MundoPsicologos.com
MundoPsicologos.com
No Google Play Na App Store

Violência doméstica contra criança e adolescente

A violência doméstica contra crianças e adolescentes é um fenômeno rodeado de mitos e tabus que constituem uma preocupação no âmbito nacional e internacional.

27 Abr 2016 Traumas - Leitura: min.

Fortaleza (Ceará) Ceará

Nas últimas três décadas, a violência doméstica contra crianças e adolescentes vêm sendo motivo de maior discussão, reflexão, questionamento, polêmica e estudos científicos, por estar em uma esfera micropolítica que é a da família, mas que vem de questões macropolíticas de relações sociais de gênero e gerações decorrentes de interações de fatores socioeconômicos, culturais e psicológicos, podendo também outras facetas estarem relacionadas (TARDIVO E JUNIOR, 2010).

Trata-se de um fenômeno ainda rodeado de mitos e tabus e que vem sendo permeado ao longo da história da humanidade, tornando-se uma problemática de difícil abordagem e que traz sérias consequências e impactos no desenvolvimento infantil.

A violência doméstica envolve relações assimétricas de poder, sendo uma violência subjetiva e interpessoal, na qual o adulto transgride o seu poder de disciplinador, negligenciando as necessidades e direitos das crianças, colocando-as como meros objetos de desejo do adulto. Tardivo e Junior (2010), ao discutirem sobre essas relações de poder, definem que apesar da ideia da "família sagrada e perfeita" que se tem no imaginário popular, não está eximida de cometerem atos violentos contra seus integrantes e que devido a um "complô de silêncio", dissimulam a realidade fatal e egoísta.

Estudos empíricos revelam que nessa perspectiva as crianças e adolescentes possuem um verdadeiro risco de alterações no processo do desenvolvimento, com grandes variedades de distúrbios na área afetiva, cognitiva e social.

O Ministério da Saúde (1993) ao se posicionar frente a tal temática classifica que a violência doméstica pode ocorrer em quatro formas sendo elas: a violência fisica, violência sexual, violência psicologica, e a negligência. A primeira corresponde ao uso da força física pelos pais ou por aqueles que exercem autoridade no âmbito familiar.

Já a segunda forma de violência que ocorre com frequência, caracteriza-se por ato ou jogo entre um ou mais adultos e uma criança ou um adolescente, tendo a finalidade de estimulá-la sexualmente. A penúltima forma consiste na corrupção, criação de expectativas irreais na criança e no adolescente, bem como comportamentos de rejeição, isolamento, ignorarem, aterrorizar, que são destrutivos e negativos nos desenvolvimentos mesmos. Por fim, a negligência se situa por ser a omissão da família as necessidades básicas tanto físicas como emocionais.

Essa realidade evidencia a importância do psicodiagnóstico e de um serviço de Psicologia nas instituições de saúde e ensino, bem como no âmbito da clínica, visando a promoção de saúde, realização de encaminhamentos necessários e intervenções eficazes, a fim de minimizar tal problemática.

É preciso que o psicólogo utilize estratégias de avaliação psicológica, a fim de analisar a psique do sujeito. Segundo Cunha (2000), a testagem pode ser um passo importante para o processo, mas constitui apenas um dos recursos possíveis, podendo assim, o psicólogo se dispor de entrevistas clínicas, observações, dentre outros meios que envolvem a integração de informações.

Observa-se que é essencial um maior investimento e estudo sobre a temática em outras áreas da saúde, bem como na área de avaliação psicológica para identificação da violência doméstica, e necessário propostas de intervenções ativas, como acompanhamento em visitas domiciliares, acompanhamento terapêutico tanto para o agredido como com o agressor, tanto individual como familiar para fortalecer vínculos e laços, e palestras, sensibilização para uma melhor orientação, apoio e prevenção de reincidências.

0 Curtir

Deixe seu comentário

INFORMAÇÃO BÁSICA SOBRE PROTEÇÃO DE DADOS
Responsável: Verticales Intercom, S.L.
Finalidades:
a) Envio de solicitação ao cliente anunciante.
b) Atividades de publicidade e prospecção comercial, por diferentes meios e canais de comunicação, de produtos e serviços próprios.
c) Atividades de publicidade e prospecção comercial, por diferentes meios e canais de comunicação, de produtos e serviços de terceiros de diferentes setores de atividade, podendo implicar repasse dos dados pessoais a esses terceiros.
d) Segmentação e elaboração de perfis para fins publicitários e para prospecção comercial.
e) Gestão dos serviços e aplicativos oferecidos pelo Site ao Usuário.
Legitimação: Consentimento do interessado.
Destinatários: Está previsto o repasse dos dados aos clientes anunciantes para atender suas solicitações de informação sobre os serviços anunciados.
Direitos: Tem o direito a acessar, retificar e eliminar os dados ou se opor ao tratamento dos mesmos ou a alguma das finalidades, bem como outros direitos, como se explica na informação adicional.
Informação adicional: É possível consultar a informação adicional e detalhada sobre Proteção de Dados em br.mundopsicologos.com/proteccion_datos

Você não pode deixar de ler...