvidos podem ir se arrastando por anos e anos... algumas pessoas se fecham, outras se bloqueiam, outras desistem de conviver... mas são coisas que não costumam se resolver sozinhas. Quero dizer, é realmente necessário um trabalho de reflexão, voltar ao passado, tentar encontrar a origem de tudo, para então seguir...

    Você tem costume de falar disso com outras pessoas (amigos/família)? Ou a psicoterapia será seu primeiro "canal" para extravazar tudo o que sente?
  • AndreiaAragaoAndreiaAragao
    Essas situações já venho conversando com uma grande amiga, Joana, porém nem tudo consigo expressar. Acho que preciso do apoio de uma terapia para constatar, eu mesma me dar conta das causas e depois resolver. Ultimamente tenho me calado, às vezes recorro a papel e caneta e escrevo, mas sei que tem muita coisa ainda a ser mexida.
  • Joana_MundoPsicoJoana_MundoPsico
    Acho que você tem razão. Primeiro por uma questão de perspectiva; às vezes estamos tão dentro de uma situação que é preciso que alguém venha e reconduza nosso olhar e nossa observação. Claro que em teoria isso é mais fácil quando existe um profissional preparado, que tem recursos para fazê-lo de forma eficiente.
    Além do mais, você tem consciência dessa "limitação", algo que é muito importante. Você está tentando expressar tudo o que pode/consegue, seja por via oral ou por via escrita.

    Tomara que você consiga seguir avançando! ;)
  • MarcosmartinesMarcosmartines
    Putz... tava lendo os comentários de vocês e me vi dentro do mesmo filme. Sinto que anos nos arrastamos e nunca encaramos de frente o problema de alcoolismo de minha família que também passa pelo meu pai. Vivemos sempre num faz de conta que está tudo bem e fomos nos afastando aos poucos. Só resolvemos nos mexer agora que a situação está mais crítica. Porque sempre esperamos até o último momento para agir? É complicado...
  • AnaMaria17AnaMaria17
    Te entendo perfeitamente Andreia.. A minha situação com a minha mãe é igual, tendo não ligar para as coisas que ela fala ou pensa, mas acabo deixando isso me afetar e afetar todas minhas decisões.. E ainda eu não posso falar NADA para ela, pois normalmente ela se ofende, aí eu fico me sentindo super mal..
    Como que funciona esse tipo de terapia? Nunca tinha ouvido falar disso.
  • CFilhoCFilho
    Como funciona esse tipo de terapia? E em que casos está indicada?
    Preciso lidar com uma questão na minha família, mas não sei nem como abordar o assunto. Sei que vai gerar muita briga e confusão, quero evitar isso, mas não posso mais ignorar o que está acontecendo comigo.
  • FatimaMarceliFatimaMarceli
    Também fiquei interessada nesse tipo de terapia.
    Alguém aqui já fez? Teve bons resultados?
    Estou tendo problemas de rebeldia com a minha filha, acho que talvez isso possa ajudar.
  • AndreiaAragaoAndreiaAragao
    Oi pessoal! Na verdade uma amiga me falou dessa terapia e eu fiz algumas pesquisas na internet para entender como funciona. Se forem no Google, conseguem achar artigos e até vídeos no youtube com a terapia. Mas ainda não encontrei aqui em Salvador um local que trabalhe com ela. Se alguém tiver alguma experiência, coloca aqui.
  • FatimaMarceliFatimaMarceli
    Vou dar uma aprofundada sobre o assunto, Andreia. Mas também estou interessada em pessoas que tenham experiências com a terapia. Queria saber se os resultados são positivos e se seria uma abordagem melhor para o meu problema.
  • Joana_MundoPsicoJoana_MundoPsico
    Oi meninas, acho que esse pode ser um tema interessante para um futuro artigo. Anoto a dica ;)

    O que eu queria te perguntar, Fátima, é qual exatamente o problema que você está enfrentando... Seria para você ou para um familiar (como é o caso da Andreia)?
  • FatimaMarceliFatimaMarceli
    Seria uma ótima ideia, Joana! Gostaria muito de saber mais sobre essa técnica de terapia. Dei uma olhada no google, mas tem muitas informações, fica um pouco difícil de saber como filtrar tudo o que lemos.
    Eu estou tendo problemas com a minha filha. Ela está bem rebelde, estou achando que não é uma fase. Já tentei conversar com ela, mas não estou conseguindo.
  • Joana_MundoPsicoJoana_MundoPsico
    OI Fátima, quantos anos sua filha tem?

    Sabemos que é natural um pouco de rebeldia, especialmente quando a criança está prestes a entrar da adolescência, mas você pode estar certa: é possível que não seja apenas uma fase.
  • FatimaMarceliFatimaMarceli
    Ela está com 16 anos, eu acho que foram más influências de "amigos" novos que ela fez na escola, por que ela nunca agiu dessa maneira. Sempre foi uma menina dócil e querida com todos. Agora está arrumando discussões e tratando mal as pessoas. Nunca ensinamos isso a ela, sempre ensinamos que o amor e a tolerância com o próximo é muito importante.
  • ClaraFGomesClaraFGomes
    Tbm teria interesse em um artigo sobre isso, pesquisei no google sobre essa técnica, mas não consegui entender direito.. e tbm não consegui descobrir para quais casos esse tipo de terapia está mais indicado..
  • Joana_MundoPsicoJoana_MundoPsico
    Essa fase é difícil Fatima, são muitas emoções novas. Às vezes, o adolescente começa a fazer coisas que não são próprias dele num esforço para encaixar, para ser aceito...

    Uma pergunta: você já pensou em buscar ajuda para você? De repente conversar com um profissional especializado nas mudanças provocadas por essa etapa da vida... alguém que possa te ajudar a encontrar um caminho para retomar o diálogo com a sua filha.
  • FatimaMarceliFatimaMarceli
    Eu nunca pensei em buscar ajuda para mim, mas talvez seja uma boa ideia. Estou focando tanto na minha filha e em querer ajudar ela que acabo esquecendo de mim mesma. Realmente pode ser que um profissional consiga me ajudar a lidar melhor com essa situação. Vai que o problema sou eu, né?!? rsrsrs
  • MariaAngMariaAng
    A melhor coisa que vocês podem fazer é manter os filhos por perto, apoiar nas decisões e amar incondicionalmente. Família é muito importante e as vezes a gente só enxerga isso depois q a gente perde eles.
  • Joana_MundoPsicoJoana_MundoPsico
    Oi Fátima, nem é questão de buscar problema, ou achar que a "culpa" é sua! :)

    Pode ser que o mais importante, nesse momento, seja se fortalecer! Preparar sua estrutura mental para aguentar os momentos de conflito e, por que não, aprender novas estratégias para enfrentar os problemas com a sua filha.

    E, se nesse processo, você ainda consegue se conhecer melhor e saber o que é preciso fazer para se sentir mais feliz e realizada. melhor! ;)
  • FatimaMarceliFatimaMarceli
    Você tem razão Joana. Essa semana eu marquei um psicólogo, vou conversar, desabafar e ver como as coisas vão, pois estou me sentindo em uma rua sem saída, realmente está muito difícil lidar com tudo isso.
    A MariaAng você também está certa, mas nem sempre podemos apoiar as decisões dos filhos, ainda mais quando vemos que são decisões erradas. Temos experiência e conseguimos ver muita coisa que eles não conseguem.
Entre ou Registre-se para fazer um comentário.
Novo tópico

Salas de discussão